Habemus pharmacopolium?

Enquanto todo mundo olhava para a chaminé da Capela Sistina nesta quarta-feira, 13, a coluna Do Alto da Torre (publicada diariamente no Jornal de Brasília), assinada pelo jornalista Francisco Dutra, destacou o alerta feito pelo deputado distrital Chico Leite (PT) de que a dotação orçamentária para a compra de medicamentos para os hospitais públicos do Distrito Federal sofreu corte de R$ 50 milhões em relação a 2012, ano em que os recursos destinados para essa finalidade foram R$ 226,5 milhões. A tesourada foi de 37%.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde respondeu que a Secretaria de Planejamento e Orçamento (Seplan) seria o canal de interlocução sobre o assunto. A Seplan rebateu a batata quente. Informou que essa dotação inicial pode sofrer alterações no decorrer do ano, mas que especificar a aplicação dos recursos do orçamento da Saúde é da alçada da equipe do secretário Rafael Barbosa.

Pelas informações que o colunista expôs não se pode afirmar que a verba dos medicamentos de 2012 tenha sido integralmente gasta. Por outro lado, quando se fala de orçamento público no início do ano as expectativas são de contingenciamento e corte. A questão preocupa a direção do SindMédico-DF.

Fonte: SindMédico – Distrito Federal / Jornal de Brasília – Do Alto da Torre – 15/03/2013