fbpx
30 de julho de 2021

Mulher ligada ao PCC foge de presídio feminino do DF dentro de contêiner de lixo

Ela escapou sem chamar atenção e não foi vista nem por funcionários nem pelas câmeras


Mulher teria aproveitado momento de distração dos funcionários, entrado em um contêiner de lixo como esse e escapado sem ser vista

Uma mulher de 29 anos, ligada à organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), fugiu do presídio feminino do Distrito Federal, conhecido como Colméia, dentro de um contêiner de lixo. O centro de detenção fica no Gama, região administrativa do DF, e apesar de a fuga ter acontecido no último dia 22, a SSP-DF (Secretaria de Segurança Pública do DF) só divulgou a informação no começo da tarde desta sexta-feira (30).

Ela conseguiu escapar sem chamar atenção e não foi vista por funcionários nem pelas câmeras de segurança do local. A suspeita é que ela tenha entrado no contêiner quando todos estavam distraídos, conseguindo aproveitar o transporte da carga para fugir.

A mulher dividia cela com outras 11 detentas e a ausência dela somente foi percebida pelos funcionários do presídio horas depois da fuga, durante a contagem das internas. Para encontrá-la, a polícia montou um forte esquema de blitz e segurança em pontos estratégicos. A linha de investigação principal é de que ela esteja se escondendo em algum lugar nas regiões do Entorno do DF, que também estão sendo monitoradas.

Ameaças

A Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do DF recebeu nesta quinta-feira (29) uma denúncia informando que as 11 internas que dividiam a mesma cela que a fugitiva estão sendo pressionadas e agredidas fisicamente por não terem informado para os agentes penitenciários sobre a fuga da mulher.

A presidente da comissão, deputada distrital Celina Leão, disse que vai comunicar esta denúncia ao MPDFT (Ministério Público do Distrito Federal e Territórios) e também à Vara de Execuções Penais, que devem investigar o caso, com acompanhamento de perto dos deputados que compõem a comissão.

Celina Leão também informou que vai se valer do direito de livre circulação de distritais no presídios para visitar as presas para auxiliar nas investigações.

O subsecretário de sistema penitenciário do DF, Cláudio Magalhães, afirmou que uma sindicância foi instaurada para apurar a fuga, as circunstâncias e a facilidade como tudo aconteceu.

Fonte: R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial