Em casa, Gama fica somente no empate com o Brasiliense

Escrito por Sérgio Vinícius Sex, 08 de Fevereiro de 2013 01:38

O Gama entrou defensivo, tomou um gol e correu atrás do prejuízo. Com casa lotada o alviverde saiu do clássico com apenas um ponto, é o segundo empate seguido na Taça JK. Em quarto lugar, o Gama agora terá nove dias de trabalho para enfrentar o Unaí no dia 17 de fevereiro pela quinta rodada do Candangão.

Antes do jogo, Vitor Hugo e Vilson de Sá fizeram uma bagunça com a relação dos jogadores que foi divulgada à imprensa e ao adversário. O técnico alviverde soltou uma lista onde Michel, do time juniores, era o zagueiro titular junto com Da Silva. Nos outros setores, Sávio, Guilherme, Alan Dellon e Fágner fariam o meio campo. Léo e Gilmar Herê jogariam na frente. Pouco depois, Vilson de Sá, diretor de futebol do clube, entregou um papel onde a listagem de jogadores estava toda fora de ordem com os números das camisas trocadas e várias supresas em campo. Juninho que foi capitão do time em todos os amistosos e jogos oficiais até a terceira rodada foi substituído pelo jovem Sávio, volante do time de juniores que disputou a Taça São Paulo. Já Bruno Sabino voltou para sua posição recuperado de lesão, colocando Fágner fora do time.

Veja mais:
– Fotos da partida entre Gama e Brasiliense

O time ficou mais defensivo sem a dupla rápida de ataque formada por Gilmar Herê e Laionel. Herê foi trocado pelo meio campista Guilherme, também das categorias de base do time. Foi assim que o Gama começou a ser dominado dentro da própria casa. O Periquito ficou acuado no campo de defesa vendo o Brasiliense tocar a bola e em algumas poucas oportunidades chegou ao ataque com toques curtos e precisos.

Os gols do clássico número 48 só saíram no segundo tempo. Aos 12 minutos da etapa final o time amarelo abriu o placar com Washington depois da zaga gamense vacilar num bate e rebate na área.

Depois do gol o Gama acordou e começou a jogar de forma mais ofensiva, a torcida acompanhou o time não parou mais de cantar e apoiar os jogadores alviverdes. Com 22 minutos do segundo tempo Laionel driblou três defensores do Jacaré e quando estava indo em direção ao gol foi derrubado na grande área, o juiz marcou pênalti. Os jogadores do Brasiliense não aceitaram a marcação e tumultuaram o ambiente. O pênalti só foi batido três minutos depois da marcação. Luiz Carlos cobrou bem e empatou para o Gama.

Apesar do espanto de todos ao ver a estranha formação utilizada por Vitor Hugo, o atacante Gilmar Herê disse que os jogadores não estranharam a nova forma de jogar. “Clássico é definido no detalhe, já sabíamos do esquema do Vitor, treinamos durante a semana. Nossa equipe é de qualidade e vamos buscar os pontos que precisamos”, afirmou. Luiz Carlos apenas confirmou a declaração do seu companheiro de equipe. “”Nós treinamos isso (formação diferente), a gente se preparou para o jogo da forma que o Vitor pediu”, explicou.

Na próxima partida o Gama não poderá contar com o meia Luiz Carlos de 37 anos. Nesta partida ele tomou o terceiro cartão amarelo e cumprirá, na quinta rodada, punição automática que é a suspensão de um jogo do campeonato. “Nós temos um elenco de qualidade e temos jogadores na minha posição que podem me substituir”, minimizou Luiz.

Desconfiança
Com o estádio quase lotado, torcedores, membros da imprensa e até dirigentes do Gama se espantaram com a publicação do público pagante no jogo. Segundo o divulgado pela equipe que cuida da venda dos ingressos, 8.489 pagantes foram ao Bezerrão. Em entrevista à rádio Bandeirantes, o presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Jozafá Dantas, afirmou que nas contas da Polícia Militar o público havia sido de pouco mais de 12 mil pessoas. O BloGama fará contato com o vice-presidente de patrimônio do Gama, Joaquim Carlos, ainda essa semana para conferir os números.

Uma colocação abaixo

O empate rendeu a queda de uma posição na classificação do Grupo B, agora no quarto lugar. O Brasília venceu o Botafogo-DF por 1 a 0 e é, temporariamente, o novo líder da chave. Também nesta quinta-feira à noite o Ceilandense empatou com o Legião em 2 a 2 e manteve-se à frente do Gama.

A próxima partida do Gama é contra o Unaí no dia 17 de fevereiro às 16h no interior mineiro. A partida poderá definir se o Gama classificará ou não para as semifinais da Taça JK.



Ficha Técnica:

Gama 1×1 Brasiliense
Quinta-feira, 07 de fevereiro de 2013
Estádio Bezerrão, 20h30

Gama:
André Luiz; Amaral; Da Silva, Júnior Soares; Kabrine; Sávio (Léo), Bruno Sabino; Luiz Carlos, Alan Dellon (Jonathan), Guilherme (Gilmar Herê); Laionel
Técnico: Vitor Hugo

Brasiliense:
Guto; Bocão; Fábio Braz, Rafael Tavares; Jeferson; Baiano, Evérton, Júlio Bastos; Luiz Augusto (Piovesan); Rafael Ipuã (Serginho) e Washington (Abraão Lincoln)
Técnico: Márcio Fernandes

Cartões amarelos: Washington (Bse), Luiz Carlos (Gam)
Público e renda: 8.489 pagantes; R$91.175,00.

Árbitro: Rodrigo Raposo
Assistentes: Marrubson Melo e José Reinaldo
4º Árbitro: Vanderley Soares

Fonte: BloGama Net

Assista ao Jogo Gama 1×1 Brasiliense – candangão 2013