Jovem do Gama que fez rifa para exame arrecada dinheiro que faltava

Após uma reportagem do Correio, nesta segunda-feira (18/5), Letícia Norato, 21 anos, conseguiu arrecadar R$ 1,4 mil, quantia que faltava para o exame PET

Poucas horas após a divulgação de que a estudante de psicologia Leticia Norato, 21 anos, estava fazendo uma rifa para custear um exame de câncer, centenas de pessoas solidárias ao caso apareceram para ajudar. As doações somaram R$ 3,5 mil. Cada rifa foi vendida por R$ 10.

Já nesta sexta-feira (22/5), Leticia, que sofre com linfoma de Hodgkin, câncer que surge no sistema linfático, realizará o PET, exame para avaliar a eficácia do tratamento e que permite descobrir se o paciente será curado. Nas redes sociais, ela agradeceu o apoio dos familiares, amigos e leitores. “Muito obrigada a todos pelas doações, orações, pensamentos positivos. Obrigada mesmo de coração, sou eternamente grata por tudo que fizeram por mim.”

Há quase um ano, Letícia, moradora do Gama Oeste, descobriu o câncer. Sem condições de arcar com os custos do tratamento, a amiga Priscila Rosa sugeriu que fosse feita uma rifa. Com ampla divulgação nas redes sociais, as cartelas deixam Letícia cada vez mais perto do tratamento.

O sorteio será realizado em 15 de agosto e o vencedor levará para casa uma máquina de fazer pão.

Tratamento
Falta de ar e cansaço foram os primeiros sintomas que fizeram Letícia recorrer ao médico. “Pensei que era estresse, fui pegar um atestado, mas o médico levantou a suspeita de dengue”, lembra. Após uma bateria de exames, contatou-se que se tratava de um tumor que comprimia o pulmão e o coração.

Em junho do ano passado, a jovem fez o primeiro PET. Sem plano de saúde, a família gastou R$ 2,9 mil com o procedimento – que teria de ser repetido ao menos de três em três meses.

Com poucos recursos, Letícia entrou na Justiça para tentar o tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS). Com o parecer favorável à família, ela fez quimioterapia por seis meses e, em outubro, realizou o segundo PET: o linfoma havia diminuído de 13 centímetros para oito.

Agora, a família, que teve um outro recurso negado na Justiça, improvisou e vai conseguir pagar o terceiro exame. “A juíza indeferiu o pedido porque pensou que se tratava do mesmo exame, feito em outubro, e não um tratamento que precisa ser realizado periodicamente”, explicou. Se o linfoma crescer, Letícia terá de iniciar um novo ciclo de tratamento.

Quer ajudar Letícia? O telefone para contato é (61) 8115.8196.