Agenda Cultural e ConvitesDestaqueEspaço CulturalNotíciasNotícias do GamaSaudade minha cidade

CED 08 do Gama surpreende e emociona com o espetáculo “Corpo Fechado”

Professor Valdeci Moreira desenvolve trabalho de teatro periférico e antirraciasta com alunos

Por Juan Ricthelly

Na manhã do dia 3 de julho, por volta das 9h30, uma plateia composta por convidados, professores e alunos do CED 08 do Gama assistiu a um espetáculo dirigido pelo renomado diretor de teatro Valdeci Moreira, que também atua como professor de Artes na mesma escola.

O espetáculo em questão tinha como título “Corpo Fechado”, com texto desenvolvido pelo diretor da peça junto com o ‘homo gamensis’ Lelê Teles, contando no elenco com quatro estudantes negros que nunca haviam atuado,  uma trilha sonora sensivelmente marcante e em total sintonia com a atuação dos atores, que tiveram apenas dois meses de ensaio e preparação antes da estréia.

De início uma das marcas do diretor Valdeci Moreira salta aos olhos dos presentes, que é a ‘estética de terreiro’ com fortes raízes nos cultos de matriz africana, invocando a ancestralidade do povo negro, a força dos orixás e a africanidade, por meio da ‘oralitura’ que consiste em valorizar a histórias contadas por meio da oralidade, que é a forma que muitos povos recorrem para compartilhar os seus conhecimentos e valores ao longo das gerações.

Quem já acompanha o trabalho desenvolvido no Espaço Semente é capaz de fazer essa conexão facilmente, mas “Corpo Fechado” deu um passo além em relação aos espetáculos anteriores, mergulhou na pauta antirracista de forma tão profunda que foi impossível qualquer dos presentes não se emocionar ao longo da apresentação, não sendo poucas as pessoas que chegaram às lágrimas, incluindo este que vos escreve.

“Corpo Fechado” adentrou em questões antirracistas do cotidiano sem necessitar invocar um academicismo forçado, que não poucas vezes soa incompreensível para quem mais precisa captar a mensagem.

Eram atores negros, jovens e estudantes de Ensino Médio de uma cidade periférica abordando o racismo do dia a dia, numa escalada que parte do racismo recreativo e vai até o genocídio do povo negro no último país do mundo a abolir a escravidão.

A quarta parede era explicitamente quebrada em meio ao texto, mas a verdade é que todos se sentiam dentro do espetáculo o tempo inteiro, em razão de sua conexão profunda e visceral com a realidade, o texto era dito para todos, mas a porrada contida nele parecia feita sob encomenda para cada um ali.

O racismo e todas as suas nuances presentes em nossa sociedade estavam lá, olhando na cara das pessoas como um espelho refletindo o seu lugar no meio disso tudo, vítima ou algoz?

A peça “Corpo Fechado” é uma verdadeira aula sobre as questões sociais e o antirracismo, deveria ser obrigatória para todos os que ainda ousam cometer o crime de injúria racial e para policiais em formação, duvido que qualquer um que assista consiga sair do mesmo jeito que entrou.

A nossa expectativa é que não fique apenas no CED 08, aguardamos ansiosamente uma temporada no Espaço Semente e outros lugares do Distrito Federal.

FICHA TÉCNICA 

Direção:  Valdeci Moreira
Dramaturgia: Lelê Teles e Valdeci Moreira
Supervisão: Ricardo César
Elenco: André Crist, Artur Nunes, Geovana Yasmim, Miguel Crist.
Figurinista – Luazi Luango
Fotografia: Ogan Luiz Alves
Cenógrafo: Valdeci Moreira
Iluminador: Valdeci Moreira
Arte: Ogan Luiz Alves
Realização: CED 08 DO GAMA
Data: 03 de julho
Horário: 09hs
Apoio: CED 08 do Gama

 

Israel Carvalho

Israel Carvalho é jornalista nº. DRT 10370/DF e editor chefe do portal Gama Cidadão.

Artigos relacionados