7º FESTINECO – Festival de Teatro de Bonecos do Gama

Dez dias de alegria (18 a 27/05) com grupos do Distrito Federal, Argentina, Chile, Peru e Uruguai e de mais três regiões brasileiras

O riso, o brilho nos olhos e o encanto dos bonecos vão abrir suas asas da quarta (18/05) até a sexta (27/05),  em palcos e horários variados, no Teatro SESC Paulo Gracindo (Setor de Indústria Quadra 2), no Parque do Setor Leste (Parque infantil da Praça do Cine Itapuã ) e no Espaço Voar (SMA conjunto k lote 5 Gama – no Pró DF perto do Detran) em algumas escolas públicas, pelo 7º Festival de Bonecos do Gama – Festineco. Desta vez, serão 11 grupos do DF, cinco de outras unidades da federação (GO, PB, RJ, RS E SP) e mais quatro de outros países da América do Sul (Argentina,Chile, Peru e Uruguai). Tudo gratuito e aberto a todos os públicos., com exceção do espetáculo “Viejos”,de Sergio Mercúrio, cuja classificação indicativa é 14 anos. Este projeto conta com patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC-DF).

Super cortejo de abertura – A abertura do 7º FESTINECO será no dia 18 de maio com desfile de bonecos gigantes, Bateria da Escola de Samba Mocidade do Gama e apresentações artísticas nos horários de 10h e 15h. Neste ano o tradicional FESTINECO se une novamente à causa social do combate à exploração sexual contra crianças e adolescentes.  No desfile da abertura faremos um lindo ato público em defesa da infância e adolescência com a participação e apoio de instituições sociais e artistas. Os desfiles terão concentrações às 10h e 15h em frente à Escola Classe 06 (EQ 09/19 Área Especial Setor Oeste) e seguirá para o coreto da praça para cerimônia de abertura e apresentações artísticas de abertura do evento.

O coordenador do Festival, Marco Augusto de Rezende, fala que o Festineco possibilita a participação de escolas públicas e instituições que trabalham com crianças em situação de vulnerabilidade social. Segundo ele, O FESTINECO foi idealizado em função da vocação cultural da cidade do Gama -que possui vários grupos que trabalham e pesquisam o Teatro de Animação- e  contar com representatividade local, regional, nacional e internacional. A programação priorizou espetáculos inéditos no evento.

“Serão 20 apresentações de apresentações de teatro de bonecos em espaços culturais, escolas da rede pública, teatros e ruas. Nesta  edição, como sempre, fizemos um chamamento e as inscrições de grupos no processo de seleção, foram analisadas por profissionais de notório saber na área de teatro de bonecos e profissionais que trabalham na Cia Voar Teatro de Bonecos. O processo inscrição e seleção de espetáculos garante a transparência na realização do Festival”, informa Marco Augusto.

Exposição com espetáculo uruguaio– No domingo (22/05), às 19h, será aberta uma exposição na sede da Voar Arte para da infância e Juventude (SMA conjunto k lote 5 Gama – no Pró DF perto do Detran). Na sequência, às 19h30, a Cia La Pluma (Uruguai) apresentará o espetáculo  “Alenka y la bruja Baba Yaga”.

Libras e Audiodescrição – Todas as apresentações contarão com recursos de acessibilidade, com intérpretes em LIBRAS e audiodescrição (estarão disponíveis os equipamentos, bastando apenas solicitar).

Programação FESTINECO 2022

Dia 18 de Maio (Quarta)

Desfiles de abertura às 10h e 15h em frente à Escola classe 06 Setor Oeste

com a Bateria da Escola de Samba Mocidade do Gama

Em outubro de 1985, nasceu a Mocidade Independente do Gama sob a forma de bloco carnavalesco oficializando a primeira entidade carnavalesca genuinamente gamense.  A Mocidade do Gama, nasceu com quadra de ensaio, sob as cores da sua homônima, a Mocidade Independente de Padre Miguel-RJ, famosa verde-branco.

10h – “Callejeros” – Teatro e Marionetas MicroBio (Chile)

O grupo – Em Iquique, cidade do norte do Chile, em 2005, os Bonecos de Corda marcaram o início da jornada de Gabriel Calderón, foram e são a principal linguagem expressiva, juntamente com o Teatro Físico e o Circo que somam a esta proposta de nuances cênicas e identidade. Não mais sozinho, acompanhado por seus bonecos, ele desde então virou “nós”. O grupo já se apresentou na Argentina, Bolívia, México, Uruguai, Brasil, Portugal, Espanha, França, Alemanha, Marrocos, Dinamarca, Suécia, Romênia, Eslovênia, entre outros.

“Callejeros” – Show musical de  bonecos de fios, artistas mambembes que tentam conquistar seu público para viver em sua arte. Interação com o público e com o animador de bonecos. Livre para todas as idades.
Link de vídeohttps://www.youtube.com/watch?v=gOYYvx-EPoQ


“O Varal de Bonecos” – Bagagem Cia de Bonecos (DF)

O grupo– Fundado em 1983, tem a proposta de pesquisa do teatro de bonecos, montagem de espetáculos e gestão cultural. A trupe montou seu repertório baseado em pesquisas nas diversas vertentes no teatro de bonecos. Assim, surgiram diversos espetáculos, séries para TV e vídeos, nas diversas vertentes da linguagem, como fantoches, marionetes, bonecos de balcão, bonecos habitáveis, entre outros, além da participação em muitos encontros e festivais de teatro regional e nacional e apresentou em 11 estados brasileiros.

“O Varal de Bonecos”  – A História narra as desventuras da menina Chiquinha que é furtada e em seu socorro chama a polícia. O efetivo policial local é formado pelo Sargento, pai de Chiquinha e o Cabo. Para a grande empreitada de capturar o malfeitor, os dois se preparam taticamente e usam até uma arma secreta. O Padre traz uma “benção” especial. Muita brincadeira e correria, com o melhor do teatro popular. A peça foi omontada em 1986.

Link de vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=F4BOD4KFATY&t=22s

15h – “Callejeros” – Teatro e Marionetas MicroBio (Chile) 


          “As Aventuras de Baltazar no Reino dos Mamulengos” – Mamulengo sem Fronteiras (DF)

A família Mamulengo Sem Fronteiras se uniu para brincar em 1996. Foi nesse ano, na cidade de Taguatinga (DF), que o bonequeiro Walter Cedro iniciou- se na tradição do teatro popular de bonecos do Nordeste, pelas mãos do brincante Chico Simões, do Mamulengo Presepada. São mais de duas décadas de pesquisa sobre as brincadeiras populares, em interação com as novas formas de fazer mamulengo, como vivências e estudos compartilhados em apresentações, oficinas de arte-educação, projetos culturais e ambientais; além dos giros em festivais pelo Brasil, Europa e América do Sul. O Mamulengo sem Fronteiras é formado pelos irmãos Walter Cedro, Rosimar Cedro e Wagner Nascimento, com o reforço dos amigos Keijin do Acordeon, Beirão Neves e Mirella Dias, entre outras parcerias que vão surgindo na estrada. Em comunhão e de peito aberto, o grupo reaviva suas brincadeiras, sempre e em constante transformação, interagindo estética e elementos históricos de um teatro universal, como é o mamulengo, com forte influência das culturas afroindígenas e resquícios da Commédia Dell’ Arte.

As Aventuras de Baltazar no Reino dos Mamulengos é um espetáculo de teatro de mamulengo que conta a história de um rapaz valente, que viaja de sua terra natal, na África, para conhecer uma moça bonita que mora em São Saruê. Baltazar faz a viagem juntamente com seu cachorro Tubarão. Juntos, eles lutam com vários bichos do além para, então, casar- se com sua amada e voltar para sua terra. O espetáculo aborda as manifestações mais tradicionais da cultura popular brasileira, sobretudo a nordestina. Os personagens falam sobre a imaginação e brincadeiras populares, sobre a questão racial e sobre a força da união do amor.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=zIpIdo45C4E

 

20h – Teatro SESC Paulo Gracindo

“El panadero y el diablo” – Isadora Plateroti (Argentina)

Isadora Plateroti integra a Compañía de Teatro de Títeres Saltimbanquis. Arquiteta, artista plástica, bonequeira formada pelo Teatro General San Martín de Buenos Aires.

El Panadero y el Diablo” –  Adaptação da obra clássica de Javier Villafañe. Pedro o padeiro, é um personagem trabalhador, generoso e simpático disposto a compartilhar com seus vizinhos o pão que amassa todos os dias com muito amor, encontrando-se inesperadamente na padaria com o diabo Pablo, ser egoísta, vaidoso e ambicioso que deseja obter, sem esforço e com ameaças, todo o pão para ele. O diabo tem o poder de suas três caudas: Amarela, Vermelha e Azul, mas também um segredo: “Ele não pode fazer nada se não tiver cauda”. Com jogos, risadas, músicas e muitas perseguições, vamos juntar as mãos e “Para o inferno com o pão, vamos fazer dar certo”.

Link do vídeo – https://www.youtube.com/watch?v=8suOYMZhz1M

 

Dia 19 de Maio (Quinta)

Escola Classe 17 do Gama

 

11h – “Callejeros” – Teatro e Marionetas MicroBio (Chile)

14h – “Callejeros” – Teatro e Marionetas MicroBio (Chile)

Dia 20 de Maio (SEXTA)

Teatro SESC Paulo Gracindo

20h – “Maria Bonita flor de Mandacaru” – Teatro do Maleiro (GO)

A Cia Teatro do Maleiro surge a partir de um projeto de vida do ator e manipulador “Marcos Marrom”, que inicia seu trabalho de pesquisa em 2005.

