fbpx

Entre janeiro e agosto de 2012 foram registradas 569 ocorrências. Frentistas estão deixando os empregos, conta presidente do sindicato.

O número de assaltos a postos de gasolina no Distrito Federal cresceu quase 12% na comparação entre janeiro e agosto de 2011 e o mesmo período deste ano, indicam dados da Secretaria de Segurança do DF. Em 2012 foram 569 ocorrências, 61 a mais do que em 2011.

Só no mês de agosto deste ano, foram assaltados 55 postos de gasolina, uma média de quase dois por dia. As regiões administrativas de Santa Maria e do Gama foram as que mais tiveram casos, ao todo foram 20 assaltos a postos nessas regiões no mês que passou.

O comandante geral da Polícia Militar do Distrito Federal, coronel Suamy Santana, afirmou ao G1 que existe a suspeita de que uma quadrilha especializada em roubos a postos de gasolina esteja atuando no DF. “Uma ação da Polícia Civil já está em curso para investigar essa sucessão de assaltos a esses estabelecimentos.”

Em 2012, março foi o mês com maior número de assaltos a postos de gasolina, com 114 estabelecimentos, o que revela uma média de três assaltos por dia. Em abril, o número praticamente se manteve, com 113 postos assaltados durante todo o mês. O crime só teve uma queda relevante em maio, quando 59 postos de combustíveis foram assaltados.

Risco
O vice-presidente do Sindicato dos Frentistas (Sinpospetro-DF), Geraldo Coelho Leite, contou que a situação nos postos de gasolina se tornou “insustentável” para os trabalhadores. “Atualmente, temos muitos frentistas pedindo para sair do emprego por causa da violência.”

Leite diz que os donos dos postos já percebem as consequências dessa insegurança. “Os empresários estão tendo dificuldade para contratar funcionários. O pessoal não quer se arriscar, estão procurando outras profissões.”

O presidente do Sindicato dos Empresários do Setor de Combustíveis (Sindicombustíveis-DF), José Carlos Ulhôa, confirmou a dificuldade de contratação de frentistas. “Tem sido difícil contratar. A qualidade da mão de obra também vai caindo, pois os que aceitam trabalhar no segmento, em sua maioria, são iniciantes, em sua primeira oportunidade de emprego.”

Sequência de assaltos
Na semana passada, quatro postos de combustíveis, no Riacho Fundo e na Epia Sul, no Distrito Federal, foram assaltados em menos de duas horas.  O prejuízo nos quatro postos passou de R$ 1 mil. Um frentista dos estabelecimentos foi sequestrado e ficou em poder dos bandidos por cerca de 30 minutos. Funcionários de um outro posto chamaram a polícia. O assaltante foi preso um dia depois.

Em Taguatinga Norte, um posto foi assaltado três vezes só na semana passada. Os funcionários acreditam que o autor de todos os crimes seja a mesma pessoa.

Um frentista que não quis se identificar revelou como se sentem os profissionais dos postos. ” A gente fica a mercê desses bandidos. Não temos o que fazer quando não se tem segurança. Ficamos praticamente de mãos atadas.”

O coronel Suamy Santana afirmou que muitos assaltantes são menores de idade. Por conta disso, os meninos cometem os crimes, são apreendidos, mas logo estão nas ruas novamente, praticando a mesma infração. “Em alguns casos, parece que estamos enxugando gelo. A polícia prende, mas logo estão livres.”

Veja o vídeo no site do G1 Clique Aqui!

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial