Ao todo, o grupo vai percorrer 88,5 mil quilômetros ao redor do mundo. No Brasil, os músicos se apresentam também no Rio de Janeiro (dia 17 de março), Belo Horizonte (19), Fortaleza (24) e São Paulo (26)

DO G1- DF/FOTO: DIVULGAÇÃO – 14/02/2016 – 11:11:05

 

Com mais de 41 anos desde a formação, 16 álbuns de estúdio gravados e milhões de fãs em todo o mundo, o Iron Maiden desembarca em Brasília em 22 de março para show da turnê “The book of souls”, a 22ª da carreira. A banda se apresenta no ginásio Nilson Nelson, em evento que começa às 19h e tem abertura das bandas Anthrax e The RavenAge.

A banda viaja a bordo do Ed Force One, Boeing 747-400 pilotado pelo vocalista Bruce Dickinson. O avião é customizado com o logo do grupo e a identidade visual do novo álbum e transporta a equipe, a produção de placo e 12 toneladas de equipamentos.

Dickinson sobe ao palco acompanhado do baixista Steve Harris, fundador do Iron, do baterista Nicko McBrain e dos guitarristas Dave Murray, Adrian Smith e Janick Gers.

O repertório deve conter músicas como o primeiro single de “Book of souls”, “Speed of light”, mais “três ou quatro” canções do álbum, como adiantou o vocalista em entrevistas, e composições como “Fear of the dark”, “Hallowed by thy name”, “Number of the beast”, “The wickerman” e “El Dorado”.

Outra que deve fazer parte do setlist é a parceria entre Harris e Murray “Déjà vu”, do álbum “Somewhere in time”, música que não é tocada pela banda há muitos anos. Clássicos como “The Trooper”, “Aces high”, “2 minutes to midnight”, “Run to the hills”, “Can i play with madness?”, “Powerslave” e “Wrathchild” também podem ser tocadas.

Quatro décadas

Quando a banda pisar o palco do Vector Arena, em Auckland, na Nova Zelândia, em 1º de maio próximo, o Iron Maiden vai comemorar 40 anos desde o primeiro show, no St Nicks Hall, em Poplar, no East End de Londres. Harris era o único membro atual que se apresentou naquela noite. Ao lado dele, estavam Paul Day (vocal), Dave Sullivan e Terry Rance (guitarras) e Ron Matthews (bateria).

A estreia em estúdio aconteceu em 1978, quando foi lançado o EP “The soundhouse tapes”. O material teve tiragem de 5 mil cópias, que se esgotaram rapidamente. A banda nunca fez uma segunda leva de cópias, por isso existe toda uma “mística” entre fãs sobre o disco.

Em 1980, já com os guitarristas Dennis Straton e Dave Murray (que não saiu mais desde então), o baterista Clive Burr e o vocalista Paul Di’Anno, o grupo gravou o primeiro LP, que levou o nome da banda e trouxe o single “Running Free”.

Adrian Smith estreou no ano seguinte e participou das gravações de “Killers”. O guitarrista saiu da banda durante os ensaios para o que veio a ser o álbum “No praying for the dying”, lançado em 1990, e retornou após convite do amigo Bruce no final da mesma década.

O próprio vocalista chegou a deixar a banda. Contestado pelos fãs logo que entrou, em 1982, Dickinson virou sinônimo de “voz do Iron”. No período em que esteve fora, entre 1995 e 1998, o grupo teve os dois únicos álbuns da carreira que não alcançaram disco de ouro: “X factor” e “Virtual XI”, com o cantor Blaze Bayley.

Nicko é o baterista desde o quarto álbum, “Piece of mind”, lançado em 1983. Completa a formação atual o terceiro guitarrista, Janick Gers, que acompanhava Dickinson na carreira solo, tendo gravado o disco “Tattooed Milionaire”, de 1989. Ele substituiu Smith a partir de 1990, mas não deixou o grupo após o retorno dele, em 1998.

NWOBHM

Antes de estrear em discos, ainda na década de 1970, o Iron Maiden fez parte de um movimento musical inglês chamado “New Wave of British Heavy Metal (NWOBHM)”. Com nomes como Venom, Def Leppard e Saxon, a iniciativa pretendia apontar a existência de bandas pesadas, em resposta ao crescente movimento punk, na segunda metade da década.

Apresentação do Iron Maiden na turnê The Final Frontier (Foto: Flavio Moraes/G1)

Outros grupos que fizeram parte foram Diamond Head, Raven, Tygers of Pan Tang (banda de John Sykes), Girlschool, Witchfinder General e Samson, que teve Bruce Dickinson como vocalista.

Discos clássicos

O Iron Maiden gravou alguns dos principais álbuns de rock de todos os tempos, especialmente nos anos 1980. Não é raro encontrar fãs mais radicais que prefiram os dois primeiros discos como prediletos. “Iron Maiden” e “Killers” são os únicos com o cantor Paul Di’Anno, que deixou o grupo em 1982.

A partir da entrada de Bruce Dickinson, o Iron passou a pertencer a um grupo seleto de artistas, com milhões de álbuns vendidos e discos considerados clássicos, como “Number of the beast”, “Piece of mind”, “Powerslave”, “Somewhere in time” e “Seventh son of a seventh son”.

A banda tem 11 discos ao vivo, oficialmente. O mais bem-sucedido foi o primeiro, “Live after death”, gravado na turnê “World slavery tour”, que rendeu o maior sucesso de vendas da história do grupo nos Estados Unidos.

Durante a turnê, o então quinteto fez seu primeiro show no Brasil, no primeiro Rock in Rio, em 1985. O Iron participou de outras edições do festival e chegou a lançar um álbum ao vivo registrado durante o evento em 2001.

Futebol pesado

O álbum foi lançado também em vídeo e traz, entre outras curiosidades, o baixista Steve Harris sobrevoando o estádio do Maracanã durante a final da Copa João Havelange (Brasileirão de 2000), entre Vasco e São Caetano.

A partida havia sido suspensa no final do ano após a queda das grades de proteção do estádio São Januário. Transferido para o principal estádio do Rio de Janeiro, o jogo foi disputado às vésperas do show do Iron no festival.

Em um dos trechos, Harris diz que vai torcer para o São Caetano, levando em consideração a tradição britânica de tomar partido do clube de menor expressão, já que não torcia para nenhuma das duas equipes.

O baixista acaba mudando de ideia quando vê que Eddie, mascote do Iron Maiden, é também um dos símbolos da torcida vascaína, que na ocasião venceu o jogo por 3 a 1 e levou o título.

Data: 22 de março (terça-feira)

Local: Ginásio Nilson Nelson

Endereço: SRPN Trecho 1, ao lado do Estádio Mané Garrincha

Abertura dos Portões: 17h

Horário dos shows: 19h

Classificação: 16 anos

Abertura: Anthrax e RavenAge

Ingressos:

Pista Premium Budzone:

Lote 1 (inteira) – R$ 460

Lote 1 (meia-entrada) – R$230

Lote 2 (inteira) – R$ 480

Lote 2 (meia-entrada) – R$ 240

Lote 3 (inteira) – R$ 500

Lote 3 (meia-entrada) – R$ 250

Pista:

Lote 1 (inteira) – R$ 320

Lote 1 (meia-entrada) – R$ 160

Arquibancada:

Lote 1 (inteira) – R$ 200

Lote 1 (meia-entrada) – R$ 100

 

Deixe um comentário

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial