Preços dos imóveis são influenciados de acordo com a região e o tamanho.

Pesquisar valores antes de trocar de casa é dica do portal Gama Cidadão dessa quinta-feira.

brasilia aerea setorbancariosul

Mesmo com o país em crise, Brasília registrou um crescimento significativo na venda de imóveis, essa valorização é a maior dos últimos dois anos e meio. Embora seja um aumento positivo que chame a atenção, esse acontecimento não é bem uma novidade, pois Brasília vem liderando a valorização imobiliária em comparação as outras regiões do país nos últimos 36 meses.

Os imóveis mais baratos estão no Gama e em Ceilândia e os mais caros, no Plano Piloto – Asa Sul, Asa Norte e Sudoeste. De acordo com o Sindicato das Imobiliárias e Incorporadoras (Secovi), a procura por imóveis grandes é menor e, por isso, elas são mais baratas. Apartamentos de três quartos são os mais procurados.

Para quem quer mudar de casa, as dicas são: vender o imóvel primeiro e, depois, comprar outro por um preço menor, divulgar a casa na internet e procurar imobiliárias na região e pesquisar bem os preços dos apartamentos para ter uma base antes de vender e comprar.

Os lançamentos não param, são imóveis prontos e na planta que atraem os interessados em comprar por um preço competitivo. Os recursos para a aquisição são variados e podem surgir em forma de financiamento ou uso do fundo de garantia. Há sites especializados em informações e novidades sobre esse mercado como o portal Agente Imóvel, que pode esclarecer duvidas além de contar com ofertas de empreendimentos (terrenos, apartamentos, casas, condomínios, loteamentos, etc).

E não é só nas vendas de imóveis que o crescimento foi significativo, no segmento de locação também houve um aumento de pelo menos 8% se comparado com o mesmo mês do ano de 2016. Mesmo com a inflação subindo, a queda dos valores de aluguéis foi em torno de 17,5% considerando a comparação com o mesmo período do ano passado.

Para se ter uma idéia dessa valorização do mercado imobiliário em Brasília, a média de m² em São Paulo, por exemplo, é de R$ 4.846,00, já no Distrito Federal pode chegar a R$ 8.403,00. Alguns fatores específicos da região contribuem para esse aquecimento no setor como o padrão de imóveis, não há uma variação se comparar com a grande São Paulo. Por oferecer empreendimentos homogêneos cria-se um padrão de valores e estilos nas unidades e isso acaba criando uma consistência importante no mercado.


Crescimento vertical e expansão urbana no Gama. Foto: Israel Carvalho

Da Redação do portal Gama Cidadão - 27/07/2017


Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar