Sex02272015

Last updateQui, 26 Fev 2015 8pm

Portuguese Arabic English French German Japanese Spanish

Sem receber, professores chamam vice-governador do DF de 'caloteiro'

Protesto ocorreu durante ação de combate à dengue e à febre chikungunya. Executivo se reúne com categoria nesta sexta para discutir situação, disse.

img
O vice-governador Renato Santana (de costas, de terno escuro) ouve queixas de professores durante evento no Gama (Foto: Raquel Morais/G1)

Professores da rede pública do Distrito Federal aproveitaram o lançamento da ação de combate à dengue e à febre chikungunya na manhã desta quinta-feira (26) para protestar mais uma vez contra a falta de pagamento do 13º salário e das férias. O vice-governador Renato Santana cedeu o microfone para um dos manifestantes dizendo que a pauta da categoria é também a do Executivo.

Representante da categoria, o professor de filosofia Kleber Ribeiro culpou o governador Rodrigo Rollemberg pela manutenção da paralisação, considerada ilegal pelo Tribunal de Justiça. Rollemberg faltou à cerimônia.

"Se não tiver o apoio do professor na sala de aula, esse evento é só para sair na mídia", disse. "O governador Rodrigo Rollemberg, diferente de todos os governos anteriores, não pagou os professores. A dívida de férias é do Rollemberg. Tem uma dívida de 13º salário que é do Agnelo [Queiroz, ex-governador], mas as férias são dele."

Durante o evento, membros do grupo de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da chikungunya, trocaram ofensas com os 50 professores presentes. O vice-governador chegou a ser chamado de "caloteiro" pelos professores. Santana pediu respeito aos manifestantes. Ele não comentou as outras declarações.

O vice-governador declarou que representantes do Executivo se reúnem com o sindicato da categoria nesta sexta para negociar a situação na Educação. Santana também disse que o impasse só pode ser resolvido por meio de diálogo.

"Nós não estamos no governo com a intenção de errar. [...] Eu também nunca tive o meu salário parcelado. Nós atravessaremos isso", afirmou

O evento ocorreu no Centro de Orientação Socioeducativo, no Setor Leste do Gama. O objetivo era lançar o "Dia D" contra as doenças e chamar atenção para as duas doenças e incentivar a população a reforçar medidas de prevenção que envolvem a eliminação de possíveis focos do inseto.

De acordo com o governo, o DF já tem 14 casos de dengue confirmadas no Gama neste ano. Em 2014 houve 90 ocorrências.

Leia matéria completa. Clique aqui!

Fonte: G1 DF

No DF: Consumidor consciente ganha desconto na conta de água

A medida atende a Lei Distrital nº 4.341, de 22 de junho de 2009 e a Resolução nº 06, de 5 de julho de 2010, da Adasa, e está sendo praticada pela Caesb pelo quinto ano consecutivo

imgA partir de março, a Caesb dará um bônus-desconto de 20% aos usuários que conseguirem reduzir o consumo de água em comparação ao mesmo período do ano anterior. Os clientes da Caesb que tiverem direito ao bônus receberão comunicado juntamente com a fatura deste mês...

A medida atende a Lei Distrital nº 4.341, de 22 de junho de 2009 e a Resolução nº 06, de 5 de julho de 2010, da Adasa, e está sendo praticada pela Caesb pelo quinto ano consecutivo. ...

Desde setembro de 2009, a Caesb encaminha no verso da fatura, informações da legislação que dispõe sobre o incentivo à redução do consumo de água no DF. Para 2015, a Caesb calcula que irá devolver um montante de R$ 9,5 milhões aos clientes.

O período de apuração do bônus-desconto é de janeiro de 2013 a dezembro de 2014. O bônus será concedido conforme o valor que o cliente tem a receber, de acordo com cronograma de devolução:

img

Cálculo

Neste mês, a Caesb vai encaminhar ao titular da conta, que reduziu seu consumo, um demonstrativo contendo:

volume economizado em metros cúbicos no período de apuração;

volume básico de cálculo do bônus-desconto em metros cúbicos;

tarifa inicial da categoria, em reais por metro cúbico vigente na data; 

valor do bônus-desconto em reais e a forma de concessão do bônus. 

O valor será calculado multiplicando a tarifa inicial da categoria em que o usuário está enquadrado, por 20% do somatório dos volumes mensais economizados no período de 12 meses de apuração.

img

Como calcular

O cliente B, de tarifa comercial, consumiu em março de 2013 116m³, em março de 2014, o consumo foi de 90m³. No caso, a economia realizada foi de 26m³. O bônus-desconto prevê 20% desta economia realizada, sendo portanto, 5,2m³. Para obter o valor em reais do bônus, deve-se multiplicar o 5,2m³ pelo valor da tarifa, que é de R$ 5,64. O bônus a ser concedido será de R$ 29,32.

Fonte: Jornal de Brasília - 24/02/2015 - - 14:19:40

Eleitores saudosos

img

Com tanta crise, tem gente achando que o ex-governador Arruda é a solução para sair do buraco.

Fonte: Blog Eixo Capital - 24/02/2015

No DF: Em frente ao Buriti, cerca de 9 mil professores ameaçam greve

Em frente ao Buriti, categoria exige pagamento de débitos atrasados

Devido à assembleia e reuniões de negociação com o GDF, alunos da rede pública não devem voltar a ter aulas nesta imgsegunda-feira (23). Docentes exigem pagamento imediato de 13º e férias. Por volta das 12h, grupo ocupou as seis faixas do Eixo Monumental.

Revoltados com a falta de repasse de pagamentos de 13º salário, férias e rescisão contratual para temporários, professores se reúnem em frente ao Palácio do Buriti na manhã desta segunda-feira (23), data marcada para o início das aulas na rede pública de ensino. Segundo o tenente-coronel Vasconcelos, responsável pelo 3º Batalhão da Polícia Militar, há de 8 a 10 mil pessoas no local. Por volta de 12h, os professores ocuparam todas as faixas do Eixo Monumental. Para os motoristas que passam pelo local, a Polícia Militar fez um desvio na altura do Tribunal de Contas do Distrito Federal...

O impasse entre o Governo do Distrito Federal e os professores afeta os cerca de 460 mil das escolas públicas, e a previsão do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro-DF) é que praticamente 100% dos docentes tenham aderido à paralisação. A expectativa do sindicato é que nenhuma escola retome as atividades nesta segunda-feira.

Por volta das 12h, o grupo ocupou as seis faixas do Eixo Monumental

A assembleia dos professores, marcada para as 10h, foi adiada, já que representantes dos educadores entraram em reunião no gabinete do governador há cerca de 40 minutos para negociar a situação. As principais reivindicações são pagamento do 13º salário e das férias não recebidas de forma integral, bem como a rescisão contratual de professores temporários.

Representantes do Sinpro e do GDF estão reunidos há pouco mais de uma hora, mas ainda não há novidades sobre as negociações. Segundo o sindicato, caso não haja acordo, paralisação e greve devem ser temas votados na assembleia que deve ocorrer em seguida

Motoristas têm que desviar já que professores ocuparam as seis faixas do Eixo Monumental

Impasse

Segundo o diretor-geral do Sinpro-DF, Samuel Fernandes, a categoria exige o pagamento imediato, enquanto o governo propõe parcelar o pagamento dos débitos até julho. “Nossa intenção é começar o ano letivo com todos os débitos pagos”, diz. Ainda de acordo com Fernandes, nenhuma escola terá aulas nesta segunda-feira.

Marye Ferraz, 46 anos, professora no Centro de Ensino Médio Setor Leste, conta que, em 14 anos de trabalho na rede pública, essa foi a pior situação que já enfrentou. “Ainda não recebi as férias integralmente, só um terço delas, e não recebi nada do 13º”, reclama. Para se manter durante o período, ela revela que pegou dinheiro emprestado com a mãe. “Muitos colegas estão passando por dificuldades financeiras.”

Flávia dos Santos: sentimento de frustração

Flávia dos Santos, 33 anos, pedagoga na Escola Classe 411 Norte, se sente frustrada com a situação. “O que eu sinto é frustração. Foi um descaso e um desrespeito do governo com a categoria anunciar o parcelamento das férias e do 13º salário durante o recesso. Eu acredito que o movimento sindical é melhor maneira de pressionar o governo a atender as nossas reivindicações."

Apesar de lamentar a situação dos alunos, o professor de matemática do Centro de Ensino Fundamental 4 de Planaltina Rodrigo Gomes Souza, 29 anos, disse que votará pela greve caso o governo não aceite a proposta do Sinpro. "Pensando no bem-estar dos estudantes, é melhor que a greve comece agora do que no meio do ano", conta. Sem receber férias e com o salário do mês de janeiro atrasado, Rodrigo teve que entrar no cheque especial e pegar um empréstimo para arcar com custos de aluguel de moradia.

Jair Rodrigues, professor do CED 1 do Riacho Fundo 2: "Estou aqui para exigir meus direitos"

Jair Araújo, 43 anos, professor de artes cênicas no Centro Educacional 1 (CED 1) do Riacho Fundo 2 recebeu o 13º salário em novembro, mas ainda não ganhou pagamento referente a férias remuneradas. "Como sou solteiro, não tenho filhos e outras obrigações, e sou uma pessoa regrada, consegui me manter, mas sei que para outros colegas a situação está bem pior. Estou aqui para exigir meus direitos", contou.

Calendário

As aulas da rede pública estavam marcadas para começar em 9 de fevereiro desde a gestão Agnelo. Com dificuldades de caixa e gestão, o governador Rodrigo Rollemberg adiaram a data para 23 de fevereiro.

Fonte: Por Kelsiane Nunes /Especial para o Correio. Foto: Kelsiane Nunes/Esp. CB/D.A Press - 23/02/2015 - - 14:06:44

Comunidade se reúne com a Administradora do Gama

img
A Administradora Regional Maria Antônia, ao centro, recebe líderes comunitários do Gama

Fórum Comunitário se reúne com a Administradora do Gama e apresenta demandas da comunidade

A Administradora Regional do Gama, professora Maria Antônia, recebeu a Mesa do Fórum Comunitário e de Entidades do Gama, FComGama, na tarde desta quinta, 19, para uma reunião na sede da Administração Regional da cidade. Além da Mesa do Fórum, participaram os Facilitadores Comunitários e os mediadores da mesa, além de representantes da administração e do site Gama Cidadão.
 
A iniciativa da reunião foi de Maria Antônia, com o objetivo de conhecer as demandas da comunidade, ali representada pela Mesa Mediadora.
 
Sobre o FComGama
O Fórum Comunitário e de Entidades do Gama - FComGama reúne: cidadãos, cidadãs e entidades da sociedade civil organizada da cidade como membros participantes.
 
O Fórum é apartidário e não tem como objetivo fazer oposição, ou alinhar-se, ao poder público. Tem como tarefa oferecer ao governo as reivindicações da sociedade, apresentadas nas plenárias realizadas regularmente e, além disso, acompanhar as ações do governo para o atendimento das mesmas. Deve ainda manter seu caráter de isenção, de imparcialidade e de responsabilidade junto à comunidade gamense.
 
Essas plenárias são realizadas com o objetivo de promover o debate entre cidadãos e cidadãs, lideranças comunitárias, entidades e o Poder Público, para a busca do desenvolvimento estrutural, social e sustentável da cidade do Gama.
 
O debate com Maria Antônia.
Os representantes do Fórum Comunitário do Gama foram muito bem recebidos pela Administradora da cidade e por sua assessoria, que se mostraram dispostos a ouvir e debater as possibilidades de soluções das demandas apresentadas pelo Fórum. A administradora disse que uma de suas prioridades era o Parque Urbano e Vivencial do Gama, PUVG.  Ela consultou o grupo quanto a intenção de algumas pessoas em pedir que as obras iniciadas no governo anterior sejam embargadas. Maria Antônia ponderou que já foram aplicadas uma boa parte de verbas públicas e que, o embargo das obras, seria mais prejuízo para os cofres públicos, obtendo a concordância do grupo. Disse também que as verbas destinadas para a conclusão do campo de futebol sintético estão bloqueadas pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal, TCDF, por força da Lei de Responsabilidade Fiscal.
 
Para Maria Antônia a participação do  FComGama, como parceiro da administração, é muito importante para ajudar nas ações já agendadas pelo gestor público como, por exemplo, realização de seminários para debater questões específicas da cidade, a reivindicação junto à parlamentares do Distrito Federal de emendas para obras na cidade, o acompanhamento dessas emendas para que realmente sejam destinadas ao Gama, entre outras. Citou ainda que outra  prioridade de sua gestão será a revitalização do Cine Itapuã, mas que para isso seja possível, precisará do esforço de todos para que as emendas parlamentares sejam viabilizadas no primeiro semestre de 2015. Reforçou que vai buscar apoio de todos o parlamentares de Brasília, independente de qual partido político representem, ampliando o slogan do FComGama, "o meu partido é o Gama".
 
A urbanização de várias áreas da cidade, bem como a ampliação de diversas vias, também estão pautadas na agenda de obras da administração, como a Avenida dos Pioneiros e as quadras pares do setor Sul. Ela demonstrou preocupação com os comerciantes do galpão que fica na Rodoviária do Gama, porque eles não foram contemplados pelo projeto de reforma da rodoviária, feito no governo anterior, segundo ela, aquele galpão deve ser reformado também. Propôs também ao grupo que as verbas disponíveis para implantação de novos Pontos de Encontro Comunitário, PECs, sejam destinadas para a construção de creches, sendo que a primeira delas seja construída entre o Centro de Ensino Fundamental 15 e o Centro de Ensino Médio 3, no setor Sul. Para Maria Antônia alguns PECs poderiam sem implantados em áreas próximas as escolas da zona rural.
 
Uma discussão mais acalorada aconteceu entre membros dos dois grupos, motivada por divergirem ideologicamente, mas que foi rapidamente contornada pelos mediadores presentes, que lembraram e todos que, naquele campo, não cabia a defesa de posições ideológicas e partidárias, mas a defesa dos interesses da população da cidade.
 
Muitos participantes da reunião colaboraram com o debate, como o líder comunitário Valdeci, que acredita na capacidade do grupo sensibilizar o gestor público para que acate as carências da cidade, antes de fazer oposição. Para Fávio Pinheiro o FComGama "não deve ser base de oposição ou de apoio ao governo. Devemos deixar de lado a questão ideológica e partidária", disse Flávio.
 
Outro líder comunitário, Luiz Maurício, parabenizou Maria Antônia e entende as dificuldades que ela está enfrentando, principalmente com a falta de servidores mas que "moralizar a gestão pública e atender a comunidade é mais importante", disse o membro do Comitê de Transporte da cidade. Luiz sugeriu a Maria Antônia que a fiscalização dos serviços prestados pelas empresas de transporte, seja feita pelo DFTrans e não pelas próprias empresas.
 
Já Márcio Carneiro demonstrou preocupação com a política de "Estado mínimo", adotada pelo GDF. Segundo ele a administração precisaria de, no mínimo, 200 cargos comissionados para que seja prestado um serviço minimamente satisfatório à população, porque o servidor concursado não realiza as tarefas de ponta. Marcio disse que é impossível prestar um bom serviço com um quadro de 50 cargos comissionados, enquanto que em dezembro de 2014 existiam 150 deles. Finalizou dizendo que "esse discurso panfletário do governo em reduzir pessoal, prejudica inclusive a economia local", referindo-se as pessoas que poderiam ser contratadas pelo GDF e que, naturalmente, fariam compras na cidade.
 
O morador da área rural, Hérmanos Machado, pautou para a administradora 5 pontos críticos da região e reivindicou prioridade na solução dos problemas, sendo eles:
  • Asfaltar todas as estradas da área rural
  • Asfaltar a DF 180
  • Posto de saúde, que já está com o terreno e verbas para construção liberados
  • Asfalto para o Serra Dourada
  • Asfalto entre a DF 180 e a o Casa Grande, cerca de 7 km
  • Urbanização do Galpão do Produtor
Maria Antônia ouviu atentamente as reivindicações e disse que iria encaminhar as demandas. Quanto ao posto de saúde ela ofereceu ao líder comunitário instalar um posto policial, provisoriamente, para funcionar como posto de saúde e que irá viabilizar uma feira do produtor rural.
 
Para o jovem militante estudantil e também morador da área rural, Higor Alves, as principais necessidades da região são o transporte escolar para o ensino médio, asfalto para a Ponta Alta, renovação e ampliação da frota de ônibus e creches públicas.
 
Representando o site Gama Cidadão, Israel Ribeiro pontuou a importância daquela reunião, qualificando-a de "histórica". Segundo ele, até aquele momento, não tinha sido possível reunir representantes de tantos partidos políticos dispostos a trabalhar pela cidade e "a melhorar a vida do cidadão do Gama", disse Israel.
 
A administradora ressaltou que o grupo presente na reunião era o mais bem preparado para ajudar na administração da cidade, indicando os problemas que precisem ser solucionados, sugeriu também que o FComGama alinhasse as comissões temáticas com os núcleos gestores da administração, como forma de facilitar a identificação das demandas. Quanto ao GDF ter transferido para o Plano Piloto a responsabilidade de aprovar as licitações da cidade, justificou que foi para evitar o recebimento de propinas por servidores, sem dar mais detalhes sobre o assunto. Em certo momento ela disse que recebeu uma ligação do deputado federal Augusto Carvalho (SD/DF) e que ele teria pedido para ela consultar o grupo quanto a destinação de R$ 5,8 milhões disponíveis para serem aplicados na área da Saúde do Gama. A proposta do deputado foi a de que o grupo deveria escolher se o dinheiro será aplicado no Hospital Regional do Gama, HRG, ou na construção de uma Unidade de Pronto Atendimento, UPA. Por unanimidade a segunda opção foi a escolhida.
 
De um modo geral as opiniões foram de que todos deveriam se "desarmar" politica e ideologicamente, em um esforço de travar um diálogo franco e transparente em prol do Gama, entretanto, um ponto negativo precisa ser corrigido. As próximas reuniões devem ser agendadas com a Mesa do Fórum com antecedência e ter pauta definida previamente. No geral, a reunião foi considerada produtiva e que as próximas têm todas as possibilidades de obter sucesso, não só nas soluções dos problemas da cidade, mas no aprimoramento das relações.
 
Fotos da reunião. Clique aqui!
 
Por Joaquim Dantas
Fonte: Blog do Arretadinho - 20/02/2015
 

O Gama conquista mais uma importante vitória, 5 milhões para a saúde

É grande a expectativa para os avanços na melhoria da saúde no Gama. A administradora, Profa. Maria Antônia, recebeu durante uma reunião ocorrida no fim da tarde de ontem na sede da Administração, que contou com a participação do Gama Cidadão, Fórum Comunitário do Gama e Lideranças Comunitárias, a notícia de que o deputado Augusto de Carvalho conseguiu um aporte de R$ 5.000.000,00 para a saúde.  Essa que foi recebida com alegria por todos os presentes.
No momento aproveitou-se para que fosse feita uma votação onde os presentes pudessem escolher qual a melhor destinação desta verba. Foi perguntado se ela seria destinada ao Hospital Regional do Gama ou se seria usada na construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. A escolha da maioria foi pela construção da UPA, visto que a atual estrutura do Hospital Regional não tem mais onde se possa mexer. A estrutura atual é antiga e já há um projeto em andamento para a construção de uma nova sede, mais moderna. Segundo alegação dos presentes a UPA é algo mais importante nesse momento e vai fazer com que a saúde no Gama tenha uma melhora significativa, inclusive com importante auxilio que será dado ao HRG.

Com essa notícia da verba, espera-se que o projeto da UPA seja concluído e a população possa usufruir de mais esse espaço voltado para a saúde na cidade. Agora é aguardar pelos encaminhamentos a serem dados pela Administração Regional juntamente com o Governo do DF.

Continuamos de olho!!!

Da redação do Gama Cidadão com colaboração de Lucas Lieggio.

Educação: A força dos sindicalistas. Professores faltarão ao 1º dia de aula

Eles querem que o GDF quite todas as dívidas com a categoria em parcela única

Previsto para começar na segunda-feira, o ano letivo na rede pública de ensino já está ameaçado. Docentes marcaram assembleia para esse dia e não descartam entrar em greve.

img"Tivemos um governo que não cumpriu com as obrigações e está causando problemas para todo mundo, mas a educação tem que ser prioridade" 

Vanessa Caroline Moraes Brito, mãe de Caroline Moraes (ao fundo), estudante do 3º ano.

O primeiro dia de aula na rede pública de ensino do Distrito Federal não terá professores nas salas. O sindicato da categoria marcou para 23 de fevereiro — início do ano letivo — uma assembleia para discutir se entrará em greve. Segundo o Sinpro, o governo local deve, ao todo, R$ 120 milhões em benefícios atrasados aos docentes e propôs quitar a dívida em parcelas até junho. ...

No entanto, representantes dos trabalhadores querem o pagamento à vista. Caso o Palácio do Buriti não apresente nova proposta, eles prometem nem começar as atividades nas escolas para atender aos 460 mil alunos matriculados.

Uma das alternativas do GDF para quitar os débitos é a aprovação da Antecipação de Receita Orçamentária (ARO), pelo Tesouro Nacional. A proposta passou pela Câmara Legislativa do DF, mas, por se tratar de uma operação de crédito, precisa do aval da União para se concretizar. O governo federal não tem prazo para dar a resposta, que pode demorar uma semana, um mês ou até ser recusada. “Marcamos assembleia para 23 de fevereiro justamente para discutir essa situação. O ideal seria o governo pagar tudo até o início das aulas ou, pelo menos, quitar as pendências o quanto antes. O calendário que prevê todos os pagamentos atrasados até o meio do ano não agrada à categoria (leia quadro)”, antecipa a diretora do Sinpro Rosilene Corrêa.

O início do ano letivo havia sido alterado em janeiro. Os alunos começariam os estudos em 9 de fevereiro, mas o governo adiou para 23, próxima segunda-feira. A intenção era reformar os colégios para receber os estudantes. “Somando a rescisão dos temporários, o adicional de férias e o 13º, a dívida chega a R$ 120 milhões. Muitos professores estão endividados, tiveram a programação com os filhos interrompida. Não vamos aceitar nada parcelado. Queremos integral, e um prazo concreto para recebermos”, completa Washington Dourado, também diretor do Sinpro.

O Palácio do Buriti, porém, afirma que depende do governo federal para alterar o calendário de pagamentos. “Se conseguirmos viabilizar a ARO, quitamos todos os benefícios atrasados de uma só vez”, ressalta o secretário-chefe da Casa Civil, Hélio Doyle. Caso a União não ceda, o parcelamento fica mantido. “Se, em algum mês, houver um incremento maior que o esperado no caixa do DF, tentaremos antecipar a quitação dessas dívidas. Mas não temos como dar garantia de que isso vá ocorrer”, avisa.

Nesses casos, ele explica que botar em dia o 13º salário daqueles que fizeram aniversário em dezembro (uma parcela do benefício é paga no mês do aniversário do servidor) é uma das prioridades. “Quem nasceu em novembro recebeu e quem nasceu em janeiro também, pois decidimos não atrasar nenhum benefício no nosso mandato. Portanto, esse benefício que não foi pago pela gestão anterior realmente representa uma injustiça para os aniversariantes de dezembro”, diz.

Prejuízos

Enquanto isso, a estudante do 3º ano do ensino médio Caroline Moraes, 17 anos, está apreensiva. Matriculada no Colégio Paulo Freire, na Asa Norte, ela se sente em desvantagem para disputar o vestibular. “Não estamos perdendo só para a rede privada de ensino; as aulas do Colégio Militar de Brasília, que também é público e entra na disputa pelo sistema de cotas, já começaram”, afirma. Em um momento decisivo para o ingresso no ensino superior, para não ficar tão para trás, ela se matriculou em um cursinho preparatório. “É para suprir a carência da escola. Eu me sinto em desvantagem. As aulas já vão começar atrasadas, agora é rezar para não ter greve”, diz.

A mãe dela, Vanessa Caroline Moraes Brito, 36 anos, entende as reivindicações dos professores, mas lamenta o prejuízo para a filha e os outros estudantes. “Eles estão prestes a fazer o vestibular. Tivemos um governo que não cumpriu com as obrigações e está causando problemas para todo mundo, mas a educação tem que ser prioridade”, acredita. Além de não querer greve, a comerciante tem outra preocupação. “O maior problema não está só nas paralisações, mas na falta de professores. Se as escolas conseguirem cumprir o conteúdo programado, será muito bom.”

Ingresso

Sancionada em 2012, a Lei Nº 12.711 garante reserva de 50% das vagas de universidades e institutos federais para alunos que concluíram todo o ensino médio na rede pública de ensino. A lei de cotas começou a ser aplicada em 2013 com a reserva de 12,5% das oportunidades aos estudantes. A implantação é progressiva e só alcança o percentual máximo — 50% — em 2016.

A força dos sindicalistas

O interesse de políticos na atividade sindical é inevitável. No caso dos professores, são 32 mil associados à entidade, uma parcela do eleitorado que, unida, conseguiria eleger até três distritais. Assim, em época de eleição para a diretoria do sindicato, influentes políticos participam, nos bastidores, da disputa. Historicamente — e hoje em dia não é diferente —, o PT tem o comando do Sinpro. 

Diante disso, integrantes do alto escalão do Palácio do Buriti analisam que as ameaças de paralisação têm o dedo da sigla adversária, interessada em prejudicar o partido que a derrotou no último pleito. Diretores do sindicato, porém, negam que estejam agindo por represália. Segundo eles, quando o PT governou o DF, entre 1995 e 1998, houve a maior paralisação da história, de 79 dias. Foi no último ano do mandato de Cristovam Buarque, que concorria à reeleição. A greve atrapalhou a campanha do então petista, que acabou derrotado por Joaquim Roriz. Na gestão de Agnelo Queiroz (PT), os docentes também fizeram uma greve longa. Cruzaram os braços por 52 dias. “Quem fala que estamos agindo contra o governo quer encontrar uma forma de mudar o rumo do debate. O Estado é quem nos deve, não o Agnelo ou o Rollemberg”, argumenta Rosilene. 

Outro impasse que pode atrapalhar a relação entre o Palácio do Buriti e os professores é uma pauta com 111 reivindicações do Sinpro. No momento em que o GDF admite a possibilidade de rever aumentos concedidos pelo governo anterior, um dos pedidos do Sinpro é de aumento salarial. A gestão de Agnelo Queiroz (PT) concedeu e a Câmara Legislativa aprovou 37 reajustes a diferentes categorias, que passam a valer até o fim deste ano. Dois deles serão para o magistério e um terceiro, para a carreira de assistente em educação, que representa um impacto anual de R$ 227 milhões no caixa do DF. “Temos um dos salários mais baixos e a importância do professor na sociedade é única.” (MT e MA)

Fonte: Por Matheus Teixeira e Manoela Alcântara, Correio Brasiliense - 19/02/2015 - - 09:24:10

Senador Hélio José participa de reunião com empresários no Gama

img

O Senador Hélio José (PSD/DF), junto da sua esposa Edy Mascarenhas, estiveram reunidos com empresários e o secretário de Economia e Desenvolvimento Sustentável do DF, Arthur Bernardes, na noite da última quinta-feira (12) no restaurante Cozinha Brasileira. O estabelecimento fica no Setor Industrial da cidade. O objetivo foi ouvir as reivindicações e trazer o governo para tratar de assuntos de interesse dos micros e pequenos empresários.

O Senador comprou a briga em defesa do setor produtivo, segmento da sociedade que é um dos quatro eixos de trabalho do seu mandato. Além do apoio aos micro e pequenos empreendedores. Para o Senador, um setor que responde por 40% da massa salarial brasileira tem que ter um defensor de suas reivindicações. “Eu me predisponho em colocar meu gabinete à disposição dos micro e pequenos empreendedores, já que é a boa produtividade no setor que mantém o bom desempenho da economia brasileira” defende Hélio José.

O Presidente da Associação das Micros e pequenas Empresas do Gama, José Pimenta (Zuza), apresentou todas as reivindicações do setor e pediu a atenção para que chegasse urgente ao conhecimento do governador.

Eis abaixo algumas das reivindicações:

  1. Conclusão de infraestrutura da segunda etapa do Pró-DF;
  2. Iluminação publica;
  3. Instalação de rede telefônica;
  4. Rondas ostensivas dos militares do Posto da Polícia Militar da (IFB);
  5. Abertura de incentivo e expansão para dois ou mais empreendimentos estabelecer-se na cidade.

Após a reunião, um jantar foi servido aos convidados. Entorno de 80 pessoas compareceram entre empreendedores, familiares e visitantes.

Estiveram presentes na reunião o subsecretário da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE), Itamar Lima, a diretora Professora Zelma, o Vice-Presidente da Associação dos Micros e pequenos Empresários do Gama, Zé Mario, Zezinho Frazão, um dos precursores do projeto Pró-DF, Secretária de organização Lilia Santana, Antônia da Mata, Alaor de Alcântara,Raul,FERRAGENS, Luciano, BUSCAR, Samuel, José Mário, ACADEMIA NO LIMITE, Zé Rodrigues, Jaime, MADEIREIRA RIO GRANDE, Manoel, MM ESCAPAMENTO, Neyda, X-BIKE, Antônio Eudes, EM CASA MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO, entre outros empreendedores, seus familiares, pessoas da comunidade e visitantes.

Fotos do evento. Clique aqui!

Da redação do Gama Cidadão

Leia mais: Senador Hélio José fez o seu primeiro pronunciamento no Senado Federal

Foto mostra 5 bebês em um mesmo berço no Hospital do Gama, no DF

Equipamento era o único disponível no local; imagens são de quinta-feira. GDF diz que problema não reflete realidade e que vai apurar o caso.

Imagens feitas por funcionários do Hospital Regional do Gama, no Distrito Federal, mostram cinco bebês recém-nascidos dividindo o mesmo berço, o único disponível no local. Segundo a autora das fotos, que não quis se identificar, a cena aconteceu na madrugada desta quinta-feira (12).

Em nota, a Secretaria de Saúde lamentou o caso e disse que apura as circunstâncias em que os bebês foram colocados no mesmo berço. A pasta também disse que a prática "não reflete a realidade das maternidades do DF" e as imagens estão sendo usadas para "denegrir o serviço de saúde pública de Brasília".

Em outra foto, bebês que precisam de cuidados especiais aguardavam atendimento ainda no centro obstétrico, por falta de vagas no berçário. As imagens também mostram quatro mães em trabalho de parto, que aguardam a cesariana em um banco de madeira. Outra mulher aparece deitada em uma cadeira e dá à luz fora da sala apropriada.

O subsecretário de Atenção à Saúde, José Tadeu Palmieri, visitou o hospital nesta sexta (13). Na ala obstétrica, com capacidade para 10 pacientes, havia 35 mulheres internadas. Materiais básicos como seringas e medicamentos não estavam disponíveis.

Em entrevista nesta quinta (12), ele afirmou que seria necessário liberar o pagamento de horas extras e a contratação de concursados para resolver o problema. "Está dependendo da decisão do governo. Nós temos um concurso vigente aí, mas depende do orçamento. Como os senhores sabem, estamos no limite, né?", diz.

Segundo Palmieri, as más condições de trabalho também dificultam a atuação dos profissionais que já estão na rede pública. "O salário está mais ou menos ajustado ao mercado. Hoje, o problema é melhorar a condição de trabalho e dar ais confiança ao nosso profisissional."

Rede em crise
Segundo o GDF, a superlotação no Gama foi causada pelos problemas no Hospital Regional de Santa Maria, que passou uma semana virtualmente interditado. Apenas um médico atendia na área obstétrica da unidade. Os outros profissionais são terceirizados e não recebiam salário desde agosto.

O GDF conseguiu na Justiça adiar a nomeação de médicos de carreira e estender o contrato com temporários por 180 dias. Com isso, a Saúde previa a normalização do atendimento para esta quinta-feira (12) e retomada dos 400 partos mensais, desafogando outros hospitais da rede pública.

img

Imagens divulgadas no início da semana mostravam recém-nascidos usando incubadoras quebradas e dividindo o mesmo equipamento com outros bebês no hospital de Ceilândia. As imagens revelam que gestantes aguardavam o trabalho de parto em cadeiras de madeira fora do centro obstétrico e que mães ficavam em cadeira de rodas para amamentar os filhos, e não em leitos destinados ao repouso.

O último concurso da Secretaria de Saúde foi realizado em setembro, com 1.662 vagas para diversas especialidades. Os 2.760 candidatos aprovados podem ser chamados até 8 de dezembro de 2016, de acordo com a ordem de classificação no processo seletivo.

Fonte: G1 DF - 13/02/2015 22h36 - Atualizado em 13/02/2015 22h36

DER-DF: Confira as alterações no trânsito das rodovias distritais para o feriado de carnaval

Em função do feriado prolongado de Carnaval, três importantes rodovias distritais sofrerão alterações no trânsito

imgA DF-003 (descida do Colorado) não contará com a faixa invertida nos dias 16 e 17 de fevereiro, voltando à operação apenas na quarta-feira (18), no período da tarde (17h30 as 19h45).

A DF-095 (Estrutural) não terá a inversão de tráfego nos dias 16 e 17 de fevereiro, voltando à operação apenas na quarta-feira (18), no sentido Taguatinga à tarde (17h30 as 19h15).

Já o tradicional Eixão do Lazer, operação que fecha a DF-002 (Eixo Rodoviário Sul / Norte) das 06h às 18h aos domingos e feriados, terá o seu horário de abertura para carros prorrogado apenas no Eixo Sul, tanto no domingo (15), quanto na terça-feira (17), quando blocos de rua ocupam a rodovia. ...

O horário da reabertura para o tráfego de veículos no Eixo Sul não está estabelecido, sendo 06h da manhã do dia seguinte o horário limite.

A Superintendência de Trânsito DER/DF esclarece que as alterações não deverão prejudicar o trânsito nestes locais devido à diminuição de veículos durante o carnaval.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social-DER/DF - 13/02/2015 - - 14:10:35

No DF: Estagiários estão com salários atrasados

Só após esta análise, os pagamentos poderão ser efetuados

img

Pelo menos 2.775 estudantes que têm vínculo de estágio com o Governo do Distrito Federal estão sem receber os salários desde dezembro. De acordo com a Secretaria de Gestão Estratégica e Desburocrtização, a dívida já soma mais de R$2,8 milhões.

Os contratos dos estudantes são vinculados ao Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) e, segundo o governo, cada um deles está sendo analisado pela nova equipe de governo.

Contudo, ainda não há prazo para que os depósitos sejam realizados .

Janeiro

Ainda de acordo com a Secretaria de Gestão Estratégica e Desburocrtização, os salários do mês de janeiro serão pagos tão logo a fatura seja encaminhada pelo CIEE. ...

O pagamento deveria ser realizado até hoje, mas, até o final da tarde de ontem, não havia garantias por parte do GDF que a parcela seria quitada.

Fonte: DestakDF - 11/02/2015 - - 15:39:09

Desligamento Programado - Pela CEB

ceb
Foto: Reprodução

Os consumidores que ficam sem energia durante os trabalhos das equipes da CEB-D são comunicados com antecedência por meio de carta. Veículos de comunicação também reforçam, diariamente, a informação.

Nos links abaixo você sabe se a localidade onde mora terá desligamento programado com dia, horário e os motivos do desligamento. Para mais informações ligue gratuitamente para o 116.

 

Quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Santa Maria
8h às 12h
Qr 316 Conj  A Lts 01 a 05, Conj E Lts 01 a 07, Conj F Lts 09 a 19, Conjs  G, I ao L, Totais; Qr 117 Conj E Lt 03.
Motivo: manutenção preventiva geral na rede com substituição de transformador.

Gama
13h às 17h
Acampamento  Dvo, Rua Samambaia, Rua Azaléias; Rua Das Rosa Lts 01 A 14; Rua Primavera  Lts Pares 02 a 14.
Motivo: manutenção preventiva geral na rede aérea de baixa tensão com substituição de transformador
 
Domíngo, 12 de fevereiro de 2015
 
Santa Maria
9h às 15h
CL  114 Lt D
Motivo: construção de rede de alta tensão e instalação de transformador.

Mais cidades veja no site da CEB. Clique aqui!
 
Informou no site da CEB DF
 
 

Padre cai em cova após terra ceder durante enterro no DF; polícia apura

Acidente foi no Gama; outras três pessoas caíram na vala, diz Polícia Civil. Empresa responsável pelo cemitério investiga causas do desmoronamento.

img
Cova localizada na quadra 8 do cemitério Campo da Esperança do Gama, no Distrito Federal (Foto: Isabella Formiga/G1)

Um padre, uma mulher de 50 anos e outras duas pessoas caíram na vala de uma sepultura do cemitério Campo da Esperança do Gama, no Distrito Federal, após a terra em volta do jazigo ceder, de acordo com a Polícia Civil. O acidente ocorreu durante um enterro na manhã do último sábado (7). Duas pessoas ficaram machucadas e foram levadas para o hospital com ferimentos leves. A 20ª DP investiga o caso.

Segundo a Campo da Esperança, concessionária responsável pelo cemitério, foram recolhidas amostras dos blocos de concreto usados na cova para análise. A empresa informou ao G1 que a quadra onde ocorreu o acidente foi uma das primeiras a ser construída e que, na época, o material que sustenta as covas era comprado de fornecedores.

Na ocorrência, registrada pelo padre no último domingo (8), ele afirma que durante o enterro realizado por volta das 10h20 do sábado, o solo da cova "repentinamente cedeu e quatro pessoas caíram dentro, inclusive ele". O G1 não conseguiu contato com as vítimas até a publicação desta reportagem.

A Campo da Esperança afirmou que, diferente do que consta na ocorrência, somente uma mulher caiu dentro do buraco. A empresa informou que a vítima foi transportada com ferimentos leves para o hospital com um carro disponibilizado pelo cemitério e que a concessionária "arcou com todos os custos do tratamento".

Segundo a empresa, a mulher foi medicada e liberada. A concessionária lamentou o ocorrido e informou que essa foi a primeira ocorrência do tipo no cemitério do Gama.

Fonte: G1 DF - 09/02/2015 11h46 - Atualizado em 09/02/2015 12h30

Portal Gama Cidadão