fbpx
26 de julho de 2021

VICE-PRESIDENTE ELEITO DA CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL

VICE-PRESIDENTE ELEITO DA CÂMARA LEGISLATIVA DO DISTRITO FEDERAL  DEPUTADO AGACIEL MAIA É DESTAQUE NA COLUNA EIXO CAPITAL DAS JORNALISTAS LILIAN TAHAN E ANA MARIA CAMPOS DO JORNAL CORREIO BRAZILIENSE.

Qual será sua atribuição na vice-presidência da Câmara?

Vou trabalhar no sentido de haver maior divulgação do trabalho de todos os parlamentares. Trabalhamos muito, mas a população não tem conhecimento do que fizemos de importante nos dois últimos anos.

O senhor foi citado como candidato à presidência. Assume a vice pensando em virar presidente?

Não. Assumo pensando em ser vice. Cheguei à Câmara e havia muita desconfiança em relação a mim entre os deputados. Aos poucos, criei uma confiabilidade. Por isso, meu nome era sempre lembrado para a presidência. Mas acho muito honroso ser vice-presidente.

Pode explicar por que a desconfiança?

Cheguei com a imagem negativa, depois da crise no Senado. Houve divulgação de fatos errados sobre o meu patrimônio e minha vida. Com meu trabalho, construí uma confiabilidade entre os deputados.

O senhor foi diretor do Senado durante 14 anos. Trabalhou com muito poder no Congresso. Acha que perdeu muito ao virar deputado na Câmara Legislativa do DF?

Trabalhei com Ulysses (Guimarães), com Afonso Arinos, fui durante nove anos diretor da Gráfica do Senado e 14 anos diretor do Senado. Na Câmara Legislativa, eu me adaptei a uma realidade diferente da que vivi durante 35 anos no Congresso. Agora os temas são muito relacionados com as matérias do governo local. Estava mais conectado com as políticas nacionais. Mas me adaptei bem.

Quando mira o futuro, pensa em voltar ao Congresso?

Fiz carreira brilhante, até os atos secretos… Era elogiado por todos. Minha carreira foi totalmente desconstruída por causa daquela crise do Senado. Ninguém nunca questionou minha competência, qualificação… Mas eu tinha duas opções: reconstruir ou simplesmente desaparecer. Minha missão maior é reconstruir meu nome e trabalhar pela comunidade. Vou continuar trabalhando e o que eu vou ser no futuro só Deus sabe.

Como justifica os atos secretos?

Parte de alguns atos não haviam sido publicados. Depois foram publicados. A maioria eram atos de realocação de servidores, sem prejuízo financeiro. Todos os atos foram convalidados. Nenhum ato foi anulado e nenhuma pessoa foi demitida.

O episódio marcou sua carreira. Será sempre lembrado como o diretor dos atos secretos?

Sofro com essa história. Quero trabalhar. Agaciel não é isso. Estudou muito, se preparou. Passei 35 anos sem nenhum atestado médico. Sempre fui extremamente elogiado, mas ninguém lembrou disso na hora de me acusar. Mas é coisa do passado. Minha função agora é ser vice-presidente da Câmara Legislativa.

FONTE: COLUNA EIXO CAPITAL – ANA MARIA CAMPOS E LILIAN TAHAN/Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial