Destaque (Slide Show)NotíciasNotícias do GamaPolítica

Operação Lava Jatinho chega no Gama

Gama Cidadão deflagra Operação Lava Jatinho

No dia de hoje, 17/07, a equipe do Gama Cidadão recebeu uma denúncia gravíssima a respeito da administração. Um cidadão enviou a nossa redação, relatos de abusos cometidos por parte da Administração Regional do Gama. Nossa equipe já está batizando de Operação de Lava Jatinho, uma simples referencia a Operação Lava Jato.

Na mensagem enviada à redação o cidadão citou problemas graves de atos cometidos por gestões que passaram recentemente pela Administração do Gama.

A carta veio com o intuito de alertar, não só a sociedade bem como os meios de controle, fiscalização e justiça. No tocante ao respeito ao bem público, à ética nas ações do Serviço Público, a pessoa que enviou a mensagem não quis se identificar, porém nos informou que é servidor da Região Administrativa RA II Gama a pouco mais de uma década. Segundo o informante é tempo suficiente para relatar erros nos bastidores que trazem prejuízo ao erário público e a toda população.

Segundo a fonte trata-se de mazelas do tipo que a sociedade hoje em dia mais repudia e reprova no serviço público. Serviço este que deveria bem servir e resolver os anseios da sociedade.

O denunciante em questão relatou exemplos de abuso de poder de alguns mandatários públicos que passaram pela cadeira de administrador(a) da cidade. Segundo ele houve amordaça psicológica, ameaças, assédio moral, algo que aconteceu tanto a servidores de carreira quanto a comissionados. Até intimidação feita por administradores a comerciantes durante campanhas eleitorais, servidores exonerados de cargos e funções por negar apoio político-partidário, processos e sindicâncias engavetados.

São denúncias das mais variadas que vão desde arrombamento de telhado, até caixinha de pagamento de servidores para pagar pessoas por fora no intuito de blindar os próprios administradores nas redes sociais e nas ruas. Dinheiro desviado de obras públicas e falsificação de assinaturas para liberação de alvará ilegal. São inúmeras acusações feitas pelo servidor, que não quis se identificar com medo de represálias e temor a sua própria vida. São atos que datam de 2015 e seguem até os dias atuais.

Acompanhe na íntegra a carta enviada que deflagrou a Operação Lava Jatinho:

 

CARTA ABERTA

Servidor(a) da Adm Regional Gama

Caríssimo moradores da cidade do Gama e Entidades civil organizada, Encaminho esta carta aberta a vários seguimentos respeitados da SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA E LIDERANÇAS, por entender

que nem todos comungam com Ética e Justiça na Política e nas ações Governamentais da nossa cidade; venho por meio deste alertar a sociedade e os meios de controle, fiscalização e Justiça, tocante ao respeito ao bem público, ética nas ações do Serviço Público, todavia por MOTIVO DE SEGURANÇA a mim e minha família, escrevo anonimamente como se segue: sou Servidor(a) da Região Administrativa RA II Gama pouco mais de uma década, tempo suficiente para relatar erros nos bastidores que trazem prejuízo ao erário público e a toda população, são mazelas, tudo aquilo que a sociedade hoje com tanta informação mais odeia e reprova no Serviço Público, serviço este que deveria bem servir e resolver os anseios sociais. Inicio minha fala com exemplos de Abuso do poder de alguns mandatários Políticos (administradores), amordaça psicológica, ameaças, assédio moral tanto a Servidores de Carreira e Comissionados junto à administração regional do Gama – RaII; Pior ainda quando ex- administrador(a) intimida comerciantes a aderir campanha eleitorais, servidores exonerados de

cargos e funções por se negar apoios político partidário, processos e sindicâncias engavetadas, principalmente com apoio de servidores antigos de carreira, servidores intimidados em público, nos corredores, processos com mesmo número encaminhado para vários sessões com intuito retardar, burlar andamento a celeridade processual, processos com rasuras, falsificação de assinaturas e mais; Diante de tudo posso afirmar que “operação Monopólio deflagrada pela POLÍCIA CIVIL DO DF que descobriu roubo de 55 milhões nas RAs, pode ser apenas a Ponta do Iceberg.

Fatos:

Ano 2015 – Arrombamento de telhado presenciado por este signatária, seguranças e vários servidores, tudo indica uma busca de possíveis processos licitatórios, não posso afirmar se tal fato foi Registrado na 14 DP (motivos políticos)

Ano 2015 – Caixinha de pagamento/Rachid de servidores para pagar pessoas por fora no intuito blindar administradores nas redes sociais e nas ruas, cobrança feita inclusive por escrito com ameaça a servidores de carreira;

Ano 2016 – Desvio na obra da Praça do Cine Itapoã de aditivo em desacordo com Lei de Licitação Lei 8666 a, projetos superfaturados;

2016 – Falsificação ou e assinatura de Liberação de Alvará, onde Emancipação ocorre em 2016 assinada pela gestão e torna sem efeito em 2013 no qual gestor (a) ainda não era nomeado pelo GDF processos                   fora        do      período              da      gestão,              determinando falsificação, prevaricação e má fé pública;

Obra superfaturada banheiro público (Parque Urbano Vivencial do Gama) em área não pertencente à Administração Regional do Gama – RaII, condenada pelo TJDF, dano ao Patrimônio e ao Erário Público;

Ano 2017 – Uso da máquina pública para promoção pessoal, usando e-mail institucional e redes sociais da Administração Regional (desrespeito com a coisa pública, administradores vivem permanente em pré-campanha);

Ano 2017/2018 – Troca de Meio-fio bons por novos, amplamente questionados nas mídias sociais (pagamento de apoio político com empresários locais).

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1784575698236506&id=424064727620950

Ano 2019 – Arquivamento de processos contra ex- administradores sem os devidos processo legais com parecer Jurídicos e encaminhamento aos órgão de fiscalização;

2019 – Uso do Sistema Eletrônico de Informações (SEI), por vários servidores e comissionados com a mesma senha do administrador (a) (locais diferentes no mesmo horários);

2019 – Irregularidades em tomada de imóveis de Associações Sociais sem passar por processo (SEI);

2019 – Irregularidades em adoção de espaços públicos em uma parceria público privada sem passar por processo (SEI), amplamene divulgado no site da RA.

http://www.gama.df.gov.br/2019/04/15/juliana-navarro-apresenta-balanco-dos-100-primeiros-dias-de-governo/

 http://www.gama.df.gov.br/2019/04/12/serie-100-dias-3o-episodio-gama-recebe-mutirao-de-acoes-de-infraestrutura-e-urbanismo/

Diante dos fatos narrados, com apontamentos graves outros de pequena monta, Peço a gentileza do encaminhamento por parte de Cada leitor Pessoa Física ou Associações o de Bem, Pedindo urgente aos Órgãos de Fiscalização e Controle a exemplo MP e TCU, auditoria dos últimos 10 (dez) anos de todos processo executados e em posse da Administração Regional do Gama, em busca da elucidação dos Fatos e devida punição aos envolvidos culpados inclusive ex administradores (a).

Carta por servidor anonimo.

Nós da imprensa temos por obrigação reportar e noticiar os fatos que acontecem na região. Denúncias graves como estas precisam se tornar públicas para que cheguem aos olhos do poder público, com o intuito de que as providências cabíveis sejam tomadas.”

Estamos de olho na Operação Lava Jatinho!

Por Lucas Lieggio
Da redação do Gama Cidadão

Tags

Artigos relacionados

Fechar