Alunos estão desenvolvendo projeto de pesquisa sobre a Prainha do Gama

Alunos da Faculdade JK no Gama estão desenvolvendo projeto de pesquisa sobre a degradação da Prainha, com foco no impacto para a comunidade

Quatro alunos do curso de história da Faculdade JK estão desenvolvendo um projeto de pesquisa sobre o Parque Recreativo e Reserva Ecológica do Gama, mais conhecido como Prainha. Os alunos Aléxia Rodrigues, Carlos Santos, Karina Nascimento e William Rodrigues se juntaram para falar sobre a degradação de um dos lugares mais queridos dos moradores do Gama.

Karina Nascimento conta que já existem projetos de restauração da Prainha e por isso resolveu, junto com seus colegas, falar sobre os impactos da degradação do parque para comunidade, “os relatos das pessoas é que lá era uma oportunidade de ter um contato com a natureza, ar livre, água corrente e tem cachoeira e com o tempo teve a degradação”, disse ela.

O advogado, servidor público e ambientalista Juan Ricthelly, conta que antigamente a Prainha tinha um viéis de lazer, para ter contato com a natureza. Para ele isso foi modificado com a chegada da estação de tratamento de esgoto da Caesb, que fica a poucos metros do parque e tem grande impacto ambiental na água do rio Alagados.

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) desenvolveu um Plano de Manejo que está disponível em seu site, mas sem previsão de restauração do parque.

Criada em 1961, a Prainha está desativada para visitação desde 2002. O local era ponto de encontro dos moradores da cidade e guarda doces lembranças para todos aqueles que o frequentavam.

* Com informações do Capital do Entorno – 13/07/2020