Gama Cidadão

Ter09162014

Last updateSeg, 15 Set 2014 8pm

Portuguese Arabic English French German Japanese Spanish

Casal suspeito de desviar R$ 3 milhões de instituição é preso no DF

Eles usavam recursos do GDF para despesas pessoais, diz Polícia Civil. Corporação investiga mais 15 pessoas e mais duas entidades assistenciais.

img

A Policia Civil do Distrito Federal prendeu na manhã desta sexta-feira (12) um casal suspeito de desviar R$ 3 milhões de convênios da Secretaria do Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest) com a Associação Casa da Criança Ana Maria Ribeiro (Criamar), em Ceilândia.

A fraude aconteceu entre 2008 e 2010 e foi descoberta depois que a secretaria desconfiou da prestação de contas da entidade, administrada pelo casal. Os suspeitos usavam notas fiscais frias para justificar os gastos.

Outras 15 pessoas, incluindo funcionários da instituição, estão sendo investigadas. A Polícia Civil também está apurando possíveis irregularidades em outras duas entidades assistenciais administradas pelo casal.

A Criamar atendia 55 crianças e também adolescentes e pessoas com deficiência física, em tempo integral. A creche foi fechada em agosto por determinação do juiz da Vara da Infância e Juventude. A investigação corre em segredo de justiça. As crianças do local foram transferidas pra outras entidades também conveniadas pelo GDF.

Segundo o delegado da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado Fábio Santos de Souza, os documentos mostravam compras de produtos incompatíveis com o perfil da creche. “Um dos casos que posso especificar é a aquisição de bebidas alcoólicas, que não tem nenhuma compatibilidade com o serviço que eles deveriam prestar.”

A partir da suspeita, as investigações apontaram que as notas fiscais eram falsas e que foram realizados diversos depósitos na conta bancária do casal. O convênio entre a creche e o GDF foi assinado em 2005. As contas de 2008 a 2010 foram reprovadas pela Sedest.

A investigação realizada pela Divisão de Combate ao Crime Organizado (Deco), da Polícia Civil, recebeu o nome de Íamo, referência ao filho do deus grego Apolo. Segundo a mitologia, Íamo foi abandonado pelos pais e alimentado por duas serpentes.

O casal está preso temporariamente por cinco dias. O homem é um policial militar aposentado, por isso será encaminhado para uma prisão da corporação. A mulher dele vai ser levada para a Penitenciária Feminina do Gama (Colmeia).

Para o delegado, é possível ressarcir o dinheiro público confiscando bens que o casal possui. “É possível que a gente consiga demonstrar que os bens que hoje eles têm em sua posse foram conseguidos por meio de desvios de recursos públicos”, afirmou.

Fonte: G1 DF - 12/09/2014 12h33

 

Dupla tempestade solar ruma à Terra e preocupa cientistas

Combinação rara de eventos solares pode afetar sinais GPS, comunicações por rádio e transmissões de energia. Impactos serão sentidos na sexta e no sábado

img

Uma rara explosão dupla de tempestades solares magneticamente carregadas vai atingir a Terra nesta sexta-feira, causando preocupações de que sinais GPS, comunicações por rádio e transmissões de energia possam ser interrompidos, disseram autoridades nesta quinta. Individualmente, as tempestades, conhecidas como ejeções de massa coronal, ou CMEs, não justificariam advertências especiais, mas o curto intervalo atípico e sua rota direta para a Terra levaram o Centro de Previsão Climática dos Estados Unidos (SWPC) a emitir um alerta.

Dado ao nível de intensidade geomagnética esperado, essas tempestades "poderão provocar problemas nas comunicações por rádio e sinal de GPS, assim como irregularidades na voltagem da rede de distribuição elétrica", disse Thomas Berger, diretor do centro. Os efeitos seriam mais sentidos nas regiões próximas aos polos, onde as interações com o campo magnético terrestre são mais fortes. "Nós não esperamos nenhum impacto incontornável à infraestrutura nacional, mas estamos acompanhando de perto", acrescentou Berger.

O Sol está atualmente no pico de seu ciclo de 11 anos, embora o nível de atividade esteja menor do que o típico para um pico solar. Tempestades como as que agora rumam para a Terra ocorrem entre 100 e 200 vezes durante um ciclo solar de 11 anos, explicou Berger. Para o cientista, a imprevisibilidade da dupla explosão solar exige uma maior preocupação. "O fato único sobre este evento é que nós tivemos dois em rápida sucessão e as CMEs poderiam estar interagindo em seu caminho para a Terra, na órbita da Terra ou além. Nós simplesmente não sabemos ainda", disse ele. O SWPC estima que os efeitos das tempestades ainda serão sentidos no planeta no sábado.

