Banca de PoetasDestaque (Slide Show)Espaço CulturalNotíciasNotícias do Gama

23ª Edição do Sarau Nacional Banca de Poetas e 2º Ato Itapuã pela Arte

Pré-estreia do festival Banca de Poetas com apoio do FAC

Na manhã do último sábado, dia 05 de maio, na praça Lourival Bandeira, foi levado ao ar com transmissão ao vivo, a 23ª Edição do Sarau Nacional Banca de Poetas, em parceria com o Portal de notícias Gama Cidadão e com a Rádio Nacional AM (980 Khz), na companhia do apresentador do programa Revista Brasil, Valter Lima. O tema escolhido foi a reforma e a devida readequação do formato de gestão do Cine Itapuã que outrora mantinha suas portas abertas a todas as vertentes da arte. Este 2º Ato nomeado por “Crônica da casa Abandonada”, foi dedicado ao paraibano Pedro Osmar, artista multimídia e defensor da arte cinematográfica, que se deslocou de João Pessoa ao Gama (DF) para apoiar a primeira edição do Ato Itapuã pela Arte.

Produzido por José Garcia Caianno e com apresentação dele junto com Luiz Felipe Vitelli, os participantes do programa foram tratados como cronistas. Apresentações musicais e de poesia clamaram com urgência pela reforma da casa abandonada.

Poetisa do Gama, Claudia Martins

O 23º Sarau Banca de Poetas Rádio Nacional AM (980 khz) teve a abertura musical com Chico Nogueira parceiro e fundador da Banca de Poetas e do Sarau Nacional. Na sequência, Roberto Farias, do Projeto Cordas Do Gama, fez uma apresentação solo com seu violino e em seguida acompanhou o recital de Cláudia Martins, ativista e poetisa da cidade, e apresentou-se com alunos iniciantes entre 10 e 60 anos

Projeto Cordas do Gama do professor Roberto Farias

O presidente do conselho de cultura do DF, André Muniz, falou sobre os trâmites burocráticos que dificultam e atrasam a reforma da “casa abandonada”. Também participaram do evento Cláudio Alcântara (último gestor do Cine Itapuã) e Marcos Derru (professor e museólogo) que testemunhou vários momentos do bom e velho Itapuã. Os poetas Paulo Avelino, Laercio Nicolau e NegoDai fizeram bonito ao apresentarem seus versos.

José Garcia e Mané Preto
Apresentação do Marco Augusto da companhia Voar “João e o Pé de feijão”

O público, também, pôde ouvir e apreciar o dedilhar das cordas de Jairo Mendonça e a performance de Mané Preto que sempre se emociona ao pisar na ribalta. Houve a participação de Gilmar Batista, outro veterano a subir ao palco. Marco Augusto da companhia Voar realiza um sonho antigo de José Garcia: traz o teatro de bonecos para o Rádio. Marcos adaptou um trecho do espetáculo “João e o Pé de feijão” especialmente para essa ocasião.

Walter Sarça
José Garcia, Cláudio Alcântara e Luiz Felipe Vitelli

Os cineastas Walter Sarça e Pedro Augusto estiveram presentes falando da difícil tarefa de fazer cinema em uma cidade onde uma simples reforma do templo da sétima arte vem sendo procrastinada. Aliás procrastine é o título do filme de Pedro Augusto que acaba de ser lançado. Juan Ricthelly, poeta e ambientalista, foi mais um cronista da casa abandonada.

Dr. Ricardo de Albuquerque Lins
Luiz Felipe Vitelli, Dra Márcia de Alencar e José Garcia

O tema abandono também foi abordado por outro olhar. O médico psiquiatra Dr. Ricardo de Albuquerque Lins, que está à frente da Abrasme (Associação Brasileira de Saúde Mental DF) e coordena o 6º congresso brasileiro de saúde mental. Ele falou do tabu e do preconceito que ainda nos dias de hoje cercam um assunto tão presente na sociedade. E falou também do descaso por parte das autoridades que se assemelha ao da casa abandonada. Mas, a participação de Albuquerque no programa foi para divulgar o congresso que ocorrerá no centro de convenções Ulisses Guimarães nos dias 30 de maio a 1º de junho na capital federal.

Na mesma linha, outra cronista foi a Dra. Márcia de Alencar. Ex-secretária de segurança pública e ativista dos direitos humanos, ela falou da importância de se cuidar da saúde mental dos trabalhadores da segurança pública e alertou para o drama de quem vive a linha de frente desse trabalho. Márcia de Alencar propõe medidas transversais na gestão pública como método para minimizar a violência nas grandes cidades. Em vez da mera repressão, defende a segurança pública sem medo e sem violência. Para quem vive à margem, justiça e inclusão social. Diz Márcia.

Reprise das transmissões ao vivo pelo Facebook do Gama Cidadão:

Comunicadores Valter Lima e Israel Carvalho

Galeria de fotos, clique aqui!

Lucas Lieggio e José Garcia
Redação do portal Gama Cidadão – 12/05/2018

Tags

Artigos relacionados

Portal de Notícias Gama Cidadão o
Fechar
%d blogueiros gostam disto: