fbpx
3 de agosto de 2021
Empresas Juniores apresentam faturamento de R﹩ 43 milhões em 2020

Empresas Juniores apresentam faturamento de R﹩ 43 milhões em 2020

Há cinco anos o Brasil dava um passo importante na consolidação do Movimento Empresa Júnior (MEJ), com a promulgação da Lei 13.267/16, que passou a disciplinar a criação de empresas júniores no país. Desde então, a Confederação Brasileira de Empresas Juniores (Brasil Júnior), responsável por representar o segmento, contabiliza 1.332 empresas juniores cadastradas, em 254 instituições de ensino superior em diversos estados, reunindo quase 30 mil empresários juniores. O faturamento global da rede, em 2020, chegou a R﹩ 43 milhões.

– A Lei Empresa Júnior foi mais do que um marco legal para o reconhecimento do Movimento Empresa Júnior (MEJ) no Brasil. Foi um instrumento que trouxe consolidação e credibilidade a essas organizações, que são tão importantes para o desenvolvimento dos estudantes da educação superior. A partir do ano de 2016, ano de promulgação da lei, o MEJ, que chegou ao Brasil desde 1987, saiu de 232 empresas juniores federadas para ter, atualmente, mais de 1.300, alcançando mais pelo menos 170 novas instituições de ensino superior no país – disse a presidente executiva da Brasil Júnior, Fernanda Amorim.

Com a crise imposta pela pandemia, a partir do ano passado, a Brasil Júnior transformou a plataforma Contrate Uma Empresa Júnior, inicialmente criada para conectar empreendedores e empresas juniores, numa ferramenta de auxílio ao pequeno empresário, brutalmente afetado pela queda da economia. As empresas júniores passaram a prestar consultoria gratuita aos pequenos negócios, possibilitando doações de investidores nos projetos apresentados. Foram realizados mais de 34 mil projetos por esta plataforma.

As empresas juniores são organizadas por estudantes universitários que a prestam serviço às micro e pequenas empresas e, em alguns casos, também às de porte médio e grande. As entidades têm dois objetivos principais: fazer com que os estudantes aprendam sobre a gestão de empresas e ajudar pequenos negócios a crescer. De acordo com a lei, uma empresa júnior deve ser uma organização voluntária, vinculada a uma universidade, sem fins lucrativos e composta por estudantes desta instituição de ensino. As atividades da empresa devem estar relacionadas aos cursos oferecidos pela universidade.

Leia mais: Programa de pré-incubação de ideias chega ao Distrito Federal e abre unidades na UnB e no IFB

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

View all posts by Israel Carvalho →
Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial