GDF anuncia que Novacap asfaltará 177 quilômetros de vias


Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

Depois de tanto a população gritar e cobrar iniciativa do governo do Distrito Federal, não de Brasília, o GDF decidiu arregaçar as mangas e cuidar das vias das cidades.

Segundo o GDF, desde a última semana de junho, a Novacap – Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil, retomou o programa de asfaltamento, parado desde o ano passado por falta de recursos. Segundo o GDF será garantido o recapeamento de 177 quilômetros de vias em todo o DF. Os projetos já foram revisados e aprovados, e a ação começou em uma primeira fase por seis regiões: Octogonal/Sudoeste, Taguatinga – Avenida Samdu -, Lago Sul, Lago Norte, Águas Claras e Recanto das Emas. Uma segunda fase que contemplará o SIA, Santa Maria, Planaltina e Samambaia estão com seus planejamentos em fase de análise, revisão e readequação para receberem o programa.

A Novacap informou que o asfaltamento vai chegar também a outras regiões. Fazem parte do planejamento Ceilândia (parte Oeste), Taguatinga (parte Norte e Sul), Brazlândia, Varjão, Paranoá, Itapoã, São Sebastião, Jardim Botânico, SCIA (onde fica a Cidade do Automóvel), Estrutural, Núcleo Bandeirante, Cruzeiro, Candangolândia, Guará, Riacho Fundo I e II, Gama e Park Way. “Os trabalhos serão intensificados a medida em que a conferência dos projetos for liberada”, afirmou o diretor de Urbanização, Antônio Coimbra.

A empresa urbanizadora assinou, no dia 21 de maio, 14 ordens de serviço relativas ao asfaltamento para realização de serviços de fresagem – cortar áreas com asfalto antigo -, recapeamento asfáltico, tapa-buraco com microrevestimento – fechamento de ranhuras e rachaduras -, reciclagem, drenagem e sinalização horizontal em vias do DF. “Desde então, a companhia tem trabalhado na conferência dos projetos e na sua adequação”, destaca Coimbra.

Segundo o GDF, cerca de R$ 43 milhões foram destinados para a retomada do programa. Os recursos, na ordem de R$ 500 milhões, têm origem do empréstimo feito pelo Governo do Distrito Federal ao Banco do Brasil.