Carta conjunta das entidades sindicais do DF em repúdio aos ataques do governador Ibaneis

Carta conjunta das entidades sindicais do DF em repúdio aos ataques do governador Ibaneis

Carta conjunta das entidades sindicais do DF em repúdio aos ataques do governador Ibaneis

No dia 10 de outubro, o governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), disse que “sindicalistas” e a “esquerda” eram responsáveis pela falta de energia elétrica nas regiões de baixa renda do DF. Ele ainda afirmou que a luta contra a privatização da CEB tinha como “interessados 400 a 500 servidores” que achavam “que a empresa é deles”. A fala foi feita em discurso no Sol Nascente, em repúdio a um grupo de sindicalistas do Sindicato dos Urbanitários do DF (STIU-DF) que realizava manifestação pacífica, segurando faixas de “Diga não à privatização”.

A ação é considerada pelas organizações que representam as diversas carreiras do serviço público do DF como um grave ataque ao movimento sindical e, sobretudo, à população.

Publicamente e de forma conjunta, destacamos que a atuação sindical, garantida na Constituição Federal de 1988, é a forma mais eficaz de gerar e consolidar direitos individuais e coletivos, pressionar pela promoção de políticas públicas e alavancar o crescimento socioeconômico de um país. É justamente por este perfil que historicamente somos atacados por forças reacionárias, que se opõem à consolidação de um Brasil soberano, democrático e justo.

Para além disso, alertamos que a privatização da CEB é um duro golpe em toda a população do DF, que estará submetida a contas de luz exorbitantes e serviços precários caso a estatal vá para as mãos da iniciativa privada. Isso porque a lógica do mercado privado tem como motivação o lucro, o que pode privar do acesso à energia elétrica comunidades inteiras que estão em vulnerabilidade econômica.

Em praticamente todos os estados que privatizaram suas distribuidoras de energia a conta de luz subiu e os serviços pioraram. Só em Goiás, após três anos privatização, o reajuste da tarifa de energia elétrica acumulou quase 30%. No mesmo estado, os consumidores ficaram 23 horas sem energia em 2019. No DF, essa média não chegou a nove horas.

Para tentar emplacar a privatização da CEB, Ibaneis Rocha alega caixa negativo, ineficiência e baixa produtividade. Entretanto, a estatal obteve lucro líquido de R$ 119 milhões em 2019, mesmo ano em que recebeu o Prêmio Aneel de Qualidade ao ser considerada a concessionária com melhor avaliação do consumidor na região Centro-Oeste. Em 2020, a empresa foi considerada a 7ª melhor do Brasil em qualidade de serviços entre as concessionárias de grande porte, com mais de 400 mil clientes.

O governador do DF ainda alega que a empresa pública tem uma dívida de R$ 800 milhões, omitindo o fato de que esse passivo, além de ser majoritariamente de médio e longo prazo, é bem menor do que a CEB tem de contas a receber e de ativos para alienação, que somados chegam a quase R$ 2 bilhões. Aliás, um dos grandes devedores da CEB é o próprio GDF, com uma dívida de cerca de R$ 60 milhões.

A sequência de ataques que sequer são respaldados por fatos mostra o desespero de Ibaneis Rocha em aprovar o processo de privatização da CEB à toque de caixa, sem dar qualquer satisfação para a sociedade, privando inclusive o debate na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Isso porque não consegue sustentar as suas justificativas para a entrega da estatal ao setor privado.

O que é transparente, todavia, é o alinhamento do GDF com a política do governo Bolsonaro-Guedes, que nega o Estado e aponta para o falso argumento da privatização das empresas públicas como única solução para o país.

Não permitiremos mais este golpe. Não aceitaremos que a sociedade seja manipulada com invenções que têm como meta agradar mega empresas, em detrimento dos direitos do povo. Energia não pode ser mercadoria!

Por isso, o mais completo repúdio das entidades abaixo subscritas às agressões levianas de Ibaneis contra dirigentes do STIU-DF, que podem contar com a solidariedade e irrestrito apoio à luta em defesa da CEB Pública!

Assinam:

O SAEDF assina em solidariedade aos companheiros e em repudio ao Governador Ibaneis que quer privatizar a CEB  e com isso encher os bolsos de dinheiro, assim como fez com o seu secretariado da Saúde com as compras superfaturadas  de respiradores e hoje estão presos!

E na administração escolar, aproveitou-se da pandemia, assinou contratos de merenda escolar que custou milhões sem ter aluno na escola! E ainda há outros fatos sendo investigados, e mais, Ibaneis é um mentiroso, confisca do salário do servidor, com a lei 970, dos ativos e inativos um percentual de 11% a 14% .

Com o salários congelados há cinco anos, foi eleito promovendo o estelionato eleitoral , quando disse que iria implantar a terceira etapa da carreira de 32 categorias do GDF. E não iria privatizar as empresas públicas , conte com o nosso apoio SAEDF.

* Com informações do Sindicato dos Trabalhadores em Escolas Públicas no DF – SAE-DF – 14/10/2020