Sem categoria

Preito/ Efemérides

Rui Perpétuo, presidente do Movimento Afrodescendentes de Brasília - Madeb

Rui Perpétuo Gomes, um verdadeiro mestre e líder que fez tanto em sua caminhada incansável pelos direitos e bem estar da população negra. Casado a 22 anos com a Leonísia, e pai da Larissa (21 anos) e do Vinícius (20 anos). Um ícone da luta antirracista no DF e entorno, exemplo de generosidade e ação.

Reconhecido e admirado, principalmente na cidade do Gama/DF, referência como idealizador, fundador e presidente do Movimento Afrodescendente de Brasília (MADEB). Dentre as missões e objetivos do MADEB: edições da Semana da Consciência Negra Gama-DF; Mostra Cultural Afro-brasileira do Gama-DF; Amostras da história da África em respeito à Lei 10.639/03 nas escolas públicas; Cultura Afro-Brasileira nas escolas públicas; Representações das religiões de matriz africana e entre outros que dimensionam os anseios de Rui para além da garantia de direitos, proporcionar qualidade de vida para a população negra. Em suas palavras:

“O que queremos é quebrar o tabu da cultura negra, que ficou marginalizada durante muitos anos. Queremos contar a história da África sob a ótica do negro, e não do branco”, interpreta Rui Perpétuo Gomes, presidente do MADEB.

De fato, o portfólio de atividades, palestras, lutas e conquistas de Rui é de tamanha infinidade que não há espaços para mensurar todo legado em uma carta de homenagem. O retrospecto de sua vida pessoal e profissional apresentam a sintonia que envolve muita humildade, afeto e luta.

Hoje conseguimos ressignificar o verdadeiro sentido de ser liderança. Rui foi um grande mestre, humilde, sábio e resistente. Entre seus grandes feitos no campo da militância estão: a discursão sobre políticas de igualdade racial nas escolas, a aplicabilidade da lei 10.639/03 (lei do Brasil que estabelece a obrigatoriedade do ensino de “história e cultura afro-brasileira”), a promoção do dia consciência negra (festivais e grandes eventos), a representatividade de religiões de matrizes africanas, o impulsionamento de projetos como o africanidades e outros feitos que reforçam sua grandiosidade e contribuição para além de nossas vidas, um compromisso com o futuro!

Em sua homenagem e na música do conjunto Fundo de Quintal, almejamos uma forma de retribuir todos os ensinamentos:

“Quero chorar o seu choro

Quero sorrir seu sorriso

Valeu por você existir, amigo” grupo Fundo de Quintal.

O mundo nos prega muitas surpresas. Muitas nos fazem sofrer, trazem tristeza, dor e luto. A sua partida, tão prematura, foi uma dessas surpresas imprevisíveis do destino que nos tiram o chão. Ninguém poderia imaginar que você nos deixaria tão cedo, tão abruptamente.

Rui deixou muito amor entre nós e por nós. O seu amor pela vida continua pulsando em nossos peitos. Disseminamos o seu legado em paz, iluminado pelas bênçãos de Deus e dos orixás.

Não perdemos um guerreiro, mas sim, ganhamos um Ancestral.
Vá em paz, grande Mestre! Rui Presente o/

NOTA DE APOIO AO EXMO. SR FÁBIO FRANCISCO ESTEVES

O Conselho de Defesa dos Direitos do Negro do Distrito Federal – CDDN vem a público, manifestar Nota de Apoio ao Excelentíssimo Doutor Juiz Federal, o Senhor Fábio Francisco Esteves, em face da declaração puerile do então candidato a governador do Distrito Federal, condenado no processo TJDFT nº 2011.11.1.006658-7.

O CNND exalta o pioneirismo do Juiz Federal Fábio Francisco Esteves na Promoção da Igualdade e combate ao racismo Institucional, principalmente no âmbito da justiça brasileira, onde é referência de engajamento no debate sobre as relações raciais e acesso à justiça.

Esta Nota foi deliberada na reunião ordinária do Conselho de Defesa dos Direitos do Negro do Distrito Federal de 05 de outubro de 2018, considerando os previstos na Lei nº 2.968/02, combinada com o Decreto nº 31.5714/10.

Fonte: Secretaria Adjunta de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos – 20/11/18 às 10h50

Tags

Artigos relacionados

Fechar