A bandeira do Brasil é um dos símbolos mais importantes da nação. Entenda aqui o significado das cores da bandeira e algumas curiosidades.

A bandeira do Brasil é um dos mais importantes símbolos da nossa nação, onde foi instituída em novembro de 1889 colorida nas cores verde, azul, amarelo e branco onde cada uma dessas cores tem o seu respectivo significado .

Até hoje existem controvérsias sobre as cores da bandeira, mas poucas pessoas sabem o real significado delas. Para que você possa entender sobre as cores da bandeira abaixo seguem os reais significado das cores da bandeira do Brasil.



Significado das cores

Entenda como foi à representação e escolha das cores.

Verde –  a cor foi usada para representar as florestas brasileiras.

Amarelo – o amarelo foi para representar o ouro no qual foi o motivo do surgimento de muitas cidades consideradas importantes.

Azul –  simboliza o céu das áreas tropicais do planeta que banham os solos brasileiros.

Faixa branca – a faixa branca que fica ao centro da bandeira foi usada para escrever “Ordem e Progresso”.

Estrelas – todas as 26 estrelas na parte de baixo representam os estados brasileiros e a única que fica na parte superior é o Distrito Federal, a capital do Brasil.

Bandeira do Brasil

A bandeira do Brasil foi instituída após a Proclamação da República fato este que aconteceu em 15 de novembro de 1889, onde durante a colonização eram usados os símbolos da Coroa Portuguesa e que mantinham a tradição de hastear a bandeira do reino em todos os territórios que eram conquistados.

Um fato curioso e que poucas pessoas percebem é que a bandeira do Brasil é uma das poucas que não possuem as cores pretas e vermelhas já que são cores que representam o sangue dos soldados e a guerra, onde a atual bandeira é a segunda republicana e o terceiro estande oficial do Brasil desde a independência.

Significado das estrelas na bandeira

As estrelas nas bandeiras representam os estados brasileiros no qual a posição e a dimensão de cada uma delas é definida por lei assim como a associação das estrelas com estados e o Distrito Federal. Veja na imagem abaixo a estrela de cada estado.




Vídeo do Hino nacional


A primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) já está disponível na internet. Para ver o resultado, o estudante deve entrar na página do programa. Os alunos terão até 31 de janeiro para apresentar a documentação e fazer a matrícula na instituição de ensino para a qual foram selecionados. ...

Segundo números divulgados pelo MEC, o balanço final do ProUni registrou 1.032.873 inscritos. O total de inscrições foi 2.011.538, considerando que cada candidato teve a oportunidade de fazer até duas opções de curso. O estado com o maior número de candidatos na primeira edição do programa neste ano foi São Paulo, com 187.489; seguido por Minas Gerais, com 141.839, e o Rio de Janeiro, com 75.935.

Em 8 de fevereiro, será feita a segunda chamada de pré-selecionados. O candidato deve providenciar a matrícula e a apresentação de documentos até o dia 19 do mesmo mês.

O ProUni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica em instituições privadas de educação superior. Para o primeiro semestre deste ano, estão sendo oferecidas 162.329 bolsas, sendo 108.686 integrais e 53.643 parciais (cobertura de 50% da mensalidade).

Para concorrer à bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar por pessoa até um salário mínimo e meio (R$ 1.017). Para as bolsas parciais, a renda familiar deve ser até três salários mínimos (R$ 2.034) por pessoa. Cada estudante pode optar por até dois cursos.

Fonte: Agência Brasil - 24/01/2013

        O Centro de Ensino Fundamental 09 do Gama está situado na Entre quadra 13/ 15 do Setor Sul do Gama. Atende a demanda de crianças das quadras 13, 15, 17, 11, 05, DVO e entorno Sul. A escola ofertava vagas para alunos da primeira à oitava séries do ensino fundamental até o ano de 2006. Com a regulamentação da Lei 11.274 em 06 de Fevereiro de 2006 que regulamentou o Ensino Fundamental de 9 anos, a escola passou por reforma, assim como várias instituições de ensino no DF e no Brasil.

        A partir de 2007, alunos do 6º ao 9º anos (antiga 5º à 8º série) do ensino fundamental foram transferidos para o Centro de Ensino Fundamental 15 do Gama (antiga Escola Normal do Gama). O CEF 09, a partir de então, passou a receber alunos do 1º ao 5º anos (antigo pré-escolar à 4º série) do ensino fundamental, bem como alunos da educação infantil (1º período para crianças com 4 anos e 2º período para alunos de 5 anos). Para receber esses alunos a escola passou por reforma, com inversão do nº das salas, onde o pavilhão com as salas de 1 a 5 receberam grades que o isolava do restante do colégio, foram construídos também um parquinho e banheiros adaptados para crianças dessa faixa etária.

