Notícias

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Em 1989, o Rotary Clube de Taguatinga comemorou o Jubileu de Prata. 25 anos de serviços prestados a comunidade. Um dos atos para marcar da data foi uma caminhada feita pelos rotarianos e familiares do Marco Rotário que ficava no centro da cidade em frente ao Posto Gasolina Nene´s até a sua sede na Área Especial 4 ( QSC 1). Breve o clube completará 50 anos e não poderá repetir o ato. O monumento histórico desapareceu. O presidente do clube era o saudoso Sebastião Aparecido Alves.

 

O Senador taguatinguenses Gim Argelo, tem feito do seu mandato, sem maiores alardes, um campeão de  arrancar verbas federais para o Distrito Federal e boa parte para Taguatinga. Segundo ele,  já foram cerca de R$ 13,7 bilhões já garantidos para o próximo biênio e podem chegar a R$ 30 bi ate o final de 2014. É muito dinheiro. Taguatinga foi o seu berço politico, aqui aprendeu os primeiros passos como pode ser visto nesta foto de Getulio Romão no auditório da ACIT nos idos de 1984,  vendo Wilson Nunes, um lider comunitáriol exercer seu papel. O túnel de Taguatinga será uma das maiores realizações.


NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

O Brasiliense Futebol Clube tem se esforçado para se manter na deficitária Serie C. Perdeu o primeiro jogo e se perder o segundo perde o rumo. Os jogos do clube podem ser vistos no site do clube http://www.brasiliensefc.net/site/ com transmissão ao vivo. Na foto de hoje da série histórica NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX uma foto da vitória de 1×0 contra o Fortaleza, jogo que levou o clube a Serie A do Brasileirão em 2004. Estamos torcendo pelo Brasiliense  e voltar aos bons tempos com o Estadio Serejão Cheio.


NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Os dois anos de mandato foi uma revolução, duas vezes o melhor carnaval de clube do DF, troféu Crocodilo de Prata, o Baile Vermelho e Preto com 6 mil pessoas no salão, todas vestidas nas cores exigidas, Criação Salao de Jogos, Reveillon de 1982 considerado o melhor do ano. As festas era com os melhores conjuntos da época como o Brasilia Squema 6 do Tiaozinho e as melhores de Goiânia. Criação do Jornal Informativo enviado mensalmente aos 14 mil sócios ativos, só que naquele tempo não existia computador para emitir as etiquetas, era tudo a mão. Extinção do Titulo Remido, apreensão de 8.000 carteiras falsas ou canceladas por falta de pagamento atreves de rigoroso pente fino na portaria. Criação do Diretor do Dia, criação do Salão Verde para festas especiais e a frequência dos fins de semana foi transformada no Clube da Família.  Duas gestões seguintes com nova diretoria deu no que deu….. acabou.

PRIMAVERA DEIXOU SAUDADES – A “Gestão Liberdade 1982-1983” foi um divisor do Clube antigo com a nova direção. Os diretores que formaram a Chapa Liberdade foram escolhidos a dedo nos clubes de serviço, dentre eles José Ribamar, Chiquinho da Soterra, Leovegildo Figueiredo, Maria Leal, o incansável Valcir Neiva o Diretor Social, Itamar Barreto, Getulio Romão, Francisco Savio, Romildo Ribeiro, uma equipe de peso.


NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

A Associação Portuguesa de Brasília está desde 1962  proporcionando o que há de melhor para a população. A história da Associação está diretamente ligada aos primeiros imigrantes Portugueses que chegaram a Brasília. Nesse período de quase cinco décadas, muitas melhorias foram realizadas, tanto estruturais quanto nos serviços oferecidos ao quadro social, tornando a Associação Portuguesa de Brasília, além de um elo Luso-Brasileiro, em uma entidade que cumpre sua finalidade.

ÚNICO SOBREVIVENTE – Taguatinga já teve bons clubes, saudados do pequeno Clube dos 200, do gigante CIT – Clube Comercio e Industria de Taguatinga. TEC – Taguatinga Esporte Clube. Todos fecharam as portas. Não conseguiu atrair sócios. A nova geração dos condomínios de prédios residenciais tomou este espaço. Hoje os edifícios, principalmente os de Aguas Claras se tornaram verdadeiros clubes, alguns com ate 40 itens de lazer tornaram os clubes sociais obsoletos e dispensáveis. Isto esta acontecendo também no plano piloto. O único sobrevivente foi a Associação Portuguesa de Brasília, cuja sede social fica na QS 5 no pistão sul graças a garra e a perseverança do português Jose Pereira Gravia.


NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

ERAMOS FELIZES E NÃO SABIAMOS – Em 1975 para se chegar a Taguatinga existia apenas um balão que dava conta do recado. Via-se apenas a Caixa D’água, um Cruzeiro e poucos prédios. O gabarito foi aumentado apenas de 1979. Em 2008 já com a cidade evoluída o viaduto que substituiu o balão ainda não dava sinais de fatiga. Agora, após a inauguração a inacabada EPTG o transito ficou um inferno pois as 4 pistas se transformam em apenas uma no viaduto, já que das 3 pistas existentes uma é exclusiva para quem faz o retorno, outra para os ônibus e sobra apenas  uma para os milhares de veículos. O governo anuncia a criação de um GT, Grupo de Trabalho que vai englobar as principais secretarias que cuidam de transito para uma orientação única e resolver o assunto. Tomara que saia do papel.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Neste sábado, apesar de não constar da programação oficial do 54º aniversario de Taguatinga, o Lions Clube Taguatinga Independência vai receber em sua sede a sociedade de Taguatinga na 34ª  NOITE DE QUEIJOS E VINHOS a partir das 21 horas. O traje exigido é passeio completo. Cerca de 600 convidados são esperados para a grande festa, Na foto o registro da festa de 2007.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Na programação de aniversario mais pobre dos últimos anos, dia 2 de junho próximo, haverá uma sessão solene em homenagem aos ex-administradores, comerciantes de empresários de Taguatinga. Dificilmente o número de administradores presentes a festa dos 48 anos de Taguatinga realizada em 2005 será batido quando 23 estiveram presentes e minha Rolleyflex registrou,  No foto de hoje o primeiro administradora de Taguatinga José Maciel Paiva, gestão 1958/1960 recebe uma homenagem do então Governador do Distrito Federal,  Hélio Prates da Silveira e do administrador Eduardo Mundim Pena.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

ENTRADA DA CIDADE  – Em 1975 a entrada da cidade era completamente direrente. Ainda nao existia o viaduto e o balão existente tinha ate um Cruzeiro e muito mato. Nao tinha nada de atrativo. Hoje, com a revitalização da Estrada Parque o viaduto tornou-se um tormento para os motoristas, 4 pistas se transformam abruptamente em apenas duas e para piorar, a faixa exclusiva dos onibus piora mais ainda o transito. Uma solução de emergencia seria afastar a placa de termino da pista exclusiva de onibus em pelo menos 500 metros permitindo que o viaduro fosse utilizada as 3 faixas para o trafego.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

CAVALOS EM LUGAR DE AUTOMOVEIS –  Em 1972, era possivel ver cavalos passeando no centro da cidade. Esta foto foi tirada na C 9, uma quadra proxima da praça do relogio. Descansavam á sombra das arvores sem serem incomodados. Hoje é diferente como mostra a foi debaixo.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

TAGUATINGA está proximo de completar 54 anos. A foto de hoje é bastante interessante. Hoje o centro da cidade esta intransitavel, veiculos e pedestres não se entendem. A foto mostra a região da C 3, proximo onde é hoje o Banco Itau e a Caixa Economica Fedral onde aparece um cavalo, nehuma pessoa, nenhum carro, nenhum menino soltando pipa,  nenhum predio. Um verdadeiro contraste.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Apesar de Taguatinga estar proximo ao poder, não é comum a visita de um Presidente da Republica. Na foto de arquivo vemos o Presidente Castelo Branco inagurando um viaduto da estrada parque. Na foto o Prefeito Plinio Cantanhede. Na foto abaixo o Presidente Geisel e o Governador do DF Elmo Serejo, inaugura a Feira Permanente da QNL.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

PRESIDENTE JOÃO BAPTISTA DE OLIVEIRA FIGUEIREDO, na abertura oficial da FACITA de 1979.  A FACITA – Feira Amostra Comercio Taguatinga, ja teve seus tempos de gloria. Mostrava a pujança do comercio e industria da cidade. A ACIT – Associação Comercial e Industrial de Taguatinga era a entidade promotora do evento naquela época, uma entidade de grande respeitabilidade. As eleições eram disputados voto a voto.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Toda cidade tem seu monumento simbolo, o Rio e o Cristo Redentor, Londres o Big Bem. Taguatinga teve o seu monumento. Uma Caixa D´agua que ficava no meio da rua ( C 2 em frente onde é hoje o Banco Itau) e que nunca teve água. Quem se diz pioneiro, tem que ter visto a Caixa de pé. Ela foi derrubada em 1983. A partir daí o RELÓGIO DA PRAÇA foi o substituto natural. A caixa d´agua inspirou a Tribuna com o TATA GOSTOU….

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

Esta e a mais antiga foto do meu arquivo. Palanque do 4o e do 5o  aniversario. Eles foram instalados na Avenida Central. Naquele tempo poucos fusquinhas passavam na avenida. Hoje se o transito for interrompido por meia hora, da uma fila de carrrs ate o Guara.

NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX

GETULIO ROMÃO CAMPOS, um pioneiro de Taguatinga, fotografa a cidade desde 1962. É dono de um dos maiores acervos fotográfico da cidade e a partir desta data vai colaborar com a TRIBUNA DE TAGUATINGA publicando diariamente uma foto dos TEMPOS DA ROLLEIFLEX.

Getulio vem de uma família de fotógrafos. Seu pai Jose Romão Filho era na década de  60, 70 e 80 o melhor fotógrafo de estúdio da região. Faz mais de 20 anos que deixou de fotografar como profissional, hoje é Corretor de Imóveis. A foto de hoje retrata seu irmão,  Guilherme Romão Campos, que durante duas décadas fotografou presidentes como fotografo oficiel do Palácio do Planalto.


NOS TEMPOS DA ROLLEIFLEX



Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Fechar