No lado positivo, os eventos solares devem provocar belas auroras nas regiões polares, incluindo o norte dos Estados Unidos e do Canadá.

Histórico – Em 2012, uma forte tempestade solar quase atingiu a Terra, colocando em sério risco todo o sistema de redes elétricas e ameaçando "reenviar a civilização contemporânea ao século XVIII", revelou a Nasa em julho. A agência espacial americana estima que o impacto de uma tempestade solar como a de 1859 – conhecida como "evento Carrington" – custaria à economia mundial dois trilhões de dólares e provocaria danos sem precedentes em um mundo inteiramente dependente da eletricidade e da eletrônica.

(Com agências Reuters e France-Presse)

Fonte: Revista Veja - 12/09/2014

Campeonato Brasiliense de Vela Adaptada acontece neste final de semana

img
Crédito: AMAVI/Divulgação

Nos dias 13 e 20 de setembro, será realizado o Campeonato Brasiliense de Vela Adaptada, no clube Cota Mil em Brasília. A disputa, organizada pela Federação Brasiliense de Vela Adaptada (FBVA), acontece em duas etapas e terá um total de 12 competidores. Os vencedores, masculino e feminino, receberão como incentivo duas bolsas atletas.

De acordo com o coordenador técnico da FBVA, Bruno Pohl, a iniciativa vai estimular os atletas a terem melhor rendimento e de buscar novos desafios. “Mais do que conquistar medalhas, é fazer com que os nossos atletas superem desafios. Nossa meta com a vela adaptada, modalidade voltada para pessoas com deficiência, é que elas possam praticar um esporte que contribui para melhor qualidade de vida. Também buscamos ampliar a divulgação da modalidade que cresce cada vez mais, e queremos promover uma conscientização e novo olhar da sociedade em relação às pessoas com deficiência, pois elas podem se superar a cada dia”, comenta.
O clube Cota Mil fica localizado no Trecho 2 – Conjunto 26/27 – Lote 2 – SCES Trecho 2 – Lago Sul, Brasília.

Fôlego para as pessoas com deficiência
O Núcleo de Vela Adaptada é voltado para pessoas com deficiência e oferece aulas teóricas e práticas, de terça a sábado, no período matutino. Começou em 2009, pela Federação Brasiliense de Vela Adaptada, vinculada a Confederação Brasileira de Vela Adaptada (CBVA) e filiada ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), e no ano de 2012, foi efetivada uma parceria com o clube Cota Mil e também com diversos voluntários que ajudam a manter o projeto. Em 2013, o núcleo ganhou o apoio de oito barcos, pela Agência Australiana para Desenvolvimento Internacional (Australian Agency for International Development – AUSAID), por intermédio da Embaixada da Austrália.

Bruno comenta que com a nova parceria firmada com a agência australiana, possibilitou o projeto ter dez barcos adaptados e dez barcos convencionais, e consequentemente, a demanda aumentou. Segundo ele, o núcleo vai ampliar novas turmas para período vespertino. Hoje, o projeto já possui lista de espera, que para os coordenadores estão incluídas nas metas estipuladas.

“É motivo de muita alegria, pois grande maioria de nossos alunos têm limitações, podendo ter o diagnóstico de doença rara ou neuromuscular, ou que tiveram algum acidente que causa paraplegia. Eles encontram no esporte uma oportunidade de recomeço. São indicados pelo Hospital Sarah Kubitschek, pelo Cetefe ou pela Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência, de Funcionários do Banco do Brasil com deficiência”, explica.

Portal em Pauta - Simone de Moraes 15:58:00 10/09/2014

 
 

 

Teste do BRT já custou R$ 12 milhões ao DF

img

Setembro é o sexto mês de testes do Expresso DF — modelo de transporte feito em ônibus articulados que circulam entre Gama, Santa Maria e Plano Piloto em faixas semi-exclusivas — e o governo segue sem saber quando o sistema vai operar plenamente.

Nesse período de testes, não está sendo cobrado nenhum tipo de tarifa dos usuários e a operação é paga pelos cofres públicos para a Viação Pioneira, dona dos veículos. Até o mês passado, segundo o DFTrans, autarquia que controla o setor de transporte, R$ 12 milhões já havia sido repassados à empresa para cobrir os custos. Ao todo, a obra custou R$ 648 milhões.

imgOs persistentes problemas na organização do embarque, as queixas por superlotação e a dificuldade do governo em fazer os passageiros aderirem aos cartões que possibilitarão a integração tarifária já cancelaram duas previsões para o início da operação comercial (30 de junho e 19 de julho).
Agora, o poder público evita previsões para o fim da gratuidade. “É claro que a maioria dos problemas aparece quando o sistema começa a operar, mas o tempo está se alongando e essa demora para efetivar coloca em evidência falhas no planejamento”, aponta o especialista em transportes e professor da Universidade de Brasília Artur Morais.

