Arruda: ‘Não é possível mudar a regra só no meu caso’

Arruda

Arruda acusa o TSE de mudar a regra de registro de candidaturas apenas para barrá-lo e deixa claro que vai brigar até o fim para se manter no páreo.

Candidato sem registro do PR acusa TSE de mudar forma de avaliar candidaturas só para barrá-lo e nega ter pedido a FHC que falasse com o ministro Gilmar Mendes (TSE e STF) sobre voto a favor. Arruda ainda diz descartar ação de aliados no vazamento de vídeos: ‘Não vou entrar em teoria da conspiração’.

Os últimos dias do candidato do PR ao Governo do Distrito Federal, José Roberto Arruda, foram uma montanha-russa. Ao mesmo tempo em que subiu nas pesquisas de intenção de voto, o ex-governador sofreu uma derrota na Justiça Eleitoral, que negou sua candidatura, e agora enfrenta um pedido do MP para que seja impedido de fazer campanha. Nesta entrevista, Arruda acusa o TSE de mudar a regra de registro de candidaturas apenas para barrá-lo e deixa claro que vai brigar até o fim para se manter no páreo…

Que garantia é possível dar de que o senhor poderá ser eleito e assumir o cargo?

Meus advogados estão tratando da questão jurídica. A garantia que posso dar é que cumpri a lei. Registrei a candidatura de acordo com a lei. Todos os casos iguais ao meu julgados antes foram favoráveis aos candidatos. Não é possível mudar a regra só no meu caso. É como andar numa estrada que as placas todas indiquem 80km/h e todos os carros que passaram antes de você na barreira a 80km/h irem embora, e na hora que você passa o guarda manda parar e diz ‘não, você tinha que estar a 60km/h e não pode continuar viagem’. Quanto a quererem me tirar da propaganda, é muita exceção para um caso só.

O senhor pediu para o ex-presidente FHC interceder em seu favor junto ao ministro Gilmar Mendes?

Não, absolutamente.

O senhor diz que foi vítima de golpe do PT, mas foi condenado na Justiça. A Justiça fez parte desse golpe? Além disso, Durval Barbosa e Eri Varela, que vazaram vídeos seus, eram ligados ao ex-governador Roriz, a quem o senhor está aliado. Não devia se preocupar mais com o fogo amigo que com o PT?

Santo Agostinho já dizia que é preciso ter mais cuidado com os amigos do que com os inimigos. Mas a Jaqueline (Roriz) declarou que esse cidadão (Varela) está riscado do convívio deles.

Seus aliados não poderiam estar interessados na cabeça da chapa?

Acho que não. Não vou entrar em teoria da conspiração. Quanto à condenação, a considero injusta. Estou condenado por um episódio que aconteceu dois anos antes do meu governo, com a Jaqueline. Governador era o pai dela. Tenho nada com isso. É uma condenação manipulada para tentar me retirar da disputa no tapetão.

Mas no passado o senhor disse que seu grande erro foi não ter acabado com práticas do governo anterior, do Roriz. Que garantia pode dar que tais práticas não irão acontecer de novo?

Essas práticas estarão banidas do meu governo, da minha vida. É a minha palavra. Se eu tivesse cedido às pressões, não tinha sido derrubado. Caí porque não cedi à chantagem desse bando. O próprio MPF move ação contra procuradores do DF e o Durval por terem tentado me chantagear e me coloca como vítima nela.

Que medidas do atual governo serão mudadas?

Tudo. Foi o pior governo da história de Brasília. Para não dizer que não tem nada, eles fizeram um cartão de material escolar para os alunos que achei boa ideia, manteria. Só. É um governo sem comando, frouxo, sem gestão. O mundo caindo, as crianças morrendo e o governador andando de moto na residência oficial.

Incomoda o rótulo de político que “rouba, mas faz”?

É injusto com minha história. Não tenho fortuna, não tenho empresa. E por causa de uma doação que recebi dois anos antes de ser governador e registrei na Justiça querer me colocar esse rótulo. Imagina se eu tivesse pego um estádio de R$ 600 milhões e fizesse ele custar R$ 2 bilhões. Ai sim mereceria o rótulo de ladrão.

Fonte: Jornal Destak – 29/08/2014 – – 08:09:12
Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios