Alunos e professores de escola no Gama esperam há mais de um ano por reforma na escola

Tribunal de Justiça pediu a reconstrução, mas o prazo acabou e nada foi feito

s problemas na Escola Classe 22 Gama, região administrativa do DF, começaram a aparecer há pouco mais de dois anos quando surgiram as primeiras rachaduras e fios expostos. Na escola são atendidas 630 crianças de quatro a 11 anos de idade.

Após uma denúncia do Ministério Público, em junho do ano passado, o TJDFT (Tribunal de Justiça do DF e Territórios) deu prazo de um ano para que a Secretaria de Educação reconstruísse o colégio. Caso a decisão fosse descumprida, o GDF pagaria uma multa de R$ 5 mil por dia, mas a secretaria recorreu e o prazo foi estendido.

Reuza Durço, subsecretária de logística da Secretaria de Educação informou que o prazo foi prorrogado por falta de arquitetos e engenheiros no Governo, mas se comprometeu a licitar o projeto ainda esse ano.
— Estamos resolvendo o problema da Escola Classe 22, já temos o projeto arquitetônico pronto, estamos trabalhando neste momento nos projetos complementares e pretendemos terminar de licitar o projeto ainda esse ano.

Em agosto, uma equipe de engenheiros da secretaria visitou o local. Os profissionais admitiram ter encontrado problemas na escola, mas negaram que esses problemas colocariam em risco a vida de alunos e professores.

De acordo com a vice-diretora, o prazo para a reforma foi estendido até o dia 08 de março de 2013.

Assista ao vídeo: Clique Aqui!

FONTE: R7