Maria Bonita Flor de Mandacaru” é um espetáculo de bonecos de luva que aborda uma parte pouco explorada da vida de Virgulino Ferreira da Silva (Lampião), o rei do Cangaço, retratando seu encontro com a mulher que tornou-se sua musa e companheira, Maria Gomes de Oliveira (Maria Bonita). Tendo o sertão como contexto, Maria Bonita se lança numa épica aventura que a coloca frente-a-frente com a morte, e somente Lampião – como numa armadilha do destino, poderia salvá-la. No decorrer dessa jornada surgem diversos personagens, apimentando ainda mais essa história que mistura ficção e realidade, combinando diversão, aventura e romance.

 

Dia 21 de Maio (SÁBADO)

Teatro SESC Paulo Gracindo

19h –  Hall de Entrada – (Teatro Lambe-lambe) “O Grande Pequeno Circo”,  Grupo Depois do Ensaio (RJ)

O grupo “Depois do Ensaio” foi formado em 2012 por artistas de várias regiões do Rio de Janeiro que pretendem a democratização e circulação da arte teatral por vários espaços fora das localidades de mais privilégio. Já percorreu vários estados do Brasil com seus trabalhos, conquistando diversos prêmios e indicações em festivais. Também participou do Programa da Shell “Iniciativa Jovem-Conexões”, recebendo o selo de “Empreendimento Sustentável “, justamente pelo impacto de sua ação social em diversas camadas da sociedade. Atualmente formado por Gaia Patrícia, Fabrício Neri, Tammy Caroline e Thales Sauvo, pesquisam o Teatro de Formas Animadas.. O grupo também é idealizador, produtor e curador, junto a Cia. Ih, Contei! do Anima Praça-Festival de Teatro de Formas Animadas, além de realizar oficinas e Mostras de Teatro Lambe-lambe em diversos espaços.

“O Grande Pequeno Circo” – No tablado, Bafona trauteia, seu público pressume, mas nem tudo deve ser julgado a primeira vista.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=6zHteJHx3Ts

Hall de Entrada – (Teatro Lambe-lambe)  –  “Trilogia Enquanto Houver Amor Eu Me Transformo”,  As Caixeiras Cia. de Bonecas (DF)

As Caixeiras Cia. de Bonecos, de Brasília, é o primeiro grupo de Teatro Lambe-lambe da cidade que desde 2007 pesquisa e cria espetáculos nesse estilo teatral. Além disso, aprofunda-se na pratica criativa do Teatro de Formas Animadas na construção de espetáculos e oficinas.

A trilogia Enquanto Houver Amor Eu Me Transformo é uma intervenção cênica feita com espetáculos de Teatro Lambe-lambe. Cada peça é apresentada dentro de uma pequena casa de espetáculos (caixas cênicas) para um espectador por vez.
Cada caixa cênica traz um pequeno espetáculo sobre a temática das possíveis transformações que os seres humanos podem realizar a partir do amor. Em tempo duros e sombrios lançar mão da poética, da sensibilidade e do amor é uma semente de esperança e resistência para a sobrevivência de nossa humanidade e das possíveis relações que se podem estabelecer a partir do afeto, da escuta, da liberdade e do respeito consigo e com os outros. Nessa trilogia cada artista escolheu uma inquietação, um mote pessoal para desenvolver e criar o espetáculo. Sendo assim a trilogia conta com os espetáculos: Revoar, Amor de Cão e Amor, título provisório inalterável. Revoar apresenta uma mulher carregada de ruídos externos e internos que a fazem chegar ao limite e cair para dentro de si mesma, para seu silêncio interior, e então se transformar. Técnicas: Bonecos de manipulação direta e sombra Amor de Cão apresenta a relação de afeto entre uma velinha e um cachorro, transformando a vida de cada um. Técnica: Bonecos de manipulação direta. Amor, título provisório inalterável conta a história de um casal através de diferentes momentos e eventos, e as transformações que ocorrem nessa linha do tempo. Espetáculo de Objetos. A trilogia foi criada em 2021 e apresentada somente de forma virtual.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=yqA5xU4OZyo&list=PLSUfAyCp1M027KgtSrezffb6tz3-o7-zN&index=2

20h – Teatro  – “Velhos”, Sergio Mercurio (AR) – Classificação indicativa- 14 anos

O bonequeiro argentino Sergio Mercurio, El Titiritero de Banfield, como é conhecido, trabalha, desde 1992,  na atividade artística como ator, bonequeiro, diretor de cinema e teatro, escritor e docente. Multifacetado, o artista lida com cinema, teatro, literatura e formação de pessoas com ênfase na atividade criativa.

Viejos é o primeiro espetáculo da trilogia sobre a velhice. Os 8 personagens são bonecos de várias técnicas e tamanhos. De personagens maiores que uma pessoa a bonecos manipulados com o pé. Esses velhos aqui reunidos, personagens idosos, mostram-se como são, não têm escrúpulos, resistiram ao tempo à sua maneira. Eles são capazes de coisas que eu sinto: extraordinárias. São velhos que estão aqui e ali. É fácil encontrá-los, talvez um dia seremos nós mesmos. Na Argentina, desde crianças, chamamos nossa mãe de “Vieja”. Os pais brincam com isso dizendo que os ofende, argumentando que os trapos são velhos, mas eles gostam porque sabem que aquela expressão de desprezo é cheia de ternura. Eles sabem disso pelo tango.

Linkhttps://www.youtube.com/watch?v=HoWKYNNFPP0&t=31s

 

Dia 22 de Maio (DOMINGO)

Parque do Setor Leste

15h – “Os Meninos Verdes” – Voar Teatro de Bonecos (DF)

Voar Teatro de Bonecos, grupo radicado no Gama-DF, foi fundada em 2003 pelo bonequeiro Marco Augusto, que encabeça até hoje o elenco. Em 2012, com nove anos de trabalho, eles conseguiram conquistar a honra de ter se apresentado em todos os estados brasileiros, muitas dessas apresentações com este texto, “Os Meninos Verdes”, que foi do Amazonas ao Rio grande do Sul. Também colecionam apresentações em países como Espanha, Chile e México. Nos palcos, são conhecidos por adaptar textos clássicos para apresentações de bonecos, como “O menino maluquinho” e “João e o Pé de Feijão”. Além de atuar com teatro de bonecos, o grupo também se especializou na gestão da economia criativa, para criar ações que difundam a diversidade cultural nas periferias e nos grandes centros do Brasil. A trajetória do grupo foi contada no livro O vôo da imaginação, de Marcos Linhares.

O grupo adaptou “Os meninos verdes”, de Cora Coralina, para o palco. A peça conta a história de pequenas criaturas verdes que surgem no jardim da ilustre poetisa na cidade de Goiás e aproveita para falar um pouco da vida da própria autora. O elenco traz Marco Augusto, criador da companhia e responsável pela adaptação do texto, além de João Veloso e Alessandra Barros, todos dando vida aos bonecos. Link: https://www.youtube.com/watch?v=v5tG2E5aNGs&t=86s
15h30 – “RIP”  – Cia La Polilla (Peru)

Ruddy Keylor Castillo Rojas, em arte Ruddy Castillo, é bonequeiro,músico intérprete  e produtor musical de trilha sonora para teatro,  de nacionalidade peruana, iniciou seus estudos sobre teatro de bonecos na Cidade de Lima no Perú  no ano de 2007. Em 2008,  fundou a CIA de Teatro de bonecos La Polilla apresentando seus espetáculos em escolas e festivais nacionais. Em 2010, iniciou o projeto “Los títeres Transumantes”  se apresentando no Equador, Venezuela e Colômbia. Em 2011, mudou-se para o Brasil e na cidade de Paranaguá (PR) atua no desenvolvimento de projetos de formação através de oficinas e produções de espetáculos ministrando aulas no Projeto Manipular juntamente com a Bonequeira Líli Sarraff. Atua desde 2016, como professor de música no conservatório municipal de música de Paranaguá.

“R.I.P” é uma historia de fantasia num ambiente de terror protagonizada pela morte que não nos deixa escapar!

Link do espetáculo : https://youtu.be/UdXF4dv_lxM

16h – “Lourença” – Coletivo EntreVazios (DF)

EntreVazios é um coletivo de artistas com foco em performance, intervenção urbana, instalação, técnicas experimentais em artes cênicas e aspectos do design de cena.

“Lourença” –  Mulher de meia idade, poetisa enclausurada em pensamentos solitários, vagueia pelos espaços da cidade desfolhando-se em vida. Emaranhada às suas memórias, arrasta seus longos anos de experiências não vividas e o seu único registro de re-existência. Lhe restam poesias! Teria tempo de escutá-las? LOURENÇA é uma intervenção cênica que aborda o tema da solidão e os conflitos existenciais de uma mulher de meia idade. A boneca arrasta consigo seu caderno de poesias tramado pelas memórias guardadas nos longos fios de cabelos nunca cortados. Sem verbalizar qualquer palavra e acompanhada pelo som da rabeca tocada ao vivo, Lourença vagueia pelos espaços até o momento em que forma um círculo com o próprio cabelo, local em que sente segurança e desfolha suas poesias. O público é convidado a recolher as folhas rasgadas do caderno e a ter contato com o universo íntimo de Lourença. A intervenção cênica tem como inspiração a personagem Gilda do conto “As três irmãs” do Mia Couto. Conta com as poesias de Luênia Guedes do livro “Ao encontro do que esqueci de mim”, atuação de Maysa Carvalho e da musicista Maísa Arantes, que acompanha o trajeto trazendo a camada sonora que ambienta o universo intimista de Lourença. A intervenção tem início antes da personagem aparecer, pois seus poemas serão distribuídos no espaço de apresentação.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=d4Bc7Zsye8k

Espaço Voar

 

19h – Abertura da Exposição de Bonecos

(Sede da Voar- SMA conjunto k lote 5 Gama – no Pró DF perto do Detran)

19h30 – “Alenka y la bruja Baba Yaga” –  Cia LA Pluma (Uruguai)

Grupo La Pluma nasceu em 2003  com membros de diferentes experiências de arte cênica: atuação, direção e ensino em diferentes grupos de teatro independentes, bem como atividades artísticas relacionadas a estes. Em 2004 estrearam “El hombrecillo de papel” do autor espanhol Fernando Alonso. Este é o resultado de pesquisas sobre o uso de diferentes técnicas e a combinação de linguagens, tornando-se desde então uma marca característica do grupo. Girando em torno de um eixo poético em todos os seus espetáculos e cuidando de uma estética consistente em cada criação, o Grupo LaPluma realizou vários espetáculos, quase todos ativos.  Há vários anos que trabalha na apresentação de livros publicados por diferentes editoras. Nos anos de 2009, 2010, 2012 e 2013, o grupo La Pluma conquistou o prêmio “Fondos Concursables”, pelo qual pôde percorrer todo o país realizando mais de 120 apresentações (shows e oficinas) em escolas públicas do interior. Em 2011 obtiveram o prêmio Montevidéu Ciudad Teatral, percorrendo bibliotecas públicas com entrada gratuita.

Alenka y la bruja Baba Yaga é inspirado no conto popular russo homônimo. Alenka deve ajudar sua mãe doente. Para isso, ele deve atravessar a floresta onde vive a assustadora bruxa Baba Yaga, em sua casa com pés de galinha. Ela será capaz de escapar de todos os ajudantes e da própria bruxa? Um show envolvente, cheio de humor e beleza visual.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=Z0m9FSKIutU&feature=emb_logo

Dia 23 de Maio (SEGUNDA)

Escola Classe 12 do Gama

 

11h – “Colcha de Retalhos” – Cia Boca de Cena (PB)

Cia Boca de Cena especializou-se na pesquisa com teatro de bonecos no estado da Paraíba. Há quase duas décadas desenvolve projetos e ações voltadas para o incentivo e reconhecimento dessa arte popular como um bem cultural, unindo o contemporâneo e a tradição com o propósito de estimular a dinamicidade de um processo de preservação do teatro de bonecos popular através de novas tecnologias.

Neste trabalho, o grupo  reuniu algumas das mais conhecidas linguagens e técnicas do Teatro de Bonecos, e costurou um enorme “Colcha de retalhos”. Este espetáculo encanta crianças jovens e adultos, funcionando como um mostra de “curtas” onde são apresentados de uma só vez, três espetáculos com duração média de 15 minutos cada. O Primeiro retalho conta a história de “Cabelinho Vermelho e O Coelho Veloz”, uma incrível e bem humorada adaptação do clássico Chapeuzinho Vermelho, recheado com uma boa dose de cultura nordestina. No Segundo Retalho ” O sumiço do rabo do Totó”, o Totó é um cachorro amestrado inteligentíssimo, ele possui um rabo bem temperamental, toda vez que ele fica feliz e balança-o, a confusão está formada. O Terceiro e último Retalho explora, um pouco mais, a linguagem dos bonecos de varas. A fabulosa trama “Romance em verde e rosa”, se transformou no espetáculo mais pedido pelo nosso público.
A “Minhoquica” está à procura da sua cara metade. Com todo seu charme, suas curvas e seu ritmo caliente, esta simpática e irreverente figura acaba conquistado o coração de uma lagarta muito louca, daí pra frente é uma mistura de sons, cores, ritmos e muita azaração. O público é a peça chave no desenrolar desta divertida história que encanta crianças e adultos.

Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Jg9–wwLpT0

14h – “Benedito, abençoado e Bendizido” – Mamulengo Fuzuê (DF)

Mamulengo Fuzuê é palhaço na rua, é teatro popular que busca celebrar a arte e despertar a transformação social a partir da pesquisa, da experimentação e da convivência com mestres e mestras da cultura popular brasileira. O parto do grupo aconteceu em 2007, a partir das vivências do brincante Ceilandense  Thiago  Francisco no Ponto de Cultura Invenção Brasileira. Desde lá, o cortejo segue Brasil adentro e mundo afora, com as bases firmadas na memória e identidade, na convivência comunitária e na celebração da vida e da tradição  mamulengueira. O grupo realiza apresentações teatrais, oficinas, mostras e encontros ligados ao brincar e aos saberes e fazeres da cultura popular.

Benedito Abençoado e Bendizido – Benedito e Rosinha vivem uma história de amor e luta por trabalho e justiça. Enfrentando os desmandos do Capitão João Redondo, que tudo quer comprar e dominar com seu dinheiro e poder, Rosinha, Benedito e o Boizinho Fuzarca lançam mão de muita esperteza para fugir de perigos representados pela fantástica Cobra Anaconda. Os personagens dessa brincadeira convidam o público a um singelo e alegre passeio pelo imaginário popular brasileiro. Palhaço da Vitória, Janeiro, Cabo Zé Setenta, Vô Benza… Cada um entra em cena ao sabor do improviso e da interação com o público, guiados por canções populares executadas por músicos brincantes ou bonecos tocadores. 

Link: https://www.youtube.com/watch?v=JT7wR_xiz5o

  

Dia 24 de Maio (TERÇA)

Teatro SESC Paulo Gracindo

11h – “Iara – O encanto das águas” –  Cia Lumiato (DF)

Ïara, o encanto das águas” – Um Índio da aldeia sonha com uma mulher sobrenatural. Ao acordar, procura o sábio Pajé para tentar entender quais são os mistérios dessa mulher, descobrindo assim a história da Iara. No encantamento da sereia brasileira, o protagonista mergulha com ela nas profundezas do seu próprio destino. Inspirado na lenda da Iara e utilizando a linguagem do teatro de sombras contemporâneo, o espetáculo busca sensibilizar o público infanto-juvenil sobre os saberes da tradição oral dos povos originários do Brasil.

Cia. Lumiato

A companhia é criada no ano de 2008 com o nome de: Cia. La Chirimoya, por Thiago Bresani e Soledad Garcia durante sua formação como bonequeiros, em Buenos Aires. O repertório da companhia foi constituído por dois espetáculos, um de mamulengo e outro de luvas francesa com os que participaram de vários festivais na Argentina e no Brasil. No ano de 2010 finalizam seus estudos da Diplomatura em Teatro de Títeres e Objetos na Universidade de San Martin na Argentina e se mudam para Brasília no inicio de 2012 aprovando um projeto montagem de espetáculo no Fundo de Apoio a Cultura de Brasília (FAC/GDF) no final desse ano. Com o objetivo de pesquisar, explorar e difundir o Teatro de Sombras no centro-oeste do Brasil decidem mudar o nome para Cia Lumiato teatro de formas animadas. A primeira montagem em teatro de sombras é “Iara o encanto das águas”, com direção de Alexandre Fávero da Cia Teatro Lumbra e atuação dos criadores da Companhia. Hoje a Companhia Lumiato possui três espetáculos de teatro de formas animadas com os que participa apresentando e ministrando oficinas em espaços culturais e festivais.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=5sRxFYgw0y0

16h – “Gabinete de Curiosidades”, Cia Tumateixa (SP)

Sediada em São Paulo, desde 2015, a Cia Tu Mateixa Marionetes foi fundada em 2014 na cidade de Barcelona, onde a marionetista, palhaça e atriz Júlia Barnabé se formou em pedagogia Jacques Lecoq de Teatro Físico, na escola internacional Estudis Berty Tovías e aprendeu a construir marionetes de fios na Casa-Taller de Marionetas de Pepe Otal, tradicional ateliê de pesquisa e criação de bonecos. Criada a partir da confluência entre as linguagens de bonecos, teatro físico, circo e humor, a Cia. leva o nome catalão “tu mateixa” que significa “você mesma”, já que as marionetes e a cenografia são construídas à mão, em madeira, pela artista, que também assina a dramaturgia autoral de seus espetáculos. Em 2016, a cia. estreia o espetáculo “Laia e o Voo da Imaginação” e, desde então, vem circulando por diversos festivais de teatro e circo ao redor do mundo, tendo se apresentado na França, Espanha, Bélgica, Suíça, Portugal, Itália, Eslovênia, Rússia, Argélia e Paraguai, além de diversas cidades do Brasil. Em 2019, a Cia. foi contemplada pelo Prêmio Cleyde Yáconis da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo com o projeto “As Pontas do Fio da Vida”, circulando com o espetáculo “Laia e o Voo da Imaginação” em Núcleos de Convivência do Idoso e em bibliotecas públicas, realizando oficinas de construção de marionetes de fios e manipulação de bonecos gratuitamente para a população. No mesmo ano, a marionetista argentina Rocío Walls passou a integrar a Cia. e juntas fundaram o Atelier das Marionetes Viajantes, na cidade de São Paulo, onde construíram dezenas de marionetes. Além das apresentações dos espetáculos, ministram oficinas de construção de marionetes de fios, manipulação de bonecos, teatro físico e palhaçaria, realizam orientação e consultoria para projetos culturais e confeccionam marionetes sob encomenda.

“Gabinete de Curiosidades” é um espetáculo de marionetes de fios que tem como temática o tempo, com uma história que se passa dentro de um relógio. Diversas personagens vivem o exato instante em que as engrenagens param e a partir disso, coisas muito curiosas passam a acontecer. Criado por Júlia Barnabé e Rocío Walls, com direção de Carla Candiotto, o espetáculo convida o público a transitar de formas mirabolantes pela passagem do tempo e, com marionetes construídas à mão pelas artistas, instiga o interesse pelo que é feito engenhosamente de forma artesanal. Marionetes-relógios, um mago feiticeiro, uma equilibrista,  uma palhaça de monociclo, uma trapezista e um conjunto de bailarinas, ganham vida através das mãos das marionetistas em cenas cômicas, circenses e líricas, se relacionando de maneira real e emocionante, convidando o público a entrar em uma brecha do tempo, onde o extraordinário é possível.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=u61S028mH1A

Dia 25 de Maio (QUARTA)

Escola Classe 02 do Gama

11h – “Mamulengo Pilombetagem” – Cia Pilombetagem (DF)

Originada em 2004 (na cidade do Gama, DF) e composta por um elenco de quatro artistas, a Cia. Pilombetagem desenvolve ações lúdicas de entretenimento e oficinas para o publico em geral, abrangendo diversas faixas etárias e classes sociais.Os brincantes da trupe Pilombetagem são incentivadores do circo popular e difusores da nobre arte do palhaço, além das artes visuais, da música, do teatro e do mamulengo. Ao longo de mais de uma década de trabalho colaborativo, a trupe tem sido responsável pelo repertório de seus espetáculos, dentre eles a peça “Palhaçaria Pilombetagem”, uma das mais antigas produções da companhia. Ao extrair gargalhadas dos mais diversos públicos, as apresentações da Cia. vem contribuindo como instrumento de formação de plateias e de popularização da cultura circense Brasil afora, especialmente no Distrito Federal, onde a trupe é mais atuante.

“Mamulengo Pilombetagem” – Na brincadeira o palhaço Canarinho tenta conquistar o coração da amável Rosinha do Bole bole e acaba se metendo numa enrascada. Ao tentar amestrar uma cobra perigosa, querendo impressionar sua amada, a cobra escapa e causa um alvoroço. Mas no mamulengo sempre podemos contar com o abençoado Benedito, o bendito que ao final, salva todos. —

Link: https://www.youtube.com/watch?v=Tlo4bmmLtXM

14 – “Na trilha do tesouro” – Oficina de Brincar (DF)

“Na trilha do tesouro” – Foi o capitão Marinheiro Só quem encontrou o mapa do tesouro e disse para sua amada que iria trazer o tesouro para realizar o sonho de se casar com ela, a Berenice. Essa por sua vez, quer o tesouro para realizar o seu sonho também, ser a maior Pop Star do mundo. Só que aparece um tal pirata Maracutaia, que arma um jeito de pegar o mapa do tesouro e acaba se apaixonando pela Berenice também A história é narrada por uma ajudante do contador de histórias, que ao achar o seu livro preferido “Na trilha do tesouro” resolve contar a história para a plateia que, teoricamente, chegou mais cedo. O espetáculo é feito por brincantes, que contam uma história de aventura, drama, amor e comédia, sem o intuito de ser didático ou ensinar alguma coisa. E sim, trocar experiências com o público de forma simples e com muita brincadeira. É envolto por uma trilha original e algumas músicas executadas ao vivo.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=EsF66uTzvGY

Dia 26 de Maio (QUINTA)

Escola EJA CED 07 do Gama

20h – Bolha Luminosa – O marujo e a tempestade – Cia Teatro Lumbra (RS)

Sediada em Porto Alegre (RS), a Cia Teatro Lumbra  foca na pesquisa, experimentação, criação e produção artística em diferentes áreas da arte.

O Marujo e a Tempestade conta a história de um jovem marujo que chega em um porto e conhece uma moça. Os dois se apaixonam. Quando o marujo segue viagem, é pego de surpresa por uma tempestade. A moça, pressentindo o perigo, vai ao encontro dele. Para que o amado seja salvo, um mistério deverá ser revelado. Como testemunhas, apenas a lua cheia e todo o público convidado.

Link: https://www.youtube.com/watch?v=L45IMwuy1YY

Dia 27 de Maio (SEXTA)

Escola Classe 29 do Gama

11h – “Nas tripas da cobra encantada” – Mamulengo Lengo Tengo (DF)

Em março de 2017, Nasce em Ceilândia (DF) a primeira Cia de teatro de bonecos do P Sul, a Mamulengo Lengo Tengo. Capitaneada pelo brincante Thales Gomes, o grupo vem com a proposta de fazer teatro popular de bonecos (mamulengo) e fazer deste o seu ofício.  Hoje o grupo está presente com suas brincadeiras em praças, escolas, universidades e em todo o espaço onde a cultura e a alegria se fazem necessárias.

“Nas tripas da cobra encantada”  – Quando o sertanejo Benedito cai nas garras da tecnologia midiática, ele perde a noção do perigo que o ronda. O vaqueiro esquece que Jenifer, a cobra do malvado Capitão João Redondo, anda solta e faminta por aí… Será que Benedito tem ideia que Casimiro Coco, seu filho, está em sérios apuros? Benedito contará com ajuda de Véi Zunga, encantador de cobras, e Dona Olinda, benzedeira, os dois pertencem a comunidades tradicionais, para resgatar seu filho das garras do perigo e, entre rale e role, capoeiras e rezas, estripulias e brincadeiras o Vaqueiro Benedito vence as maldades do Capitão João Redondo com muitas aventuras e risadas.

Link:  https://www.youtube.com/watch?v=FezouNjqpxI

14h – ” A Peleja do Vaqueiro Benedito Contra o Capitão João Redondo e A Cobra Madalena” – Mamulengo Gratidão (DF)

Mamulengo Gratidão é uma companhia de teatro focado em cultura popular e atuante nas linhas de bonecaria, cenografia, restauração, restauração e produção teatral e performances. Além disso, desenvolve projetos culturais, sociais e ambientais. Fundado pelo artista Miguel Mariano, natural de Tianguá – CE, a Mamulengo Gratidão tem como missão levar a cultura popular a todas as gerações, elaborar novos formatos para promoção do diálogo, utilizando o boneco enquanto instrumento de expressão e sentido da arte. Além disso, reinventar o encantamento produzindo cenários, aprimorando a linguagem cênica interpretado entre a manutenção da tradição mas em busca de novos alicerces na produção artística. Para isso, legitimar a função social do teatro de bonecos, abordando temas para emocionar e refletir o mundo na atualidade, bem como a fundamentação de produtos para colaborar nesta intenção de encantamento. O espetáculo da companhia A Peleja do Vaqueiro Benedito Contra o Capitão João Redondo e a Cobra Madalena já rodou diversos festivais em todo o território brasileiro. Nosso sucesso nesta busca é revelado por todos os prêmios e parceiros da caminhada: Prêmio Mestres da Cultura Popular (DF-2018), parcerias junto a Prefeitura Municipal de Tianguá-CE, homenagem do Grupo de Festa Junina Se Bobiar a Gente Pimba (DF). Além disso, parceiros como a Federação Brasil Mulher, entre outros.

A Peleja do Vaqueiro Benedito contra o Capitão João Redondo e a Cobra Madalena: Com cantigas populares, brincadeiras e improvisos o público vai conhecendo a história de Benedito, um “cabra” muito astuto e respeitoso, dono do boi mais formoso da região. Benedito começa a ser perseguido pelo ambicioso Capitão João Redondo que ao conhecer seu boizinho faz de tudo para captura­lo, utilizando até sua arma mais secreta.

Link: https://drive.google.com/file/d/1W1clHiitAH9iJ2G7tYaPau0xmn4xA1SU/view

Serviço:

O quê: 7º Festineco – Festival de Teatro de Bonecos do Gama com grupos do Distrito Federal, Argentina, Chile, Peru e Uruguai e de mais três regiões brasileiras

Onde: Em palcos e horários variados, no Teatro SESC Paulo Gracindo (Setor de Indústria Quadra 2), no Parque do Setor Leste (Parque infantil da Praça do Cine Itapuã ), no Espaço Voar (SMA conjunto k lote 5 Gama – no Pró DF perto do Detran) e em algumas escolas – vide programação

Quando: Da quarta (18/05) até a sexta (27/05), em horários variados

O evento é patrocinado pelo Fundo de Apoio à Cultura do DF (FAC/DF), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF, do GDF. Aberto a todos os públicos.

Na trilha do tesouro – Oficina de Brincar-foto Humberto Araújo
Viejos – Sergio Mercurio-foto de Pablo Gonzales
O Varal de Bonecos – Cia Bagagem-foto de Kacau Machado
Nas tripas da cobra encantada – Mamulengo Lengo Tengo- Thales Silva

 

Informações:  https://www.facebook.com/festineco e https://www.instagram.com/explore/tags/festineco/

Fone: (61) 99901-3822

Assessoria de Imprensa- Marcos Linhares – (61) 99905-5905

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios