Destaque (Slide Show)NotíciasNotícias do Gama

GDF amplia oferta de casas populares e tenta coibir a grilagem

Codhab lançará, em 2020, mais de 10 mil imóveis para famílias com renda acima de R$ 1,8 mil mensais no Gama, em Planaltina e em Sobradinho

O Governo do Distrito Federal (GDF) planeja lançar edital para a construção de pelo menos 10 mil unidades habitacionais para famílias carentes com renda mensal acima de R$ 1,8 mil ao longo de 2020. Os empreendimentos serão erguidos no Gama, em Sobradinho e em Planaltina. O objetivo é combater a grilagem.

Em 2019, o foco dos empreendimentos populares foi exclusivo em unidades para famílias com renda de até R$ 1,8 mil por mês. Segundo o presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab-DF), Wellington Luiz, o governo deseja ampliar a oferta de habitação para sufocar a grilagem de terras.

“O grande concorrente da grilagem é o governo. Nós vamos matar o grileiro de fome”, afirmou. As unidades para as famílias mais carentes exigem pagamentos de parcelas simbólicas de R$ 80. A partir dos R$ 1,8 mil mensais, as taxas sobem para valores acima de R$ 200.

Dezesseis prédios

A meta do governador Ibaneis Rocha (MDB) é entregar 60 mil unidades habitacionais populares até o fim do mandato, em 2022. Até março, a Codhab pretende lançar editais de licitação para a construção de 16 projeções no Gama. A previsão de entrega são 24 meses após a contratação.

“Estamos negociando a possibilidade de convênio com o BRB para oferecer o financiamento dessas obras. Será opcional. Mas se der certo, o governo vai utilizar esse dinheiro para reinvestir nos projetos destinados às famílias mais carentes”, explicou.

Segundo o presidente da Codhab, o governo pretende investir em obras na região norte do DF. Nesse sentido, os projetos habitacionais para Sobradinho e Planaltina estão sendo preparados pela companhia com o secretário de Governo, José Humberto, e o secretário-executivo das Cidades, Fernando Leite.

Mais carentes

Ao longo do primeiro semestre de 2020, o GDF planeja entregar 1.600 unidades para famílias com renda abaixo dos R$ 1,8 mil. Serão 200 no Parque do Sol, localizado no Sol Nascente. As demais 1,4 mil vão ser entregues no Parque dos Ipês, no bairro Crixá.

Ainda no Crixá, o GDF pretende começar as obras para construção de mais 1,2 mil unidades. A empresa Direcional venceu a licitação. Falta contratar o serviço.

Outra meta para o começo do ano é acabar com o imbróglio envolvendo Santa Luzia, na Estrutural. A Justiça determinou o fim da ocupação irregular e a acomodação das famílias em unidades habitacionais. “Já temos projeto. A Agência Francesa vai dar o financiamento de R$ 130 milhões para as obras nas margens do Parque Nacional”, completou.

Com informações do portal Metrópoles – 08/01/2020

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Fechar