Greve: Depois de porrada e bomba sindicato enfia o rabo entre as pernas e professores voltam às aulas

O grande derrotado do fim da greve dos professores no Distrito Federal

Blog do Sombra – REDAÇÃO – 12/11/2015 – 16:23:58

 

Há quem duvide, mas o grande derrotado do fim da greve dos professores no Distrito Federal não foi o governo, como muitos insistem. O grande derrotado foi o próprio Sindicato dos Professores. … Se não, vejamos:

O sindicato, a todo momento, insistiu que não aceitaria o “calote”, fazendo referência ao não pagamento do reajuste salarial conquistado por lei. Antes mesmo do quebra-quebra no Palácio do Buriti, grevistas estenderam uma faixa de praticamente 6 metros com palavras de ordem exigindo o pagamento. Não conseguiram.

Os professores temiam, ainda, o corte dos pontos. Imagina só, comentavam, chegar no salário de dezembro com mais da metade da renda comprometida? Levaram o assunto para a negociação com o governo. Conseguiram o compromisso do Buriti, mas exclusivamente pelo fato de a Procuradoria do Distrito Federal ter avisado ao chefe do Executivo que a categoria deveria, de qualquer forma, repor os dias parados e completar os 200 dias de aula do ano letivo, conforme prevê a Lei de Diretrizes e Bases.

Na reunião que foi convocada com o enfoque de ser aberta, inclusive para a imprensa, não ficou claro o por que dos professores não aceitaram a plateia. Nitidamente incomodados, pediram para negociar em outro ambiente, o que não pegou nada bem. Tanto que voltaram de lá com uma possível negociação de perdão da multa pelos dias parados, fato que beneficia apenas a entidade, e não a categoria.

Analistas procurados pelo Blog comentaram, enquanto acompanhavam o fim da assembleia nesta quinta-feira, o grande jogo de cena criado pelo sindicato para encerrar o movimento com o viés de que “a população não pode mais sofrer”. Papo furado, avaliaram. Na opinião de credenciados, o sindicato estava muito mais preocupado em não “quebrar”, conforme mencionaram inúmeras vezes nas reuniões com o Buriti, do que as tais propostas técnico-pedagógicas protestadas pelos grevistas. Talvez pelo fato de a entidade estar em plena corrida eleitoral para a escolha da nova direção.

Resultado? O pagamento do reajuste tão reivindicado pela categoria não saiu. A manutenção do salário só foi conquistada por respaldo na tal Lei de Diretrizes e Bases, manobra que pareceu ser iniciativa do próprio governo. E a multa do sindicato, que somava mais de R$ 10 milhões, será perdoada pelo governo, bem longe dos holofotes da imprensa.

É, realmente… Depois de tanto quebra-quebra, professores presos, radicalização enfrentamento e quilômetros por horas nos engarrafamentos que várias vezes pararam a nossa cidade, a conquista da categoria foi bem aquém do esperado. Parafraseando Sun Tzu, em A arte da guerra, “a suprema arte da guerra é derrotar o inimigo sem lutar”. Sem querer ser categórico, mas foi o que aconteceu.

Tags

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios