Ministério Público deflagra segunda fase da Operação Diagnose

Integrantes do MPDFT estão nas seis Unidades de Pronto Atendimento (UPA) para fiscalizar as políticas públicas de saúde

Na manhã desta sexta-feira, 29 de novembro, promotores de Justiça e servidores do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) estão nas seis Unidades de Pronto Atendimento (UPA) para conferir se os problemas identificados na inspeção anterior, realizada há um ano, foram solucionados. O objetivo da Operação Diagnose é fiscalizar as políticas públicas de saúde.
As equipes são compostas de cinco pessoas: dois promotores de Justiça e três servidores, um deles do Setor de Perícias e Diligências, responsável pelo assessoramento técnico pericial do MPDFT. Uma inovação este ano é o uso de formulário eletrônico para conferir se as unidades têm a estrutura mínima para funcionamento. Desde maio, as UPAs são geridas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF).

UPA
A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) é a porta de entrada do cidadão na rede pública de saúde para os casos de baixa complexidade (sem risco de morte). Estabiliza os pacientes e realiza a investigação diagnóstica inicial para definir a necessidade ou não de encaminhamento a serviços hospitalares de maior complexidade. Atualmente, o DF dispõe de seis UPAs:

Ceilândia
Endereço: QNN 27, Área Especial D – Ceilândia Norte

Núcleo Bandeirante
Endereço: DF-075, KM 180, Área Especial – EPNB

Recanto das Emas
Endereço: quadra 400/600 – Área Especial

Samambaia
Endereço: QS 107, conj. 4 – Área Especial

São Sebastião
Endereço: quadra 102, conj. 1

Sobradinho

Endereço: DF-420, em frente à AR-13, próximo ao COER
Com informações do MPDFT – 29/11/2019
Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios