ArtigosDestaqueMeus direitos e deveres

Cuidados com a sobrecarga de chuveiros elétricos devem aumentar durante o frio

Engenheiro Eletricista da Anhanguera faz orientações para manter o bom funcionamento do aparelho e evitar acidentes domésticos

Com a queda de temperatura no mês de junho, para muitas pessoas, os banhos quentes se tornaram a única opção para manter a higiene pessoal de forma confortável. Segundo dados do Ministério das Minas e Energia, 73% dos lares brasileiros ainda adotam a alternativa elétrica para o aquecimento, em sistemas a gás ou solar, e especialistas recomendam cuidados para evitar problemas com o aparelho, que pode ser sobrecarregado e, em casos extremos, até provocar choques.

De acordo com o coordenador do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade Anhanguera, Flávio Nery, os erros mais comuns em relação ao chuveiro estão relacionados ao aterramento do dispositivo (Cabo de Proteção), popularmente conhecido como ‘fio terra’, e a conexão dos terminais feita de modo inadequado. “A instalação do equipamento com conexão do condutor de proteção é de extrema importância para evitar choques elétricos. Além disso, é necessário que o chuveiro ou a ducha tenha potência compatível com a instalação elétrica onde o equipamento será instalado, além de também ser muito importante o uso de conectores de louça na emenda dos fios e evitar utilizar plugues de tomada”, afirma o docente.

O engenheiro eletricista explica que o calor gerado pelo resistor do aparelho é transferido para a água do encanamento sem que a eletricidade vá para o líquido ou para o corpo humano, que tem menor condução à corrente. “A corrente elétrica irá sempre percorrer o caminho mais fácil a seguir, portanto, se as funções estiverem em ordem, são baixas as chances de problemas com o equipamento”, pontua.

De acordo com o especialista, a instalação do aterramento garante a segurança do usuário e deve ser realizado por um profissional capacitado e de confiança, para diminuir as chances de vazamento da corrente elétrica. Ligar os aquecedores diretamente em tomadas, que não conseguem aguentar a alta potência de energia, é uma prática proibida pela Norma Técnica Brasileira (NBR) 5410, que determina as condições necessárias para instalações de baixa tensão.

CUIDADOS 

O engenheiro alerta que alguns cuidados domésticos podem evitar acidentes. Segundo ele, é recomendado utilizar tapetes de borracha ou chinelos no chuveiro para que não haja contato direto com o chão. As trocas de chaves de temperatura também só devem ser realizadas quando o aparelho estiver desligado e o tempo do banho quente também deve ser controlado.

MANUTENÇÃO 

A manutenção periódica também é necessária para o bom funcionamento. Os orifícios do aparelho devem ser limpos de forma recorrente para que a pressão da água não danifique fisicamente o chuveiro. Para esse processo, é importante que o morador da residência desligue o disjuntor do chuveiro ou a chave geral de energia.

O professor alerta que, uma vez queimada, a resistência jamais deve ser reaproveitada. “É importante que não sejam adotadas estratégias sem validação de um eletricista, como remendos e adaptações (gato ou gambiarra). Além de colocar as pessoas em risco, essas saídas podem provocar aumento da conta de luz ou até mesmo causar algum acidente com o chuveiro ou incendiar seu banheiro”, adverte.

Tags

Israel Carvalho

Israel Carvalho é jornalista nº. DRT 10370/DF e editor chefe do portal Gama Cidadão.

Artigos relacionados

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial