Torcida quer mais empenho dos jogadores

Hoje o Gama teve um dia diferente. Ao invés de só chegar e treinar, os jogadores pararam por um bom tempo antes e depois do trabalho para ouvir torcedores e também dirigentes. Ao contrário de entrevista anterior, Tonhão não confirmou Vitor Hugo o campeonato inteiro. A torcida alviverde não está nada feliz com os três empates seguidos nos últimos jogos. Depois de cinco rodadas no primeiro turno o Gama continua invicto mas tem apenas 60% de aproveitamento, de 15 pontos possíveis o Periquito conquistou nove em duas vitórias e três empates.

Na tarde da última terça-feira (19/02), um membro da Ira Jovem Gama teria entrado no restaurante que os jogadores do Gama estavam almoçando e com tom de voz elevado teria cobrado maior empenho dos jogadores que se limitaram a parar de comer e ouvir o torcedor enquanto falava. Hoje houve mais uma manifestação da torcida organizada gamense. Dez membros da Ira Jovem foram ao Centro de Treinamento e conversaram com Vitor Hugo e também com o restante do elenco.

Apesar de insatisfeitos com as últimas apresentações do Gama, os torcedores aguardaram autorização de Vitor Hugo e da diretoria para ter acesso aos atletas. Em momento algum houve alteração de ambas as partes. “A Ira Jovem existe para apoiar e cobrar do time. Hoje a gente veio aqui para apoiar, caso seja necessário outro dia podemos vir para cobrar”, disse um dos torcedores organizados. “Nós só queremos que vocês deem tudo que podem em campo, queremos que vocês representem o Gama no gramado que nós estaremos fazendo na nossa parte nas arquibancadas, seremos o 12º jogador”, completou outro torcedor. Os jogadores respeitaram os representantes da torcida e aplaudiram o discurso antes de entrarem em campo para treinar.

Não houve proibição
Depois de ser noticiado ontem no BloGama que o treinador do Gama teria proibido um conselheiro de ficar na área da diretoria do CT, o técnico Vitor Hugo entrou em contato com o site e informou que ele nunca proibiu diretor ou conselheiro algum de acessar áreas do CT Ninho do Periquito. O treinador almoçou hoje com Gehad, conselheiro alviverde envolvido no mal entendido. “Ele é um amigo que tenho aqui no Gama, sempre nos demos bem. Tem alguém aqui querendo colocar as coisas na minha conta. Eu nunca proibi ninguém de nada aqui”, esclareceu o treinador.

Reforços
O torcedor do Gama pode ter uma surpresa no próximo jogo. O atacante Moisés deve ser regularizado até a partida contra o Luziânia e tem grandes chances de começar jogando. O jovem atleta ficou conhecido como o Neymar do Pará em 2010 quando saiu do Paysandú e foi reforçar o Santos.

Moisés treina desde que chegou ao Gama, há mais de um mês. Porém sua documentação estava presa. Um clube do Uruguai é o dono de seu passe e estava travando o processo de regularização do jogador. Hoje o agente do atacante estava com o contrato em mãos no CT, aguardando apenas a assinatura de Tonhão, presidente do Gama, e Stênio Pinho, vice-presidente de futebol. “Vai ser um jogador que vai ajudar muito. Ele vem treinando bem demais. Certeza que se estiver regularizado no próximo jogo será Moisés mais 17 na relação para o jogo”, exaltou o técnico Vitor Hugo.

Um nome cotado para o segundo turno é do lateral direito Rhuan. Apesar de ter sido noticiado como reforço, o jogador ainda faz testes para adaptação no elenco alviverde. Caso seja aprovado defenderá as cores do Gama na segunda fase do campeonato local.

Retomando o ritmo
Dois jogadores estão no departamento médico esta semana. O atacante Aloísio Chulapa e o meia Alan Dellon fazem trabalho de recuperação para poderem jogar normalmente no sábado. O goleador levou uma pancada na coxa e o meia gamense apenas sente dores de fadiga do forte ritmo de treinamentos. De acordo com o preparador físico, o trabalho com o massoterapeuta do time é apenas uma precaução para que não haja futuras lesões.

Quem já voltou a treinar normal foi o atacante Laionel. Ele caiu durante os treinamentos e machucou o joelho. Hoje o jogador já participou de alguns trabalhos junto com o elenco e fez exercícios de fortalecimento junto com o zagueiro Nen. O zagueiro ídolo da torcida alviverde deverá estrear no segundo turno do campeonato local.

Por um fio
O empate com o Unaí fora de casa alimentou os boatos de que o Vitor Hugo estaria prestes a ser dispensado do cargo de comandante do Gama. No dia seguinte ao empate o treinador foi garantido no cargo até o final do campeonato pelo presidente do clube, Tonhão. Hoje, porém, o discurso foi diferente. “Vamos ver isso depois do jogo. Só depois do jogo que podemos ter uma resposta, vai depender da situação que estivermos”, esquivou-se o presidente gamense.

A outra parte envolvida, o próprio Vitor Hugo, mostrou não esquentar muito com a possibilidade de deixar o time. Para o treinador isso deve ser tratado como normal. “Me preocupo só com o meu trabalho, desde que assina com um time o técnico já está na corda bamba. Em todo time que não haja resultados o técnico não fica, futebol é assim”, explicou Vitor. O técnico ainda fez questão de frisar que o clima no alviverde está bom e não há rachas dentro do elenco.

Mudanças repentinas
Os cartolas do Gama não ficaram felizes com a mudança da tabela feita pela FBF. Todos os jogos foram colocados para o sábado às 15h30 para acontecerem em simultâneo. “Quando quisemos uma mudança de estádio na terceira rodada foi negado. Agora, no final do turno eles mudam tudo. Se tivessem conversado nós poderíamos ter entrado em um acordo, agora impor uma coisa fica difícil”, afirmou Tonhão.

Ações foram tomadas pelos dirigentes. Eles entraram com medidas na justiça desportiva do DF e iriam ao Ministério Público pedir que o estatuto do torcedor seja cumprido. “Entramos com um mandado de garantia para que seja mantida a tabela do jeito que foi feita. Alegamos a interdição do Abadião para obras e desrespeito ao Estatuto do Torcedor, é uma vergonha o que estão fazendo”, contou Miguel Peres, Presidente do Conselho Deliberativo gamense.

Fonte: BloGamaNet