Meio Ambiente e a Sustentabilidade

Prainha sedia curso de Educação Ambiental

Neste mês de novembro, o Parque Recreativo do Gama (Prainha) sediou o curso “Meio Ambiente na Transversalidade da Educação”, uma parceria entre a GRE do Gama e o Instituto Federal de Brasília (IFB), com o apoio do Mandato Brasília Sustentável, do Deputado Joe Valle, agora Secretário de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Participaram do curso professores, servidores e comunidade que manifestaram interesse em participar de projetos de Educação Ambiental naquele parque.

Objetivo do Curso:

Promover a transversalidade por meio da elaboração, implantação e avaliação de projetos de Educação Ambiental a partir de temas geradores dentro do Parque Ecológico Prainha e regiões afins. 

Conteúdos abordados:

Educação Ambiental no Currículo em Movimento; Cerrado e Diversidade Biológico-Cultural; Consumo Consciente (Água, Energia e Resíduos); Ecologia e Saúde, Doenças provenientes do Desequilíbrio Ecológico; Agroecologia e Permacultura; Horta e Alimentação Saudável; Construindo Comunidades de Aprendizagem.


Caminhada ecológica:

Coordenado pela Professora Leda Bhadra, o curso chega à reta final propondo uma caminhada ecológica com o objetivo de desmistificar quem é mesmo o agente responsável pela poluição. Após serem informados da importância do Parque Recreativo do Gama e do nível de degradação, todos os palestrantes chegaram à mesma conclusão: uma reserva ecológica de tamanha importância para a comunidade e para o planeta não poderia estar sendo poluída pelo próprio governo. Então, o grupo decidiu propor a realização de uma caminhada ecológica partindo da reserva, margeando o Córrego Alagado até o ponto de emissão do esgoto emitido pela Caesb.

Durante o trajeto, vários fatores poluentes foram observados. O primeiro e mais evidente é a ação do descarte irregular de resíduos por parte da população que, desavisada, polui o próprio meio. O segundo maior fator é o despejo clandestino de esgoto por parte dos chacareiros vizinhos à margem do Alagado. Em terceiro lugar vem o mais grave: a emissão dos ativos poluentes da estação de tratamento de esgoto da Caesb, algo que está ocultado pela vegetação que já está alterada em decorrência da matéria orgânica ali depositada.

Estiveram presentes na caminhada, além de representantes da comunidade local e ambientalistas de diversas associações comunitárias, representantes da Caesb, Ibram, representado por Marcelo Rios, GRE- Gama, Portal Gama Cidadão, IFB – Gama, Banca de Poetas, Ecossócios e Gama Verde.

Vale ressaltar que o grupo —apesar dos obstáculos encontrados pela frente, como a cerca colocada por um chacareiro que invade a margem do córrego e impede a passagem, inclusive dos órgãos fiscalizadores, o que foi constatado pelo representante do Ibram —conseguiu chegar onde as águas do Córrego Alagado recebem a emissão da estação de tratamento da Caesb. Constatou-se que, mesmo após uma grande chuva (nestas condições normalmente os poluentes são diluídos), a água continuava exalando um péssimo odor. Isso fica expresso na fisionomia das pessoas conforme mostram as fotos anexas. Além do mau cheiro, é fato inquestionável que os resíduos depositados pelo não tratamento de esgoto alteram a vegetação, poluindo a mata ciliar. O grau de poluição da água também é grave.

Conclusões:

Após a constatação dos fatos, ficou evidente que o Parque Recreativo do Gama tem vocação para parque vivencial, propensão para educação e não para outras práticas. Os participantes retornaram ao local de partida para, em reunião, avaliar o que haviam constatado e propuseram encaminhamentos em busca de solução para os problemas sem perder de vista aspectos globais como Clima e Sustentabilidade. 

O ambientalista José Garcia (Dedé) reiterou que no dia anterior teve com o chefe de gabinete da RA, Senhor Adilsom dos Reis Vellasco, e obteve informação de que os procedimentos de reestruturação da Comissão de Defesa do Meio Ambiente (COMDEMA) já estão em fase final de organização. Disse, também, que já foi aprovada em audiência pública, promovida pelo Mandato Brasília Sustentável, do Deputado Joe Valle, a realização de seminário com o objetivo de esclarecer à população a verdadeira condição ambiental da cidade do Gama. Ele faz questão de destacar que a cidade padece de dois problemas relacionados com a questão hídrica: no período de seca, há escassez; e, na época de chuva,há o excesso. Os dois casos são provocados pelo mesmo motivo — o desmatamento. “Já é comum ver as flutuações de veículos no centro da cidade e no pistão sul durante as chuvas.”,disse.

O representante do Ibram, Superintendente de Estudos, Programas, Monitoramento e Educação Ambiental, Luiz Rios, sugeriu a criação do Comitê Gestor logo após a reativação da COMDEMA. Rios informou que nos dias 9, 10 e 11 de dezembro será realizado um seminário que vai tratar de questões de gestão de parques não só da Capital Federal, mas também, de todo o país. Fez questão de ressaltar que seria importante a participação de pessoas desse grupo que se forma no Gama.

A representante da UnB, professora Rosângela Corrêa, que coordena o Programa Educação Ambiental nas Escolas Públicas do DF, elaborou o dvd Alfabetização Ecológica: ABCERRADO como material pedagógico para os professores poderem implantar projetos de EA de maneira interdisciplinar. Ela falou da importância da implantação de um projeto de Educação Ambiental a ser desenvolvido na região e entregou um exemplar do livro  “Educando pelas trilhas do cerrado: um roteiro de ações para introduzir o tema ambiental em escolas e comunidades” com o dvd anexo para a professora Cassia Maria, representante do Gerente de Ensino do Gama, o professor Fernando Freire.

Galeria de fotos. Clique aqui!

Por: José Garcia Caianno – Da redação do Gama Cidadão.
Fotografia: Paulo Tavares e José Garcia 
Revisão: Lúcia Helena Sá.

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Portal de Notícias Gama Cidadão o
Fechar
%d blogueiros gostam disto: