Zuckerberg diz que objetivo é que tempo gasto em rede social tenha mais ‘significado’
Portal O Globo, com agências internacionais - 12/01/2018 8:13 / Atualizado 12/01/2018 16:01

Facebook anunciou mudanças em sua política de publicação de posts. Foto: Noah Berger/AP 


NOVA YORK - O Facebook anunciou uma mudança em sua política de publicação para privilegiar posts de amigos e parentes e dar menos espaço para aqueles de companhias, marcas e empresas de notícias. Ao longo das próximas semanas, os usuários verão menos vídeos virais e artigos compartilhados por organizações de mídia e negócios e mais fotos e textos publicados por amigos. O diretor-executivo, Mark Zuckerberg, anunciou que o objetivo é que o tempo na rede social seja "bem gasto" e mais “significativo”.

A alteração pode afetar organizações de mídia e empresas que usam o Facebook para compartilhar seu conteúdo. Segundo o fundador da rede social, a ideia é ajudar os usuários a se conectar com quem se importam, e não torná-los deprimidos ou isolados:

“A pesquisa mostra que, quando usamos a rede social para nos conectarmos com pessoas com as quais nos importamos, pode ser bom para nosso bem-estar. Podemos nos sentir mais conectados e menos sozinhos, e isso está ligado a felicidade e saúde no longo prazo. Por outro lado, ler artigos de forma passiva ou ver vídeos, mesmo que sejam de entretenimento ou informativos, pode não ser tão bom”, escreveu Zuckerberg em um post.

SEM IMPACTO EM PUBLICIDADE

A mudança não vai afetar a publicidade: os usuários continuarão a ver os mesmos anúncios que antes, sejam “significativos” ou não. Mas os negócios que usam o Facebook como se conectar com seus clientes sem pagar pelos anúncios também serão afetados.

Assim, o feed do Facebook terá menos posts de marcas, negócios e empresas de mídia que não sejam pagos e mais de pessoas. Haverá também menos vídeos, considerados “passivos”. Zuckerberg afirmou que vídeos e outros conteúdos públicos - posts de marcas, negócios e empresas de mídia - explodiram nos últimos anos, "excluindo os momentos pesssoais que nos levam a conectar com as pessoas".

Segundo a companhia, a tendência é que as pessoas passem menos tempo no Facebook após a mudança. A preferência por posts que considera mais “significativos” e a redução da ênfase em outros podem reduzir o papel gigante da rede social como uma fonte de notícias para muitas pessoas.

— É a mesma direção que o Facebook está buscando há um tempo: oferecer um local de debate entre indivíduos, um espaço de comunidade, mais que ser uma fonte de notícias. O Facebook quer que os amigos se tornem mais próximos, tenham discussões mais profundas. A tendência é que o tráfego para os sites de mídia pelo Facebook diminua — afirmou o pesquisador sênior em notícias digitais da Fundação de Imprensa da Coreia, Oh Se-uk.

O Facebook vem sendo criticado por criar “bolhas”, em que as ideias são reforçadas por pensamentos semelhantes de posts de amigos na rede social.

'DESAFIO PESSOAL' PARA 2018

As mudanças ocorrem após um ano duro para o Facebook, que incluiu convocações pelo Congresso dos Estados Unidos para explicações sobre o uso da rede pela Rússia para influenciar as eleições americanas.

Facebook e outras redes sociais também vêm sendo criticados por acabarem contribuindo para a disseminação de notícias falsas, conhecidas por fake news. Diante das pressões, têm se movimentado para combater esse conteúdo, porém segundo o jornal "New York Times" a mudança no algoritmo pode acabar reforçando as fake news, caso sejam compartilhadas pela rede de amigos dos usuários.

Na semana passada, Zuckerberg disse que seu "desafio pessoal" para 2018 era consertar o Facebook.

A estreia do filme "No tempo da Vovó" acontece amanhã às 19:30 horas, no Auditório do Instituto Federal de Brasília campus Gama.

Mais um filme da Stellar Filmes LTDA e Cenas do Bem produzido e dirigido pelo cineasta Tista Filintro, contando com a participação de atores da nossa própria comunidade do Gama e do Distrito Federal.

No Tempo da Vovó é um filme para você relembrar que antigamente as pessoas se tratavam com mais educação e respeito, isso valia muito e deveria ter o mesmo valor nos dias atuais, pois sabemos que a educação abre caminhos e oportunidades, deixando a reflexão que seremos tratados da mesma forma que tratamos o nosso próximo.
 

O que mudou foi a pena para condutores embriagados nos casos de homicídio culposo

C/Bahia no Ar - 28/12/2017 - 04:58:21 / Blog do Sombra


Na era digital, tornou-se frequente a disseminação de boatos através de aplicativos de comunicação via smartphone. Seja um equívoco de interpretação que acaba sendo passado adiante ou a criação intencional de um alarde para causar pânico, o fato é que as mentiras acabam se espalhando e provocando equívocos. O mais recente deles diz respeito ao aumento da pena para motoristas alcoolizados.

Em um áudio, compartilhado através de grupos por todo o Brasil, alguém tece um comentário sobre mudanças recentes no Código Penal. O dono da voz passa segurança ao garantir que, quem for pego dirigindo alcoolizado poderá ser preso por até oito anos, sem possibilidade de cumprir pena em regime alternativo ao de reclusão. “Vai pra tranca”, repete o autor da mensagem.

O alerta transmitido é, comprovadamente, um boato. Houve, de fato, alterações no Código Penal Brasileiro em relação a pena prevista para crimes cometidos especificamente por condutores que estiverem sob efeito de álcool ou drogas, mas não como a mensagem sugere. A mudança, votada recentemente pela Câmara dos Deputados, aumenta a pena para condutores embriagados nos casos de homicídio culposo (dois a quatro anos para cinco a oito anos).

Apesar da prisão imediata e inegociável para quem for flagrado dirigindo sob efeito de álcool ter se revelado um boato, é bom reiterar que tal atitude continua sendo uma transgressão da lei passível de punição e um ato de irresponsabilidade.

 

Blog do Ulhoa com adpatações - 13/12/2017

Fazendo um levantamento de alguns dos maiores blog’s e portais do Distrito Federal na 1ª quinzena de Dezembro de 2017, podemos encontrar grandes jornalistas e os maiores formadores de opinião, segue colocação de cada um de acordo com ‘Alexa’ (www.alexa.comAn Amazon.com Company o mais importante portal de levantamento de acessos de mídia de Internet. Porém fizemos uma comparação mais rigorosa em relação aos portais mais acessados do Brasil para mostrar a força dos blog’s e portais do Distrito Federal.

Deixando bem claro que existe milhares de blog’s e portais de notícias, porém a análise foi feita em cima dos mais famosos e acessados do DF e do Brasil.

Segue Ranking:

 

BLOGS/SITE/PORTAIS RAKING DF (ALEXA) RAKING MUNDIAL (ALEXA) 
1 Edson Sombra 8.781  312.100
2 Blog do Ulhoa 9.262 375.997
3 Bombeiros DF 13.097 390.513
4 Notibras 15.121 508.030
5 Gama Cidadão 16.774 628.409
6 Rádio Corredor 17.860 634.096
7 Danny Silva 17.450 976.452
8 Contexto Exato 18.604 694.090
9 Informando e Detonando  22.744 836.501
10 Blog do Halk 22.999 1.416.409


 

 

Conheça cinco dicas para mudar o significado da data parta as crianças

C/Huffpost Brasil / Foto: Reprodução - 18/12/2017 - 18:43:06

Como fazer do Natal um momento mágico para seus filhos, não importa o que eles acreditem

Conheça cinco dicas para mudar o significado da data parta as crianças

 

Todos os pais e mães querem que o Natal seja mágico para seus filhos. Mas será que isso acaba quando as crianças descobrem a verdade sobre Papai Noel?

Uma mãe no Mumsnet compartilhou que seu filho de 10 anos descobriu a verdade sobre Papai Noel recentemente e está sentindo "que o aspecto mágico do Natal acabou".

"Ele está bem triste, acho", ela escreveu em 20 de novembro. "Ficarei realmente grata a quem me der alguma dica de como devolver um pouco de mágica ao Natal."

Desça mais um pouco para aprender com os conselhos que ela recebeu.

1. Faça seus filhos se envolverem na criação do clima mágico.

Uma mãe explicou: "Se eu fosse você, faria seu filho participar dos preparativos, tipo escolher o que comer e cozinhar para o Natal, ajudar a escolher e embrulhar os presentes, ajudar com os enfeites de Natal.

"Agora que ele está mais velho, ele pode ajudar a criar o ambiente mágico. Ele ainda vai receber presentes."

Alguns pais disseram que seus filhos curtem cuidar das "tarefas dos adultos" no Natal, como ajudar a arrumar os presentes debaixo da árvore.

Uma mãe disse que seu filho agora fala que é o "pequeno ajudante" dela e contou a seus irmãos menores que é um elfo.

"A principal tarefa dele é checar o calendário do advento para garantir que eu tenha posto chocolates nas caixinhas", ela comentou.

 

2. Introduza uma surpresa.

Uma sugestão feita foi mudar as coisas um pouco para que ainda haja surpresas à espera de seus filhos no grande dia.

"Mude o modo como vocês dão os presentes", foi uma sugestão. "Por exemplo, coloquem um presentinho de surpresa na mesa depois do almoço ou um presente debaixo da árvore no dia 26 de dezembro." (Esse dia é considerado o Segundo Dia de Natal em alguns países europeus, NT).

 

3. Lembre a seu filho sobre as tradições familiares.

Uma usuária do Mumsnet explicou que as crianças passam por uma transição no Natal: depois do "maravilhamentoinfantil", começam a dar valor às tradições familiares. Lembre a seu filho dessas tradições que vocês seguem todos os anos, como montar os efeitos natalinos ou passar tardes assistindo a filmes sobre o Natal.

"Continuem com as tradições festivas que vocês sempre tiveram, e seu filho vai continuar a entrar no clima do Natal", disse a usuária.

Tratamos Papai Noel como uma história ou brincadeira de faz de conta. Chegamos a acompanhar sua trajetória pelo Norad." Usuária do Mumsnet.

 

4. Leve adiante a história do Papai Noel.

Muitos pais disseram que, apesar de seus filhos não acreditarem mais no Papai Noel, continuam a propagar a história do Papai Noel "como brincadeira de faz de conta".

"Minha filha tinha 8 ou 9 anos quando deixou de acreditar, mas continuamos a fazer a brincadeira toda do Papai Noel mesmo hoje, quando ela tem 13 anos", escreveu uma mãe.

"Penduramos a meia de Natal na ponta da cama dela. Nos últimos anos ela até continuou a deixar um pratinho com doces e uma bebida para o Papai Noel.

"Simplesmente tratamos como se fosse uma história ou uma brincadeira de faz de conta. Chegamos a 'acompanhar a trajetória' de Papai Noel pelo mundo através do Norad(Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte). Só porque ela deixou de acreditar, não quer dizer que o clima mágico tenha que acabar."

Uma mãe concordou: "Sempre fazemos alguma sujeira terrível e geralmente há algum tipo de problema causado pelas renas do Papai Noel. As crianças sabem que sou eu quem faço, e provavelmente é mais como se estivessem acordando no dia 1º de abril para ver que brincadeira aprontei para eles, mas ainda assim é divertido."

 

5. Crie novas tradições de generosidade.

Uma mãe explicou: "Eu expliquei a meus filhos que nem todas as crianças têm a mesma sorte que eles.

"Este ano meus filhos vão comprar presentes para colocar debaixo da árvore de presentes no supermercado local (para crianças mais carentes). Até agora elas achavam que Papai Noel cuidava disso tudo."

Outra mãe concordou: "Que tal escolher um presente para outra criança, para ser doado a uma entidade beneficente que distribui presentes para famílias pobres?"

A mãe que postou a mensagem original respondeu a todos os comentários e ideias sobre como fazer o Natal ser mágico, dizendo "meus olhos ficaram cheios de lágrimas ao ler essas sugestões".

Marcos Augusto Gonçalves | Folha de S. Paulo - 16/12/2017

Manifestação em defesa do Museu de Arte Moderna de São Paulo

Velha conhecida dos EUA e de outros países, a "guerra de valores" ou "guerra cultural", como se queira chamar, marcou o mundo da arte no Brasil em 2017.

A primeira bomba explodiu pouco depois do feriado de 7 de setembro, quando o Santander Cultural cedeu a pressões de movimentos conservadores e decidiu cancelar a exposição "Queermuseu - Cartografias da Diferença na Arte Brasileira", que estava aberta ao público em Porto Alegre desde 15 agosto -e assim deveria permanecer até 8 de outubro.

O recuo animou a ofensiva nas redes sociais e fomentou a previsível polarização com artistas, movimentos identitários, simpatizantes da esquerda e representantes de ideias liberais. Principal articulador da campanha, ao lado de instituições religiosas, o grupo de direita MBL (Movimento Brasil Livre)difundiu a versão –que não se sustentava– de que a mostra estimulava a pedofilia e a zoofilia. Em meio a rojões dos dois lados, o caso foi parar numa Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado.

Poucos dias depois do fechamento da mostra, um vídeo postado nas redes sociais exibiu uma criança tocando um artista desnudo que fazia uma performance baseada na obra "Bicho", de Lygia Clark, no Museu de Arte Moderna de São Paulo.

Novos bombardeios. Parecia não haver outro assunto no país, além da associação entre arte, artistas e pedofilia que dominava o teatro de operações das redes sociais. Logo voltou à baila a relação entre Caetano Veloso e sua mulher, Paula Lavigne -que deixou de ser virgem com o cantor, quando tinha 13 anos de idade. Lavigne, uma liderança do grupo #342Artes, havia ajudado a mobilizar artistas em defesa da mostra do Santander e da performance do MAM. A hashtag #caetanopedófilo bombou no Twitter.
 

Protesto contra o fechamento da mostra Queermuseu, em frente ao Santander Cultural de Porto Alegre Por: Anderson Astor/Folhapress 2017-12-12 16:28:29

 O Santander Cultural, cancelou a exposição "Queermuseu Cartografias da diferença na arte brasileira" após protestos na instituição e nas redes sociais Por: Roger Lerina/Folhapress 2017-12-12 16:28:29 SAO PAULO - SP - BRASIL, 01-10-2017, 16h00: PERFORMANCE NO MAM. Protesto apos os episodios de violencia que aconteceram no Museu de Arte Moderna. Grupos conservadors protestaram contra o fato de que, no museu, uma crianca interagiu com um artista pelado durante uma performance. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress, ILUSTRADA) ***EXCLUSIVO FSP*** Por: Folhapress Folhapress 2017-12-12 16:33:33 Protesto contra o seminário "Os Fins da Democracia" com participação da filósofa Judith Butler, em novembro, no SESC Pompeia Por: Bruno Santos/ Folhapress 2017-12-12 16:28:29

Ao mesmo tempo, políticos, como os prefeitos do Rio, Marcelo Crivella (PRB), e de São Paulo, João Doria (PSDB), jogavam gasolina na fogueira, endossando a marcha conservadora. Tudo isso em meio a decisões polêmicas, como a censura por parte de juízes à exibição da peça "O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu" e a apreensão de uma obra, pela polícia, em Campo Grande (MS), novamente sob alegação de incentivar a pedofilia.

A caça às bruxas também atingiu a filósofa norte-americana Judith Butler, que supostamente promoveria a " ideologia de gênero" numa palestra no Sesc Pompeia –que na realidade versava sobre os fins da democracia.

Bruxas também foram caçadas por esquerdistas e movimentos identitários. Foi o caso da exibição do documentário "O Jardim das Aflições", sobre o filósofo conservador Olavo de Carvalho, que terminou em pancadaria na Universidade Federal de Pernambuco, no Recife. Militantes de grupos de esquerda opunham-se à projeção e promoveram um espetáculo de intolerância.

Menos agressiva, mas sintomática, foi a reação de representantes do movimento negro contra o filme "Vazante", da diretora Daniela Thomas, acusada de conformismo e desqualificada por não ser negra, um tipo de conflito comum nos EUA. "Apanhei como se fosse o mais vil dos inimigos", disse a cineasta.

Veja a matéria na íntegra, clique aqui!