        As matrículas no DF há alguns anos ocorrem através do 156, onde no final do ano o responsável requisita a matrícula e a confirma no inicio do ano. Mas, ao tentarem confirmar matrícula nesse início de ano, muitas mães tiveram uma surpresa: A escola não receberia mais alunos com 4 anos, somente o 2º período será oferecido em 2013, sendo que em 2014 também será extinto na escola. A explicação da direção da escola seria de que “a escola não tem estrutura para receber alunos nessa faixa etária, que é perigoso eles brincarem junto com alunos maiores”. Essa explicação não convenceu as mães que estão revoltadas, uma vez que a escola passou por reforma e a estrutura física é sim viável para as crianças que não brincam com alunos maiores devido as grades que separam os dois ensinos, o infantil do Fundamental I.

        Uma das explicações não oficiais, mas que levam a entender o porquê dessa atitude da DRE - Gama seria o baixo rendimento da escola no Ideb 2011, o que refletiu negativamente no desempenho da Regional do Gama.

        A tabela abaixo mostra as notas obtidas pela escola nos anos de 2005, 2007, 2009 e 2011, o (de) crescimento em porcentagem e a meta esperada pelo MEC.

 
Tabela 1. Desempenho do Centro de Ensino Fundamental 09 do Gama no Ideb.

Fonte:  Portal Ideb

Junto à tabela há a seguinte informação:

ALERTA

Não cumpriu a meta

        Não alcançou o esperado para 2011

Caiu o Ideb

        Ideb com tendência de queda

Ideb abaixo de 6

        Valor abaixo da referência

Esta escola não atingiu a meta prevista para 2011 e teve queda no Ideb em relação a 2009. Isso pode indicar uma tendência de queda. 

O desafio de recuperar o crescimento e atingir as metas provavelmente será significativo

Por isso uma análise criteriosa dos dados e o planejamento de intervenções pedagógicas serão necessários. 

 
        O gráfico abaixo, demonstra que a escola sempre obteve resultados bem acima do projetado pelo MEC, tendo em 2009 alcançado nota prevista pelo MEC para 2015. Porém, há uma enorme queda dos resultados obtidos em 2009 para 2011, chegando a uma queda de 11% dos resultados isso, em termos quantitativos, representa um alto percentual tendo em vista o ótimo rendimento apresentado até então pela instituição, contudo fazendo uma análise qualitativa percebe-se que a escola obteve nota 4.9 quando o esperado pelo MEC seria 5.1, ou seja, apenas 0.2 pontos a menos do esperado.

        O problema foi o alto padrão estabelecido pela própria instituição que agora tenta arcar com prejuízo descontando em quem não tem nada a ver com a história. Cortar a educação infantil aumenta o foco dos profissionais nos alunos do Ensino Fundamental I, que são os “que contam” no Ideb.

Gráfico 1. Comparação das notas obtidas pelo CEF 09 Gama e a meta projetada pelo MEC.

 

        Agora, é muito cômodo para uma instituição, que por anos ofereceu turmas em oito séries diferentes (1º à 8º série), agora oferecer apenas 1º ao 5º anos. Segundo ponto, o que fazer com essa demanda de alunos, sendo que a única escola que oferece educação infantil, mais próximo é o Cedim, na quadra 09 do Setor Sul, que fica há quase um quilômetro do CEF 09. Educação infantil no CEF 09 é direito adquirido das mães das quadras circunvizinhas e este não pode lhes ser mais revogado.  

        Lembrando que Segundo o ECA (artigo 53), “a criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho”. Nesse sentido, a lei assegura:

  • Igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;
  • Direito de ser respeitado por seus educadores;
  • Direito de contestar critérios avaliativos, podendo recorrer às instâncias escolares superiores;
  • Direito de organização e participação em entidades estudantis, e
  • Acesso a escola pública e gratuita próxima de sua residência.

        Nesse sentido não há lógica colocar crianças de 4 anos andarem quase um quilômetro todos os dias para irem a escola, sendo que muitas mães ainda têm outros filhos maiores e menores que estes que também sofreriam com a distância, sendo que a maioria destas mãe preferem manter seus filhos afastados da escola por esse período por conta das dificuldades enfrentadas.

        Por fim, é importante lembrar que o acesso ao ensino obrigatório e gratuito é um direito público subjetivo, ou seja, pode sempre ser exigido do Estado por parte do cidadão. Assim, caso o Poder Público não garanta o acesso à educação ou caso não o faça de maneira regular, o cidadão tem a possibilidade de exigir judicialmente que seu direito seja observado, obrigando o Estado a fazê-lo.

        A DRE – Gama não se pronunciou, até o fechamento deste artigo, lembrando que o site se coloca à disposição para ouvir as informações da Regional de Ensino.

Carliene Sena da Cunha
Colunista

O governador em exercício Tadeu Filippelli entrou em contato com o deputado Welington Luiz, nesta sexta-feira (11), para informar que havia sancionado na íntegra, o PL 725/2012, de autoria do parlamentar, que cria a Escola Bilíngue. ...

Com a publicação deste ato no DODF, que deverá ocorrer na próxima segunda (14), a comunidade surda deverá, em breve, ter acesso a todo conhecimento e conteúdo curricular por meio de sua língua natural – a Língua Brasileira de Sinais – Libras e da Língua Portuguesa escrita. O governador em exercício ressaltou que o projeto foi sancionado em sua totalidade devido a sua importância para os seus  destinatários e para o sistema educacional do DF.

Wellington Luiz agradeceu a Filippelli pela atenção que deu ao projeto, bem como destacou a atuação do Coordenador de Assuntos Legislativos do GDF, José Willemann, que também colaborou para que o resultado esperado fosse alcançado e do deputado Aylton Gomes, que apresentou substitutivo, aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O parlamentar ressaltou ainda que a construção do projeto resultou da parceria entre a Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos (Feneis), professores, pais, surdos e assessoria de seu gabinete.

“Esse, sem dúvida, foi um dos projetos mais importantes que apresentei. Devido a sua importância, não encontramos qualquer resistência durante toda sua tramitação, seja na CLDF ou no Executivo. A luta agora é no sentido de tornar a Escola Bilíngue uma realidade já em 2013, uma vez que há professores e educadores capacitados para a implantação e gestão da Escola Bilíngue para os Surdos – Libras, como primeira língua de instrução, e Português escrito como segunda língua”, argumenta Wellington Luiz.

O QUE DIZ A LEI – A Lei institui no DF a Escola Pública Integral Bilíngue (Libras) e Português-Escrito, com o objetivo de oferecer a comunicação e o ensino em Língua de Sinais Brasileira – (Libras) e em Língua Portuguesa escrita. Define, também, que toda e qualquer comunicação e atividades pedagógicas da escola deverão ser realizadas em Libras e/ou Português-Escrito. Estabelece que a Escola Integral Bilíngue será implantada como projeto-piloto, observando-se os seguintes parâmetros básicos: Elaboração dos princípios pedagógicos e normas de funcionamento; Elaboração do projeto político-pedagógico; Definição do quantitativo e perfil dos profissionais que atuarão em cada área específica da instituição; e Definição dos critérios necessários para a seleção de profissionais.

Fonte: CLDF - 12/01/2013

foto

Inscrições são gratuitas e já podem ser feitas nas unidades do Gama, Taguatinga e Sobradinho

Estão abertas as inscrições do Programa Atleta do Futuro (PAF), destinado aos jovens de 6 a 17 anos. O programa, de iniciativa do Sesi-DF, tem por objetivo estimular o hábito da prática esportiva em crianças e adolescentes, utilizando o esporte como forte ferramenta de educação e, ainda, inclusão social. São, ao todo, 1,6 mil vagas gratuitas abertas nas unidades do Sesi-DF (Gama, Taguatinga e Sobradinho), nas seguintes modalidades: atletismo; basquete; futsal; ginástica rítmica; judô; voleibol; e natação.

Para efetuar a matrícula, os responsáveis pelo jovem devem portar, no ato da matrícula, CPF e RG pessoal; Certidão de Nascimento, RG ou CPF do menor; foto 3x4 atualizada e colorida; declaração de escolaridade; e atestado médico especificando a modalidade desejada.

Segundo Rafael Galvão, gerente de Lazer, Esporte e Cultura do Sesi-DF, é importante que os interessados procurem efetuar suas matrículas o quanto antes para conseguir vaga na modalidade desejada. Rafael ressalta, ainda, que nem todas as modalidades são praticadas nas três unidades do Sesi. “Em Taguatinga temos atletismo; basquete; futebol de campo; futsal; ginástica rítmica; judô e voleibol. Em Sobradinho, são oferecidas as modalidades de futebol de campo; natação; judô e voleibol. Já no Gama, os jovens podem contar com basquete; futsal; judô e voleibol”, finaliza.

O programa é totalmente gratuito. O Sesi-DF oferece infraestrutura de qualidade de suas unidades e custeia a contratação de profissionais, materiais esportivos, além de uniformes que são entregues aos alunos. Em contrapartida, a entidade cobra dos alunos que estejam devidamente matriculados em escolas pública ou particular e que tenham bom rendimento escolar.

O Departamento Regional do Distrito Federal começou as atividades do Atleta do Futuro ainda em 2008. O Sesi-DF atende, atualmente, quase 9 mil alunos no Programa.

As matrículas podem ser feitas das 8h às 12h e das 13h30 às 17h15.

Sesi Taguatinga
Endereço: QNF 24 Área Especial - Taguatinga Norte/DF
Fone: (61) 3355-9500

Sesi Gama
Endereço: Área Especial 1/8 Setor Central – Gama/DF
Fone: (61) 3484-9600 / 3556-4480

Sesi Sobradinho
Endereço: QD 13 Área Especial Nº 03 Lotes A/F – Sobradinho/DF
Fone: (61) 3487-8600


Suzana Leite
Unidade de Comunicação e Marketing (Unicom)
Serviço Social da Indústria do Distrito Federal (Sesi-DF)
Foto: Cristiano Costa

Fonte: Sesi-DF


Centros olímpicos (foto da Internet)

A Secretaria de Estado de Esportes abriu 6.225 vagas para mais de 20 modalidades esportivas nos nove centros olímpicos do Distrito Federal. A infraestrutura básica de cada complexo esportivo é composta por ginásio e quadra poliesportiva cobertos, parque aquático, vestiário, pista de atletismo, campo de futebol society, playground e campo de areia. As inscrições estão abertas. Segundo a coordenadora dos centros olímpicos, Ricarda Lima, as atividades mais procuradas são natação e futebol.

"Os estudantes da rede pública de ensino e a comunidade em geral podem se cadastrar. O atendimento no centro é feito por profissionais capacitados, o que auxilia no aumento do conhecimento intelectual, preparação física, elevação da autoestima e melhoria da qualidade de vida", destaca a coordenadora. Os centros trabalham com a atuação de professores de educação física, pedagogos, assistentes sociais, psicólogos e auxiliares.

Além das opções futebol e natação, as pessoas podem se inscrever para praticar futsal, handebol, vôlei, futebol de areia, hidroginástica, atividade orientada, basquete, tênis, atletismo, desenvolvimento motor, futebol society, ginástica rítmica, ginástica artística, tênis de mesa, caratê, ginástica localizada, capoeira e capoterapia.


Os complexos estão localizados em Ceilândia, Recanto das Emas, Brazlândia, Riacho Fundo I, Samambaia, Gama, Estrutural, Santa Maria e São Sebastião. A previsão é que mais três centros sejam inaugurados até junho deste ano em Sobradinho, no Setor O, em Ceilândia, e em Planaltina. "Atendemos, em média, 35 mil alunos e atingiremos 43 mil pessoas com mais essas três unidades", destaca Ricarda Lima.


Inscrições -
Para se matricular, é necessário ir, pessoalmente, das 8h às 12h e das 14h às 18h, à secretaria do centro olímpico mais próximo da sua casa. Não há prazo para encerramento das inscrições. O quadro de vagas é atualizado frequentemente, sempre no primeiro dia útil do mês. Na primeira etapa da matrícula, o interessado preenche uma ficha de inscrição com a modalidade escolhida. Em seguida, ele terá um prazo para entregar a documentação exigida:

- Atestado médico;
- Declaração escolar (no caso de crianças e adolescentes);
- Foto 3x4;
- Comprovante de residência;
- Termo de Compromisso fornecido pelo respectivo centro olímpico.

Quantidade de vagas disponíveis em cada centro olímpico:


VAGAS DISPONÍVEIS EM JANEIRO DE 2013


NÚMERO DE VAGAS

Brazlândia-1.025

Ceilândia- 631

Estrutural- 828

Gama- 512

Recanto das Emas- 486

Riacho Fundo I- 582

Samambaia- 819

Santa Maria- 537

São Sebastião- 805

TOTAL- 6.225
 

Fonte: Guardian Notícias