NotíciasPessoas com deficiência

Secretaria de Saúde do DF investe mais de R$ 166 milhões em insumos

Rede está 92,18% abastecida de materiais médico-hospitalares e medicamentos.

No primeiro semestre deste ano, a Secretaria de Saúde investiu R$ 166.287.992,88 na aquisição de materiais médico-hospitalares e medicamentos. No período, ocorreram 2.527 recebimentos, na Farmácia Central, de medicamentos, materiais de laboratório, médico-hospitalares, de Odontologia, órteses, próteses e materiais especiais; e 2.360 recebimentos, no Almoxarifado Central, de materiais de expediente, fraldas, cadeiras de rodas, entre outros produtos.

“Dentre as diversas aquisições realizadas pela Secretaria de Saúde, destacam-se os materiais para atendimento odontológico, que não eram adquiridos pela secretaria. Há, ainda, as luvas cirúrgicas e de procedimento, cujo estoque estava desabastecido devido a problemas com a matéria prima”, ressalta o diretor de Programação de Medicamentos e Insumos para Saúde, Pedro Henrique Côrtes de Sousa.

Além dessas, Pedro Henrique destaca a aquisição de 10.537.000 fitas reagentes para teste de glicemia capilar, destinadas à Atenção Básica, bem como a aquisição de avental e capote cirúrgico estéril e de compressas cirúrgicas. O investimento total em aquisição de materiais médico-hospitalares foi de R$ 47.231.407,65.

MEDICAMENTOS – A maior parte dos investimentos foi para a compra de medicamentos, um total de R$ 119.056.585,23. Com isso, o atual índice de abastecimento é de 92,18%. Porém, todos os que ainda faltam já estão com processo de compra em andamento.

“A secretaria vem trabalhando arduamente a fim de que os processos de compra ocorram de forma mais célere, realizando a gestão dos prazos dos processos e garantindo que todos os insumos estejam em processo de compra regular. Caso os processos apresentem entraves quanto ao tempo ou diversos históricos de fracassos, a secretaria, imediatamente, realiza a tentativa de adesão a Atas de registro de Preços de outros estados e, em caso de insucesso, tenta-se a aquisição de forma emergencial”, explica Pedro Henrique.

Dentre os itens de destaque está a aquisição de 4.397.293 de medicamentos para epilepsia, antidepressivos, anestésicos e ansiolíticos. Além disso, foram adquiridos 200.528 hormônios, imunossupressores e agentes antineoplásicos que estavam com os estoques zerados na rede.

Alline Martins, da Agência Saúde
Fotos: Breno Esaki/Saúde-DF

Tags

Artigos relacionados

Fechar