China quer acabar com apagões no Brasil

A China está interessada em investir no setor elétrico brasileiro. O país foi escolhido pela segunda maior economia do mundo como principal alvo de sua expansão internacional nessa área. Por meio de sua State Grid Corporation, – maior empresa de serviço público do mundo -, o gigante asiático quer vender conhecimento e equipamentos, sobretudo para a combalida área de transmissão, além de participar como investidor direto e concessionário de grandes projetos de infraestrutura.

Superando os Estados Unidos, em produção e consumo de eletricidade, com o impressionante número de 1,2 bilhão de kilowatts/hora (KWh) de capacidade instalada, a China prepara-se para liderar também em inovação de transporte seguro de elevadas cargas elétricas, gestão de redes inteligentes e domínio de fontes renováveis.

O sistema elétrico chinês é nove vezes maior que o brasileiro, o que os habilita a tocar projetos com garantia de qualidade. O ponto alto das tecnologias chinesas diz respeito, principalmente, às perdas de energia quando do seu transporte nas linhas de alta tensão. “Encaramos a mesma realidade de ter as unidades geradoras concentradas em uma região distante dos principais centros de consumo, o que exige aplicação de muitos recursos e esforços para conter perdas no transporte”, comentou o presidente da subsidiária brasileira, Cai Hongxian.

Fonte: Gazeta de Taguatinga