Hélio Doyle: O homem gelo derreteu

O rugido da leoa acuou o gato, nesta tarde de quarta-feira (10) o governador do Distrito Federal, aceitou o pedido de demissão do supersecretário de governo, Hélio Doyle. Desde o governo de transição, Helio comandou a equipe em janeiro assumiu a secretaria de governo, centralizando toda à administração e enfrentando as crises em vários setores.

Acontece que Doyle tem fortes vínculos com o Partido dos Trabalhadores (PT) e permitiu que o segundo escalão do ex-governador, Agnelo Queiroz, permanecesse à frente de um novo projeto, Hélio atuou como uma espécie de porta voz, evitando o desgaste do Governador Rodrigo Rollemberg, com isso colecionou inimigos e o principal deles foi a Presidente da Câmara, Celina Leão.

Celina não aceitou que os petistas que ela fez oposição no seu mandato passado, ficassem dando as cartas no governo que ela ajudou a eleger, com isso, a leoa bateu de frente com a frieza e a condução de pulso firme, sem o jogo de cintura política de Hélio Doyle.

O gato que parecia que tinha sete vidas, teve a sua última desperdiçada com a saída da presidente Celia Leão (PDT), da base aliada do governo. O desgaste do governador Rodrigo Rollemberg com a saída Celina refletiu em todo o governo, o que deixou o governador bem a vontade para aceitar a exoneração de do secretario de governo Hélio Doyle e se reaproximar dos três mosqueteiros, Celina Leão, Cristovam Buarque e Reguffe, com isso o PDT, passa a ganhar força dentro do governo e Rodrigo Rollemberg volta a ter sua aliada para aprovar os projetos polêmicos enviados a Câmara Legislativa do Distrito Federal.

Hélio após deixar a secretaria acusou setores da imprensa de ter o perseguido e o escolhido como alvo, mas na verdade como centralizou do o governo na sua secretaria levou também o ônus do desgoverno.

Fonte: Blog Quidnovi /Mino Pedrosa – 10/06/2015