Policiamento em Taguatinga é reforçado com patinetes

Equipamentos que custam até R$ 18 mil são usados para auxiliar a locomoção de policiais militares

A Polícia Militar de Taguatinga começou a usar patinetes elétricos nas rondas diárias na cidade.

O objetivo da utilização do aparelho é dar mais agilidade ao policiamento ostensivo na região. “A principal vantagem dos patinetes é a ostensividade e a agilidade, além de eles serem ecologicamente corretos. Um policial andaria, em oito horas de trabalho diário, cerca de três quilômetros à pé. Com este equipamento, podemos andar até 30 quilômetros”, explica o Sargento Welber Moreira, do 2º Batalhão de Polícia Militar.

“O Setor Comercial de Taguatinga tem quase dez quilômetros fica difícil ter esse alcance a pé. Então, os patinetes ajudarão”, completa o major Roberto Marques.

O equipamento movido à bateria tem três rodas, capacidade para transportar até 140 quilos, autonomia para rodar 30 quilômetros por dia a velocidades de até 35 km/h, piloto automático, farol, buzina e alarme. Os aparelhos custam até R$ 18 mil e são adaptados para andar em calçadas, ciclovias e até mesmo em terrenos irregulares. …

Para pilotá-los, não é necessária nenhuma espécie de habilitação especial, mas os policiais são obrigados a utilizar equipamentos de proteção como capacete e luvas.

Por enquanto, a PM de Taguatinga conta com apenas dois patinetes elétricos para uso diário. A expectativa, contudo, é de que pelo menos mais 18 sejam adquiridos em breve. Batalhões localizados em outras cidades também já estudam adotar o uso do equipamento.

Fonte: Jornal Destak – Brasília – 06/03/2013

Isso é um absurdo, um patinete “velocipede de criança” não precisa nem de carteira de habilitação custar R$ 18 mil, preço de um carro na fábrica. Aí tem ROLO!