Em outras grandes capitais que estão adotando o sistema conhecido como BRT, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte, não houve testes sem cobrança de passagens.

Fonte: Jornal Metro Brasília - 09/09/2014

DF: Florada de ipês embeleza a paisagem

img

Os cerca de 70 mil ipês amarelos plantados no Distrito Federal estão no auge da floração, colorindo a paisagem de jardins e vias urbanas e encantando quem passa por perto.

Segundo a Novacap, a maior parte das plantas está concentrada no Plano Piloto, principalmente nas quadras residenciais das asas Norte e Sul, no Eixão, nos eixos W e L, no Setor Militar Urbano e no Octogonal. As árvores maiores, que chamam mais a atenção da população, foram plantadas no final da década de 1970. Mas a empresa faz plantio anual das espécies para garantir que os ipês continuem a embelezar a paisagem brasiliense no futuro. Só neste ano, serão de dez a quinze mil mudas de todas as cores plantadas.

No total, levando em consideração as árvores cujas flores apresentam outras cores, são 300 mil ipês plantados no DF. Segundo a professora de Engenharia Florestal da UnB, Carmen Regina Mendes, existe uma ordem para cada espécie florescer. "Tem uma sequência, um ciclo de floração. ...

As primeiras são as roxas, em julho, depois as amarelas, rosas e o branco, no final de setembro", explica a professora, lembrando que o período exato de cada árvore pode variar. "Algumas brancas, por exemplos, já estão aparecendo", conclui.

Fonte: Jornal Destak - 09/09/2014 - - 11:20:02

Confira a preparação para a festa de Independência: 30 mil são esperados

Esse é o público estimado pela Secretaria de Segurança Pública para a programação do 7 de Setembro, amanhã, na Esplanada dos Ministérios. Trânsito no Eixo Monumental será alterado a partir das 5h50

img
O desfile cívico tem início marcado para as 9h: o público poderá assistir à passagem das tropas em arquibancadas montadas à beira da Via N1 do Eixo Monumental

As comemorações do Dia da Independência em Brasília vão movimentar o centro da capital e alterar a rotina dos brasilienses. Em razão do desfile cívico, que está programado para as 9h de amanhã, o trânsito ao redor da Esplanada dos Ministérios vai ser desviado e, para garantir a segurança do público, um maior número de policiais estará nas ruas. A expectativa é de que 30 mil pessoas assistam às apresentações militares. O desfile será o longo da Via N1 do Eixo Monumental, na altura do Palácio da Justiça. A programação tem duração de uma hora.

As mudanças no trânsito vão acontecer ainda durante a madrugada. O fluxo de veículos será interrompido a partir das 5h50, com o fechamento da Via N1, na altura da L4 Sul, no ponto conhecido como o balão do presidente. Já a Via S1, no sentido contrário, será bloqueada na altura da alça leste da rodoviária a partir do mesmo horário. A passagem dos veículos só será liberada por volta das 11h30.

Os estacionamentos permitidos para quem for ao desfile cívico militar serão os da plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto e dos anexos dos ministérios, na Via N2. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, ao todo, serão mais de 5 mil vagas disponibilizadas ao público. No entanto, o estacionamento ao lado do Ginásio Nilson Nelson será destinado apenas aos veículos blindados das Forças Armadas que vão participar do desfile. Por essa razão, o espaço estará fechado para os motoristas. O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran) vai deixar à disposição dos órgãos de segurança guinchos e empilhadeiras que serão utilizados, caso haja desrespeito dos condutores.

Sem acrobacias

Um dos momentos mais aguardados do desfile cívico-militar pelo público, no entanto, não acontecerá este ano. A apresentação da Esquadrilha da Fumaça não será realizada neste Sete de Setembro em razão da troca de aeronaves. Desde o ano passado, os antigos Tucanos T27 foram substituídos por modelos modernos, os A-29 Super Tucanos. A Força Aérea Brasileira (FAB) ainda está em processo de adaptação dos aviões que são utilizados, inclusive, para missões de ataque e formação de piloto de caça. Mas, mesmo sem as acrobacias, a FAB garante que haverá passagem nivelada dos pilotos no desfile, com fumaça e movimentos no céu.


Apesar da mudança na apresentação da Esquadrilha da Fumaça, 2 mil militares do Exército, da Marinha e FAB vão desfilar no evento de comemoração ao Dia da Independência. Meia hora antes do desfile, às 8h30, está programada a apresentação da tropa de guarda militar. O show da pirâmide humana do Batalhão de Polícia do Exército, em que militares se equilibram sob uma única motocicleta, também está entre as atrações, além da apresentação de alunos de colégios militares. Ao todo, o desfile cívico vai contar com 100 carros blindados motorizados e 270 cavalos. Serão expostos, ainda, veículos lançadores de foguetes Astros 2020 e o blindado Guarani.

Fonte: Correio Brazliense - 06/09/2014 07:12

Samambaia: Reclamações e cobranças sobre aterro permanecem

A cerca de um mês do prazo estipulado pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU) para abertura do Aterro de Samambaia, o Ministério Público do DF ainda vê problemas no projeto. A Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Prodema) recomendou ao Instituto Brasília Ambiental (Ibram) que exija do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) o cumprimento das garantias ambientais condicionadas pela Licença de Instalação (LI).

img

O Prodema teria identificado a falta da previsão de uso dos gases gerados em conversão de energia e alertado para o “impacto social na área de implantação do aterro”. Segundo a Recomendação 8/2014,  é pedido que “a comunidade seja recompensada com projetos, programas e empreendimentos”. 

A comunidade   por sua vez, está desgostosa quanto à implementação da obra e os motivos são claros: possibilidade de mau cheiro, contaminação de nascentes e receio de que nasça um novo lixão, em substituição ao da Estrutural...

“O solo é úmido e há muitas nascentes. A impermeabilização não vai funcionar”, acredita o prefeito comunitário das quadras 800 e 1000, Délcio Pereira, 40 anos. Ele e a esposa, Sandra Gonçalves, cabeleireira, 45, moram na Expansão há cinco anos, beneficiados por uma seleção da Codhab.

“Depois de algumas manifestações, a Justiça chegou a parar as obras algumas vezes, mas a verdade é que não tem nenhum ambientalista do nosso lado”, diz Sandra, preocupada também com o  odor  emanado  pelo aterro. “Quando bate o vento para cá, já vem o cheiro da Estação de Tratamento de Esgoto da Caesb, aqui do lado”, ressalta.

Demora

Conforme mostrou o JBr. em reportagem de 5 de agosto, as obras do aterro deveriam ter sido concluídas em julho de 2013, mas a licitação sofreu com intervenções judiciais. “Existe uma ação civil pública da década de 1990, transitada em julgado em 2007. Desde então, os administradores sabem que deveria ser encerrado o Lixão da Estrutural”, contesta Marta Eliana Oliveira, da Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Prodema).

“O MP analisa que tipo de sanção vai recomendar. Quando você pensa em aplicação de multa, acaba afetando o erário, e o contribuinte pode pagar pelo administrador. Então estamos apurando responsabilidades. Queremos ver se houve crime ambiental e omissão”, diz a promotora.

Somente neste ano foram dois adiamentos. A primeira previsão   falava na abertura   em maio. Depois, o prazo de 2 de agosto, instituído pela Política Nacional de Resíduos Sólidos,  foi descumprido.

Novo lixão?

O casal de moradores Délcio e Sandra teme  que o aterro vire “um novo Lixão da Estrutural” por não acreditar  na capacidade de gestão do governo. “Já taquei tanto fogo nessa BR por causa disso. Já perdi as contas”, admite o prefeito comunitário. “Os caminhões vão sacolejar no trajeto e derrubar lixo pelas pistas e pela cidade”, prevê Sandra. Sobre os temores da população,  a promotora de Justiça Marta Eliana Oliveira acredita em fiscalização, inclusive por parte da comunidade, para evitar uma “segunda Estrutural” em Samambaia. “O resíduo que chega deveria ser compactado e coberto e nunca deve haver lixo a céu aberto. Não pode haver vetores de doença, urubus  nem catadores. Tem que ser uma operação limpa. A população deve ficar de olho e será responsabilidade da empresa que vai operar o aterro”, pontua.

Desapropriação de terras

O terreno destinado ao aterro, de 32 hectares, fica próximo à Escola Guariroba, cujos funcionários se disseram impedidos de dar entrevistas. Moradores do Núcleo Rural, nas proximidades do centro de ensino, no entanto, se preocupam bastante com o futuro da região, especialmente devido à derrubada de casas sob a justificativa da construção do novo empreendimento.

Uma das casas na chácara de Vicente Soares Marinho, produtor familiar de 60 anos, foi alvo da Agência de Fiscalização (Agefis) há cerca  de um ano. “Tenho contrato de concessão de uso deste terreno, que disseram ser inválido, mas eu continuo pagando impostos”, questiona. Além da possibilidade de perder a moradia, ele enxerga os mesmos problemas dos vizinhos Délcio e Sandra.

img

“O aterro vai prejudicar todo mundo aqui. Vai afetar a água, o parque ambiental. Não sei o que eles vão conseguir fazer”, teme Vicente. 

Ele diz haver uma cláusula no contrato que prevê a possibilidade de ceder o terreno à Terracap, mas mediante indenização. Em uma primeira avaliação, teria ouvido de técnicos que sua chácara vale R$ 60 mil, para sua indignação.

Revolta após perda de casa

A família da produtora rural Maria de Fátima Soares, de 26 anos, contou com a ajuda de um vizinho após ter sido retirada de sua residência, no Núcleo Rural de Samambaia. “Derrubaram minha casa, destruíram minha vida”, sentencia a mulher, órfã de pai desde o último dia 19 de agosto.

A produtora rural afirma ter nascido na antiga moradia e ter residido lá por mais de 25 anos lá, antes de receber a notificação da Agefis. “Inclusive derrubaram minha plantação, não deixaram nem eu colher”, reclama. Apesar da perda material, sua  maior dor é relativa ao recente falecimento do pai, que teria lutado na Justiça pela terra que acreditava ter direito, mas teria caído em depressão com o processo.

“Ele desenvolveu um câncer e não resistiu. Tenho certeza que foi por terem tirado nossa casa. Vou fazer justiça por ele. Quero um lugar para plantar minhas coisas, voltar à minha vida antiga”, revela. Fátima diz querer continuar a fazer plantio, atividade de sustento, e diz não ter interesse de morar em apartamento. “Quando ficamos sem lar quiseram colocar a gente em albergue. Eu quero uma casa nova”, disse.

O  Jornal de Brasília procurou a assessoria de imprensa do SLU, que colocou à disposição o diretor-geral Gastão Ramos para prestar os esclarecimentos. No entanto, devido a uma questão de agenda, não foi possível o contato com o representante do órgão. Os questionamentos enviados por e-mail não foram respondidos.

População merece ser informada

Segundo Gustavo Souto Maior, professor do núcleo de estudos ambientais da Universidade de Brasília (UnB), o principal problema é a falta de comunicação entre o GDF a a população. “Para ser construído, o empreendimento precisa de licenciamentos ambientais. Um estudo deveria ser mostrado em audiência pública para a população”, sugere.

O especialista afirma que “ninguém quer ter um local de tratamento de lixo do lado de casa”, então, a revolta é compreensível. “O problema maior é que a imagem do tratamento de lixo em Brasília é o Lixão, e a população de Samambaia não foi bem informada sobre o que seria o aterro”, opina.

“É preciso mostrar como um aterro funciona e como é feito em outros estados, para a população se conscientizar de como é uma coisa boa. O aterro vai acabar com a vergonha social e sanitária que é o Lixão e vai atrair empregos para aquela região da Samambaia”, avalia Gustavo, que pensa ser necessário haver melhor trabalho de divulgação em relação à campanha da Coleta Seletiva.

“É preciso saber as medidas para minimizar os impactos negativos e maximizar os positivos. Não devem falar à população com linguajar técnico, mas com um linguajar que o morador, sem obrigação nenhuma de saber os termos específicos, possa compreender”, afirma.

Saiba mais

Com o programa de Coleta Seletiva, houve aumento no número de materiais reciclados. De 4% passou para 8%, ainda 7% abaixo da meta de 15%, estipulada pelo próprio governador Agnelo, em fevereiro.

Fonte: Por ERIC ZAMBOM, Jornal de Brasília - 05/09/2014 - - 09:17:07

Distrito Federal: Indignidade política

img

Soa estranho que os candidatos a cargos eletivos na cidade não tenham se manifestado publicamente, até agora, contra as declarações de um ministro do STF que afirmou, alto e bom som, que o Distrito Federal não tem sequer dignidade para ter autonomia política. ...

O silêncio dos candidatos corrobora com significativa parcela da população que simplesmente se posiciona contrária à emancipação política de Brasília. A informação de que somente para a folha de pagamentos do pessoal o GDF despende mensalmente R$ 1,7 bilhão demonstra de forma cabal que, para o cidadão contribuinte, a representação política local, além de não resolver os principais problemas da sociedade, incorporou novos custos ao Estado. O que está em jogo aqui não é simplesmente a distorção dos valores políticos que levam pessoas, reconhecidamente na contramão da lei, a pretenderem cargos públicos. O que mais interessa ao cidadão é que para manter um aparato representativo hiperinflado nos Três Poderes, o preço pago, na forma de impostos vários, é altíssimo. Ao problema dos péssimos serviços prestados à população em saúde, educação e segurança, somam-se, agora, os custos exorbitantes para a manutenção de uma representação política, distante dos anseios comuns dos indivíduos. Representação política que o próprio ministro do STF classificou de rastaquera, ou seja, fuleira. Assim como no futebol,no qual por sua importância, o pênalti deveria ser batido pelo presidente do clube, na política, pela importância que ela tem para a vida de todos e de cada um, deveria ser exercida por pessoas comprovadamente idôneas e, por conseguinte, sem ônus para o cidadão. 

Fonte: Blog do ARI CUNHA - 02/09/2014 - - 07:54:18

Site ajuda eleitor a evitar ‘amnésia’ depois das urnas

img

O voto é um direito pessoal, intransferível e, às vezes, um segredo guardado a sete chaves, mas que rapidamente cai no esquecimento. Se achar quem lembre quais foram os candidatos do Legislativo ou Executivo escolhidos nas últimas eleições já é difícil, ainda é mais complicado encontrar alguém que tenha acompanhado o desempenho dos eleitos no exercício do cargo.

Os eleitores mais esquecidos ganharam um antídoto contra a “amnésia das urnas’. Trata-se do Newsletter Incancelável, um site gratuito que coloca à disposição boletins com as notícias mais relevantes dos políticos escolhidos. O boletim chega à caixa de e-mail com as informações que ganharam destaque nos meios de comunicação e nas redes sociais.

Para ajudar na escolha entre 24,9 mil concorrentes registrados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a ferramenta – que foi colocada no ar na semana passada– entregará boletins semanais até 5 de outubro.

imgIncancelável
O rótulo “incancelável” foi colocado para destacar a responsabilidade dos eleitores  com o mandato conquistado pelo político. A inspiração veio do próprio ato de votar. “Quando a gente exerce o direito de voto faz um ato democrático, que é incancelável. Via de regra, a mudança só ocorre a cada quatro anos. Você goste ou não”, explicou o sócio-fundador da ferramenta.

A ideia inicial, segundo os criadores do site, era auxiliar a população a se informar sobre o desempenho dos políticos e o cumprimento das promessas que tenham sido feitas nos palanques.

Para evitar que as informações sejam consideradas “spams” ou fiquem bloqueadas, conforme estabelece o Marco Civil da Internet, o cancelamento é possível, mas imitando práticas negativas como de cartão de crédito, tv a cabo ou telefonia celular. Ao contrário do cadastro simples, o eleitor precisará preencher até cinco etapas para excluir o boletim da caixa de correio.

Clique para acessar: http://newsletterincancelavel.com.br/

“A ideia é acompanhar o candidato que você votou pelos próximos quatro anos”, afirma João Paulo Cavalcanti, criador do site

Idealizador do projeto, o empresário espera que a ferramenta auxilie o eleitor.

Como surgiu a ideia?
Pensamos em ajudar no processo democrático auxiliando o eleitor a ter um voto consciente. A gênese da ideia é um pouco essa: você assina um newsletter com os seus candidatos e recebe as informações mensalmente, sem a possibilidade imediata de cancelar. Exatamente para colocar o cidadão na mesma posição do político.

Como funciona?
É  um produto personalizado. Faz uma varredura das notícias mais relevantes dos últimos 30 dias de cada candidato e o grau de importância é calculado por um algoritmo que revela os temas mais falados. O boletim considera a relevância da fonte: as mais acessadas têm peso maior.

Foi preciso flexibilizar o cancelamento?
A gente não quer tirar o direito das pessoas de não participar. Só que é muito difícil de cancelar. Quando a pessoa entra no processo de cancelamento, ela passa por uma jornada de quatro ou cinco passos até chegar ao objetivo. No meio do processo aparecem algumas mensagens, dando informações. Nossa intenção é fazê-la desistir de cancelar para viver a experiência proposta de acompanhar o candidato por quatro anos.

Já existem resultados?
Muita gente já agradeceu pelo serviço. Disseram que para governador, senador e presidente tinham candidato. Mas para deputado estadual e federal nem pensaram nas possibilidades. A newsletter forçou a pesquisar os nomes e a se informarem até escolherem.

img

Fonte: Jornal Metro - 1º de Setembro 2014

Ex-moradores de rua recebem certificados de capacitação em jardinagem

Alunos participaram das aulas durante dois meses no Gama para retornarem ao mercado de trabalho

img

BRASÍLIA (29/8/14) – Conseguir um emprego para retornar ao mercado de trabalho ficará mais fácil para onze ex-moradores de rua, que receberam os certificados do primeiro Curso de Jardinagem à População de Rua do Gama, nesta sexta-feira (29). Com duração de dois meses, a capacitação foi oferecida em parceria com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

"Morei na rua por treze anos. Cheguei à Brasília recentemente e consegui mais apoio. Há cinco meses fui recebido na Casa Santo André, onde me acolheram e, agora, me capacitei porque quero mudar de vida", contou Anderson Aquino da Silva, 41 anos, ao relatar que o seu grande sonho é retornar para família.

André, assim como quase todos os outros 10 estudantes que fizeram o curso no Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), são oriundos da Casa Santo André. A entidade, conveniada ao GDF por intermédio da Secretaria de Desenvolvimento Social e Transferência de Renda (Sedest), oferece moradia e outros benefícios para os novos moradores.

Outro aluno, o único que não estava em situação de rua, mas também tinha uma condição diferente, é Hélio Almeida Santana, 37 anos. Com problema mental leve, Hélio contou que superou todos os desafios para conseguir o seu primeiro certificado.

"Estou muito feliz. Além de conseguir me capacitar, fiz novas amizades. Só tenho a agradecer. Agora, é só trabalhar", afirmou, ao contar que pensou em desistir várias vezes. "O curso representa um grande avanço de vida para quem precisa trabalhar", completou a irmã gêmea de Hélio, Estela Almeida Santana.

ASSISTÊNCIA - A educadora Social de Rua do Creas, Thaís do Carmo Bento, lembrou que está prevista outro curso para outubro, dessa vez sobre artigos de bijuterias. Para informações, basta ligar na central de atendimento 156.

Segundo ela, o Creas oferece, ainda, outros serviços auxiliares para regularização de documentos, pendências judiciárias e para locomoção, como passagens interestaduais.

"O Creas é especializado em violação dos direitos, ou seja, no que se refere a pessoas com dependência química, desaparecidas, situação de rua, violência, abuso, abandono, entre outros casos", lembrou.

img

Galeria de fotos Clique aqui!

Agência Brasília - Sexta, 29 Agosto 2014 18:44

Gama recebe 26 ônibus novos

img

Veículos convencionais e articulados irão circular em duas linhas para Taguatinga

A partir deste sábado (30) 22 ônibus antigos da Viação Pioneira que circulam no Gama serão substituídos por 26 veículos da Viação Marechal. São 21 veículos convencionais e 5 articulados que farão as linhas 0.205 e 205.1, que vão para Taguatinga. Segundo o DFTrans, nove mil passageiros utilizam diariamente as duas linhas.

Segundo o DFTrans, a entrega faz parte do cronograma de renovação da frota do Sistema de Transporte Público Coletivo do Distrito Federal, e atende à reivindicação dos moradores das duas cidades.

"Resolvemos repassar as linhas à Viação Marechal por contarem com veículos novos, e em quantidade maior para atender a crescente demanda entre as duas regiões. Além disso, as linhas também atendem parte da demanda do Recanto das Emas e Riacho Fundo II. Esses passageiros terão todos os benefícios da renovação dos ônibus", ressaltou o diretor geral do órgão, Jair Tedeschi.

Os veículos da Viação Marechal - que são da cor laranja - possuem diversos itens adicionais de qualidade, como bancos estofados com apoio para a cabeça; aviso luminoso traseiro da velocidade do veículo e acessibilidade para pessoas com deficiência.

INTEGRAÇÃO - Com a entrega dos novos ônibus, os passageiros poderão usufruir da integração. Para usar o benefício basta o usuário portar um Cartão Cidadão, ou o cartão de Vale Transporte, além do Bilhete Único. Todos os cartões podem ser reabastecidos.

O passageiro poderá fazer até dois novos embarques, no período de duas horas, desde que no mesmo sentido da primeira viagem e que o veículo do primeiro embarque não tenha como destino final o mesmo ponto final do segundo embarque, o que não justificaria a troca de veículo.

O valor máximo da tarifa sempre será R$ 3 (somando os embarques), e nunca passará disso. O Cartão Cidadão pode ser adquirido nos postos do Sistema de Bilhetagem Automática (SBA) do Gama, Taguatinga, Sobradinho, Conic e Galeria dos Estados.

O Bilhete Único pode ser adquirido em todos os postos do SBA ou postos do BRB Conveniência. O valor da carga inicial é R$10, totalmente convertidos em créditos.

Agência Brasília - Sexta, 29 Agosto 2014 19:15

Até o final do ano, sete regiões do DF serão regularizadas

img

Até o final do ano, mais sete regiões do Distrito Federal serão contempladas com a regularização. Além de São Sebastião, com decreto da área central previsto para sair nos próximos dias, estão no cronograma unidades habitacionais localizadas em Planaltina, Santa Maria, Vicente Pires, Ceilândia, Sobradinho e Guará. Ao todo, serão beneficiadas com a iniciativa cerca de 250 mil pessoas.

Os setores residenciais que serão regularizados são Mestre D'Armas, Porto Rico, Pôr do Sol, Vicente Pires, trecho 3 do Sol Nascente, Buritis e Bernardo Sayão. Os últimos quatro passarão, em breve, por obras de infraestrutura, nesses locais, existem mais de 56 mil unidades habitacionais.

"Estamos vencendo as etapas finais das licenças ambientais e, após isso, teremos a aprovação da parte urbanística para encaminharmos para decreto. É importante ressaltar que acompanhamos esse processo até o recebimento da escritura para que a regularização tenha êxito e seja completa", afirmou o secretário-executivo do Grupo de Análise e Aprovação de Parcelamento de Solo (Grupar), Fernando Negreiros.

Entre janeiro de 2011 e julho de 2014, já foram regularizados um total de 26.214 unidades, em várias áreas do DF, como Sol Nascente (Ceilândia), Grande Colorado (Sobradinho II) Riacho Fundo II entre outros.

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab) montou um cronograma para atender os interessados em agilizar o processo para receber a escritura definitiva do imóvel a ser regularizado. No mês de agosto, serão atendidos moradores de Samambaia, Guará II e Candangolândia. As demais cidades ainda não têm previsão de atendimento.

Para receber a escritura, o morador originário - primeiro a ocupar a residência - deverá levar a seguinte documentação: RG; CPF; Certidão de Nascimento/Casamento (se for o caso); RG e CPF do cônjuge/companheiro(a). Já o morador que comprou a casa deve apresentar os mesmos documentos, além do comprovante de ocupação no imóvel nos últimos cinco anos.

O morador atual da residência pode somar o tempo total de uso do imóvel desde o originário. Para isso, é necessário apresentar o documento de Cessão de Direitos ou Procuração e comprovantes de ocupação em nome do ocupante anterior.

Fonte: Gazeta de Taguatinga

DF: Hospitais de Santa Maria e Gama terão voluntárias para ajudar gestantes

Secretaria de Saúde pretende ampliar o serviço voluntário das doulas para toda a rede pública.

As doulas atuarão nos hospitais do Gama e de Santa Maria.

imgTermina neste domingo (24) o 1º curso de doula voltado para as cidades de Santa Maria e Gama. A atividade é promovida pela SES/DF (Secretaria de Saúde) em parceria com a Rede pela Humanização do Parto e Nascimento (ReHuNa) e Matriusca, organização administrada por doulas.   

— Vamos capacitar mulheres da comunidade para que elas possam auxiliar as gestantes para um parto mais humanizado, tornando esse momento uma experiência acolhedora e amorosa, afirmou a colaboradora da ReHuNa, Marilda Castro. Foto: Divulgação...

Ela explica que essas mulheres atuarão nos hospitais do Gama e de Santa Maria. As doulas servem como cuidadoras e apoiadoras físicas e emocionais das gestantes em todos os ciclos gravídicos (pré-parto, parto e pós-parto). Coordenadora da Rede Cegonha no Distrito Federal, a médica Mônica Yassanã ressaltou que o curso fortalece um novo modelo de atenção, centrado na mulher.  

— A doula chega com uma tecnologia que salva vidas e diminui a mortalidade materna. O nosso objetivo é que todas as maternidades dos hospitais da SES tenham doulas comunitárias e que todas as gestantes tenham acesso ao serviço, detalhou Mônica Yassanã.  

Etapas

O curso possui cinco etapas. A primeira foi a das inscrições, onde foram ofertadas 20 vagas para a Regional de Santa Maria e 20 para o Hospital do Gama. A segunda compõe-se de palestra e entrevista com psicólogo.  

Já a terceira etapa é de desenvolvimento do módulo teórico e vivencial, com carga horária de 80h, seguido da prática supervisionada e posterior avaliação do projeto.  

As mulheres que concluírem as aulas terão de prestar serviço voluntário de 12h nas maternidades do Gama e de Santa Maria.

Fonte: Portal R7, com Agência Brasília - 24/08/2014 - - 21:15:55
Portal Gama Cidadão