Arruda lidera, mas pesquisa foi favorável a Rollemberg

img

O instituto O&P Brasil divulgou pesquisa de intenção de voto para governador do Distrito Federal (DF), que foi realizada de 16 a 20 de maio. A margem de erro é de 3,09% pontos percentuais. Foram testados 5 possíveis cenários. Nas simulações em que o ex-governador José Roberto Arruda (PR) aparece como candidato, ele está na liderança (ver tabela abaixo).

Em segundo lugar figura o atual governador e candidato à reeleição, Agnelo Queiroz (PT), seguido pelo senador Rodrigo Rollemberg (PSB), que também será candidato. Em quarto lugar, estão tecnicamente empatados Eliana Pedrosa (PPS), Toninho (PSOL) e Luiz Pitiman (PSDB).

Candidatos Cenário 1 Cenário 2 Cenário 3 Cenário 4 Cenário 5 Cenário com apoios*
Arruda (PR) 22,9% 23,9% 19,3%
Agnelo (PT) 15,8% 16,2% 17% 17% 17,2% 18,5%
Rollemberg (PSB) 8,7% 9,9% 12,6% 14,2% 14,1% 19,2%
Eliana Pedrosa (PPS) 5,4% 6%
Toninho (PSOL) 4,6% 5,1% 6,7% 7,2% 7,3%
Pitiman (PSDB) 4,2% 4,5% 5,9% 6,4% 6,3% 6,8%
Jofran Frejat (PR) 1,4%
B/N 32% 33,3% 43,2% 45,7% 41,4% 25,4%
Indecisos 6,4% 7,1% 8,6% 9,5% 12,3% 10,8%

*nessa simulação Roriz aparece associado a Arruda. Dilma e Lula associados a Agnelo enquanto Eduardo Campos, Marina Silva e Antonio Reguffe são vinculados a Rollemberg

Quando Arruda não aparece como candidato, sendo substituído por Jofran Frejat (PR), Agnelo e Rollemberg estão tecnicamente empatados em primeiro lugar. Apesar de José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz aparecem nas primeiras posições, a pesquisa não foi positiva para nenhum dos dois. O principal beneficiado da sondagem foi Rodrigo Rollemberg. Outro ponto importante de ser mencionado diz respeito ao elevado número de brancos, nulos e indecisos, que representa cerca de 1/3 do eleitorado.

Isso ocorre pelos seguintes fatores: 1) Agnelo e Arruda são os dois candidatos mais rejeitados (47,1% e 22,9%, respectivamente); 2) a sondagem apontou que ser ético e honesto é o atributo mais importante para o futuro governador (essa característica é citada como prioridade para 46,9% dos eleitores de Brasília), o que atinge negativamente a imagem de Arruda; 3) resolver os problemas da cidade (capacidade gerencial) foi citado como atributo importante por 22,3% dos eleitores, fato que atinge negativamente Agnelo.

O dado mais importante trazida pela pesquisa O&P e que beneficia diretamente Rodrigo Rollemberg (PSB), diz respeito aos apoios na eleição no DF.

Quando José Roberto Arruda (PR) aparece associado ao nome do ex-governador Joaquim Roriz (PRTB), sua intenção de voto cai de 23,9% para 19,3%. Agnelo Queiroz (PT), por sua vez, quando associado a presidente Dilma Rousseff (PT) e ao ex-presidente Lula (PT), oscila positivamente de 16,2% para 18,5%.

Já Rodrigo Rollemberg, quando associado ao deputado federal Antônio Reguffe (PDT), provável candidato ao Senado na chapa, e ao ex-governador Eduardo Campos (PSB) e a ex-senadora Marina Silva (PSB), sobe de 9,9% para 19,2%. Ou seja, Rollemberg registra um crescimento superior a 10 pontos percentuais, empatando tecnicamente com Arruda e Agnelo.

Conforme podemos observar, o apoio de Roriz não contribui para Arruda. Pelo contrário, tira votos do ex-governador. Dilma e Lula ajudam pouco Agnelo enquanto Reguffe, Eduardo e Marina são players estratégicos para alavancar Rollemberg na disputa ao Palácio do Buriti.

Nas simulações de 2o turno, Arruda venceria Agnelo (34,9% a 22,2%) enquanto Rollemberg venceria o atual governador (28,1% a 21,3%). Agnelo empataria tecnicamente com Pitiman (22,1% a 18,4%). Não foi feita simulação entre Arruda e Rollemberg.

Com o eleitorado demandando atributos de imagem como honestidade e capacidade gerencial, Arruda e Agnelo devem enfrentar dificuldades para expandir o potencial eleitoral. Rollemberg, por sua vez, tem uma espaço importante para ocupar no tabuleiro (terceira via entre Arruda e Agnelo).

Hoje, a tendência é que Arruda dispute o 2o turno contra Agnelo ou Rollemberg. No entanto, não pode ser descartada a possibilidade do ex-governador ficar de fora da disputa final, o que provocaria o embate entre Agnelo e Rollemberg. Embora a possibilidade seja remota, sem a candidatura de Arruda, poderia surgir um espaço para Pitimann ocupar no tabuleiro.

Assim, faltando cerca de 5 meses para as eleições, o quadro é de indefinição. No entanto, conforme podemos observar, há uma dificuldade para Arruda e Agnelo vencer a eleição caso não ocorra o embate direto entre eles num eventual 2o turno.

Na disputa ao Senado, o deputado federal Antônio Reguffe (PDT) está em primeiro lugar com 30,3% seguido pelo também deputado federal Geraldo Magela (PT), que tem 13,8%.

Em relação a disputa presidencial, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) aparecem empatados tecnicamente com 25,5% e 25,3%, respectivamente. Eduardo Campos (PSB), por sua vez, soma 17,3%, seguido por Randolfe Rodrigues (PSOL), que tem 2,7%.

Carlos Eduardo Bellini Borenstein
Analista Político da Arko Advice Pesquisas

Visão Nacional

Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios