DestaqueEspaço CulturalNegóciosNotíciasNotícias do Gama

Sarau no Coreto agitou o Gama com 14 horas seguidas de música e poesia

Ato político cultural mobilizou os artistas locais em prol do CEU da Cultura no Gama

Por Juan Ricthelly

O Gama é conhecido no Distrito Federal como um celeiro cultural de artistas dos mais variados seguimentos, fato que é constantemente lembrado nos debates e discussões sobre a política cultural da cidade.

Muitas lembranças existem sobre o Festival de Música Popular do Gama (FMPG) que movia multidões e músicos de todas as partes do país, do Festival Rock Cerrado que mistura música e ecologia, daquela vez que o Legião tocou na praça ou da outra que o Belchior se apresentou no Cine Itapuã.

Nos orgulhamos como cidade e movimento do nosso passado como polo cultural que exportava arte para o Brasil e o mundo, mas o presente segue sendo motivo de tristeza e nostalgia melancólica em razão da realidade horrorosa que se apresenta diante de nossos olhos.

E a realidade hoje, é que não temos espaços culturais públicos disponíveis para dar vazão à produção cultural de nossos artistas, e isso nos prejudica hoje e o nosso futuro, tendo em vista o impacto que isso causa na formação de novos quadros e agentes artísticos.

O Cine Itapuã o segundo mais antigo do Distrito Federal, segue fechado há mais de 20 anos, num ritmo de reforma que parece desprezar a urgência e a necessidade de termos aquele espaço funcionando em toda a sua plenitude.

O Galpãozinho monumento histórico parte da Rota do Rock, segue num estado de abandono e deterioração sem qualquer perspectiva de reforma, o terreno legalmente destinado à Casa de Cultura é um verdadeiro pasto urbano encravado no centro da cidade, sendo objeto de assédio constante da especulação imobiliária que já tentou mudar inclusive a destinação da área.

O anfiteatro do Estádio Bezerrão, que poderia ser utilizado para atividades culturais de
pequeno e médio porte segue lá, intocado e sem uso.

Recentemente surgiu a perspectiva de pleitearmos um CEU da Cultura para o Gama, articulações foram feitas entre Conselho Regional de Cultura do Gama (CRCG), Administração Regional do Gama e Secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa (SECEC), uma proposta foi enviada e infelizmente o Gama ficou de fora das alternativas enviadas para o Ministério da Cultura (MINC).

Há quem diga que uma proposta avulsa e sem qualquer legitimidade, enviada por uma agente cultural misteriosa, representante de um coletivo da cidade, tenha atrapalhado a pretensão do Gama. Nesse caso em específico é importante e fundamental afirmar o óbvio, que a competência para enviar uma proposta do Gama, cabia unicamente à Administração Regional, nem mesmo o CRCG que é o representante legal legítimo do movimento cultural da cidade poderia fazer tal façanha de forma autônoma.

A exclusão do Gama gerou uma comoção, que logo se materializou no post da SECEC no Instagram com vários moradores questionando o motivo do Gama ter ficado de fora.

Na semana seguinte, a Administração Regional e o CRCG se reuniram com a SECEC para questionar pessoalmente as razões da não escolha do Gama e o que poderia ser feito para que a proposta fosse acolhida, também houve reunião extraordinária do CRCG com a comunidade e com a Administração que se colocou à disposição para trabalhar junto com o movimento cultural da cidade em prol do CEU da Cultura e outros espaços da cidade.

Em contrapartida se decidiu fazer uma mobilização dos artistas por meio de um Sarau, numa parceria entre o Coreto Bar e Cultura e o CRCG, num ato político cultural que demonstrou força e unidade do movimento e da comunidade.

Ao longo de 14 horas seguidas músicos e poetas se revezaram no palco contemplando os estilos musicais e poéticos distintos, mas igualmente belos.

O fotógrafo Wagner Santos esteve presente registrando cada momento com toda a sua sensibilidade e delicadeza com a câmera, possibilitando assim o fortalecimento do portfólio artístico de todos os que se apresentaram no evento.

O evento contou com um stand de comida koreana que fez muito sucesso, barraca de comida, brechó, artesanato, bebidas, biojóias, cadernos artesanais e a Banca de Poetas, numa demonstração de que é perfeitamente possível combinar atividades culturais com a economia criativa.

O Sarau no Coreto em um único dia, teve mais músicos tocando que todos os bares da cidade juntos na mesma semana, por lá passaram mais de 30 artistas ao longo de 14 horas de apresentação sem qualquer cachê ou recurso público ou privado destinado ao evento, demonstrando que ainda temos a fagulha de um movimento cultural pulsante, poderoso e capaz de se unir quando necessário.

O prazo para o envio das propostas ao MINC foi prorrogado até amanhã (31/05), e esperamos que o Gama tenha a oportunidade de competir com as outras propostas, pois nós sabemos o quanto merecemos um CEU da Cultura aqui.

Lista de Artistas que se Apresentaram:

Música
Juan Ricthelly
Vinny Ricthelly
Frances Correia
Ketlen Bastos
Vavá Pereira
Davi Oliveira
Cleisson Batah
Jéssica Freitas
Mariá
Manoel Pretto
Assis Negro Gato
Mulheres em Cena
Gilmar Batista
Jenis Bragança
Matheus Menezes
Priscila Amaro
Cláucio Silva
Disparo Verbal
Bethânia Gomes
Leandro Netto
Cleber Aquiles
Wysllen
Grito Periférico

Poesia
José Garcia Caianno
Walter Sarça
Laércio Nicolau
Claudia Martins
Joel Reis
Jair Francelino
Rayza de Mina

Transmissão ao Vivo do Portal Gama Cidadão pelo Instagram:

Foto por: Wagner Santos

Mais fotos por Wagner Santos. No Facebook, favor marcar os amigos. Clique aqui!

Tags

Artigos relacionados

Veja Também

Fechar
Sair da versão mobile