Administrador de Águas Claras é preso acusado de corrupção

O grupo teria violado normas urbanísticas e ambientais em construções. De acordo com a polícia, também foi constada a concessão irregular de alvará.

img

A Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Deco) em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), deflagraram, na manhã desta quinta-feira (7/11), a Operação Átrio, que tem como objetivo prender os administradores de Taguatinga Carlos Alberto Jales e Carlos Sidney de Oliveira, de Águas Claras. O ex-vice governador do DF, Paulo Octavio Alves Pereira e outras dez pessoas também devem ser conduzidos à delegacia.

De acordo com as investigações coordenadas pela Deco (Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado), as administrações cobravam propina a empresários para liberação de alvarás de funcionamento e construção de estabelecimentos comerciais. Dezenas de empresários foram intimados a prestar depoimento, inclusive o ex-governador Paulo Octávio. 

As informações preliminares dão conta de que Paulo Octávio teria pago propina para o administrador de Águas Claras para obter a liberação de alvará de construção do Taguatinga Shopping. O empresário e político também é procurado pela polícia para prestar depoimento.

Segundo o delegado Alexandre Gratão, foram expedidos dois mandados de prisão preventiva, 15 mandados de busca e apreensão e pelo menos dez mandados de condução coercitiva a empresários que serão obrigados a prestar esclarecimentos.

Da Redação Gama Cidadão

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios