EducaçãoNotícias

Candidatos defendem a permanência da folha de rascunho na prova do Enem

Mais que um espaço em branco, a folha de rascunho ajuda no desenvolvimento do raciocínio

Após cogitar a retirada das folhas de rascunho do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem 2019), o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) voltou atrás. Alegando necessidade de redução de gastos com impressão e folhas de papel, o órgão anunciou também mudança na diagramação das folhas da prova. Nas redes sociais, não faltaram comentários contra a decisão do órgão, defendendo a importância do espaço de rascunho para o desenvolvimento do raciocínio. “Seria muita idiotice ao quadrado e insanidade ao cubo exterminar com a folha de rascunho, né!”, afirmou no Twitter o usuário @medhusas.

O Inep divulgou nota através do Twitter afirmando que a folha de redação será mantida e que será pautada, como de costume. “Não há motivos para preocupações. O rascunho da redação, como já de costume, terá linhas. Ele ficará ao final do Caderno de Questões entregue no primeiro dia de prova”, informa.

O rascunho da redação faz toda diferença pois quando escrevemos um texto pela primeira vez podemos errar, mudar palavras, enquadrar o conteúdo com o tema principal proposto na avaliação e, desse jeito, formatar a melhor versão final. “A folha de rascunho possibilita ao candidato fazer esquemas e organizar suas ideias antes de colocá-la em definitivo”, defende a professora de língua portuguesa, Rebeca Alcântara. Ter um texto mais limpo e bem elaborado dá ao candidato a possibilidade de obter a nota máxima da prova.

Com as mudanças, a folha de rascunho permanece pautada, mas estará configurada no próprio caderno de questões. O estudante Anderson Almeida defende a permanência da folha de rascunho. “Este espaço é essencial, até mesmo para sabermos se estamos atingindo uma quantidade de linhas considerável, se o desenvolvimento ou introdução ficarão longos”, argumenta.

Por ser um espaço reduzido, é preciso se preparar cada vez mais. “O foco deve se voltar para a preparação de nossos estudantes para escrever bem. Prepará-los para saber articular de forma escrita, com coesão e utilização da norma culta, além de apresentar propostas de intervenção. A sociedade precisa de pessoas cada vez mais informadas e bem formadas. O resto são detalhes”, afirma a professora.

Assim como espaço para o rascunho da redação, o MEC também garante assegurar espaço em branco para a realização dos cálculos que a prova de matemática exige. Na avaliação de Anderson, o espaço para cálculos não é problema. “A maioria das questões do Enem não exige grandes cálculos. Na maioria das vezes, tem espaço suficiente na própria questão para ser feito. Sempre faço os cálculos no próprio espaço da questão”, conclui o estudante.

Larissa Mesquita – Agência Educa Mais Brasil

Tags

Artigos relacionados

Fechar