Governo petista esboça reação à calamidade publica na saúde em Brasília

GDF demite médico por faltas; outros 22 responderão a processo

Médico que será demitido nesta sexta trabalha no Hospital de Samambaia.
Processo administrativo deverá ser acompanhado de investigação do CRM.

O secretário-adjunto de Saúde do Distrito Federal, Elias Miziara, informou nesta sexta-feira (11) que 22 médicos da rede pública responderão a processo administrativo por causa de falta sem justificativa ao plantão do último domingo (6). Além dos 22, um médico com contrato temporário que atuava no Hospital de Samambaia será demitido imediatamente, falou o secretário.

Reportagem do DFTV de segunda-feira (7) mostrou documentos enviados por pelo menos cinco unidades públicas de saúde à Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade) do Corpo de Bombeiros. Os comunicados comprovam que o atendimento a pacientes foi prejudicado pela falta de profissionais de saúde.

“Aqueles que não apresentaram justificativas para suas falhas vão responder a processo administrativo. São 22 médicos”, afirmou Miziara. Sobre o profissional que será demitido, o secretário-adjunto diz que não há impeditivos para a dispensa. “Ele faltou e já não era a primeira falta. Não justificou a falta e tem um contato temporário.”

Dos 22 médicos que responderão a processo administrativo, nenhum ocupa cargo de chefia. Quatro deles, conforme Miziara, apresentam indícios mais graves de falha e podem ser demitidos em um prazo relativamente curto.

O processo administrativo, diz o secretário-adjunto, deverá ser acompanhado de uma investigação do Conselho Regional de Medicina. “Já nos comunicamos com o Conselho Regional de Medicina, enviaremos todos os casos para abertura de processo ético também. Aí incorporaremos a estrutura do CRM, que deverá fazer a avaliação ética e tomar as providências.”

Miziara afirmou que a secretaria analisou não apenas os casos denunciados pela reportagem. “Fomos além e examinamos todos os hospitais e encontramos falhas em outros também, infelizmente.”

O processo administrativo é instaurado quando existem indícios de falhas e pode resultar em demissão. Ele também é uma oportunidade de o servidor se defender.

Fonte: G1 DF

Leia mais Médicos faltam trabalho para fazer prova de residência