DF: Agnelo “ignora” acusação de desvio de R$ 212 mi em estádio

Governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz refutou nesta segunda-feira a acusação de “gastos fora do padrão” superiores a R$ 212 milhões feita pelo Tribunal de Contas (TCDF) contra o Estádio Nacional de Brasília (Mané Garrincha). O político negou os desvios e reforçou que as obras na capital federal possuem o maior custo-benefício entre as 12 sedes do País à Copa do Mundo de 2014 – apesar de ter o maior orçamento.

O jornal O Estado de S. Paulo noticiou no último sábado que o TCDF cobrava a devolução de R$ 99,9 milhões do consórcio construtor da arena e solicitou que o governo justificasse mais R$ 112,4 milhões em desvios como superfaturamento, cobrança dupla, alteração no projeto, dentre outros. Agnelo, porém, ignorou as acusações.

“Não há fundamento sobre a notícia. É um dos estádios mais baratos do Brasil”, disse Agnelo, muito embora o custo estimado do Estádio Nacional seja de R$ 1,5 bilhão. “Comparar construção com reforma é comparar alhos com bugalhos”, acrescentou.

Secretário extraordinário da Copa do Mundo no DF, Cláudio Monteiro endossou as palavras de Agnelo. “Vamos fazer comparações justas. Quanto você acha que custou o metro quadrado da obra (…)? Aqui é porcelanato, aqui é pintura. Não é cal passada na parede com cola. Aqui é granito. Aqui não sofrerá outra reforma daqui cinco, seis meses”, apontou.

Monteiro ainda criticou o TCDF por ter vazado a acusação antes de notificar o governo. “A última vez que o Tribunal de Contas fez qualquer questionamento foi em maio de 2012. Mas sempre tem a turma do fura-bolo e do estraga-festa”, disse.

Esperado para ser entregue em dezembro de 2012, o Estádio Nacional ganhou novo prazo da Fifa para concluir as obras: abril deste ano. O local receberá em 15 de junho a abertura da Copa das Confederações, com a partida entre Brasil e Japão, às 16h.

Fonte: Portal do Terra

Marcações: