Os investigadores acreditam que Rooney da Silva Morais tenha sido o autor dos disparos contra João Miranda do Carmo, em Santo Antônio do Descoberto (GO). Ao pai dele coube a função de dirigir o carro na fuga

Da Redação do Metrópoles - 29/08/2016 6:58 


NILO RODRIGUES/DIVULGAÇÃO

Um segundo suspeito de envolvimento na morte do jornalista João Miranda do Carmo, em Santo Antônio do Descoberto (GO), foi preso pela Polícia Civil. Rooney da Silva Morais, 22 anos, é filho do servidor público Douglas Ferreira de Morais, 40, preso três dias após o homicídio.

Os investigadores acreditam que Rooney tenha disparado 13 tiros contra o jornalista. Ao pai, coube a função de dirigir o carro na fuga. O veículo usado pela dupla, um Fiat Palio, foi visto por testemunhas. O jovem foi preso na casa da avó, em Santo Antônio do Descoberto. Apesar das evidências, ambos negam a participação no homicídio.

O crime

João Miranda do Carmo foi assassinado em 24 de julho, em Santo Antônio do Descoberto (GO). O delegado Pablo Santos Batista acredita que Douglas planejou a morte de João para vingar o irmão, preso em fevereiro por homicídio. O jornalista publicou reportagens sobre o caso.

João fazia denúncias contra o governo do prefeito Itamar Lemes do Prado, adversários políticos e tráfico de drogas. Ele pretendia ingressar na política ainda este ano ao disputar uma vaga para vereador na cidade pelo PCdoB.

O enteado da vítima teria informado aos policiais que o padrasto sofreu diversas ameaças de morte por conta da profissão. No início deste ano, João teve o carro incendiado para que “parasse de tocar em certos assuntos”.

O jornalista estava em casa quando homens armados chegaram em um veículo vermelho e o chamaram no portão. Ao sair para atendê-los, eles atiraram. Os suspeitos fugiram e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas a vítima morreu no local.