NotíciasPessoas com deficiênciaPolítica

Projeto de lei que cria Secretaria das Pessoas com Deficiência é protocolado

O governador Ibaneis Rocha foi à Câmara Legislativa protocolar a proposta que, se aprovada, beneficiará cerca de 650 mil pessoas

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, protocolou na Câmara Legislativa do DF (CLDF), na tarde desta segunda-feira (19), o projeto de lei que cria a Secretaria das Pessoas com Deficiência. A proposta vai beneficiar cerca de 650 mil pessoas da capital.

O anúncio foi feito durante a solenidade de entrega gratuita de cadeiras de rodas de diferentes modelos e finalidades no Hospital da Criança José Alencar (HCB), com a presença das primeiras damas do Estado, Mayara Noronha, e da Presidência da República, Michelle Bolsonaro.

Na exposição de motivos enviada à CLDF, o secretário adjunto Juliano Pasqual explica que a proposta é vinculada à Casa Civil e visa garantir atuação relacionada às políticas e ações voltadas às pessoas com deficiência, além zelar pelo cumprimento dos direitos e dos princípios estabelecidos pela política Distrital.

Governador Ibaneis Rocha, a primeira-dama do DF, Mayara Noronha, o deputado Iolando e a primeira-dama Michelle Bolsonaro.

“Essa é uma grande conquista para as mais de 650 mil pessoas que tem algum tipo de deficiência que vão poder contar com o apoio da nova pasta. Estamos dispostos a desenvolver o melhor trabalho possível na Secretaria da Pessoa com Deficiência, pois a implantação dela é uma antiga demanda do segmento”, disse o deputado Iolando

Segundo o chefe do Executivo local, Brasília tem cerca de 20% da população que possui algum tipo de deficiência e, por isso, a pasta possibilitará ações específicas para essas pessoas. “Temos que ter um olhar diferenciado, como programas habitacionais, medidas na área da educação, saúde e segurança. É uma secretaria de humanidade, de carinho e aproximação”, ressalta.

Ainda de acordo com o governador, a pasta será comandada pelo deputado distrital Iolando Almeida. “É uma pessoa que trabalha há mais 30 anos nessa área. Ele conhece sobre o assunto e vai nos aproximar dessas pessoas por meio de estudos e ações”, justificou.

Por Ana Luiza Vinhote e Jéssica Antunes

Da Agência Brasília com adaptações – 19/08/2019
Tags

Artigos relacionados

Fechar