Impressoras 3D: o futuro a acontecer

As mudanças no mundo foram incríveis e o século XXI tem sido surpreendente, não apenas pelas novidades tecnológicas mas também pela forma como os seus usos revolucionam os mais diversos mercados. Longe de ser nova, a tecnologia 3D em impressoras está a espantar o mundo. Saiba porquê.

As impressoras 3D não são, contrariamente ao que muitos acreditam, uma invenção do século XXI. Estas já existem desde os anos 80 do século passado, tendo a primeira delas sido criada por Charles Hull, em 1984.
Ainda que não seja uma das
tendências tecnológicas para 2020 ou que não possamos falar dela como uma das mais recentes invenções, a verdade é que a viabilidade no uso deste tipo de material é muito recente. Até há relativamente pouco tempo, os custos que implicava o uso destas impressoras tornava o seu uso muito esporádico. Hoje, a sua acessibilidade é maior e os usos diversificados desta máquina têm vindo a revolucionar muitos setores a nível mundial.
Mais do que nunca, o século XXI surge como o espaço propício para experimentar e testar a impressora 3D para finalidades de ordem lúdica, social, cultural e artística. Não faltam, agora, formas de adaptar esta invenção às necessidades das pessoas e do mundo.
Assim, embora possa não ser a maior novidade da atualidade, vale a pena compreender as formas como esta tecnologia está a ser utilizada na criação de um mundo melhor.
Venha conhecer a pertinência dos vários usos da impressora 3D e saber quais os mercados que estão a adotá-la para os mais distintos usos.

1. A arquitetura e a construção


A impressora 3D é agora utilizada no setor da arquitetura e da construção. Experiências têm sido realizadas e existem, já, casas criadas de raiz com este tipo de impressora.
A maior experiência feita até ao momento imprimiu casas de 6 metros por 6 metros e indicou que o uso desta tecnologia pode vir a ser menos dispendioso e menos demorado do que as formas convencionais de construção.
Assim, no futuro, a impressora 3D poderá ser utilizada para fazer de raiz as habitações onde vivemos, alterando as próprias linhas de uma cidade em menos tempo e por valores mais econômicos.

2. A Medicina e os Transplantes


Também a Medicina e os Transplantes têm sido privilegiados com os novos usos da impressora 3D.
Muitos órgãos e ossos humanos têm sido impressos neste tipo de impressora, sendo ainda possível imprimir próteses mais perfeitas e adaptadas a cada pessoa.
Acredita-se que, a médio prazo, esta inovação possa reduzir as listas de espera para transplantes e fazer com que exista um menor risco de rejeição de órgãos após os transplantes cirúrgicos.

3. A Arte e a Cultura


As impressoras 3D também poderão começar a servir para criar verdadeiros museus com espaços e peças de arte que se perderam ao longo da História.
A recriação de algumas das peças mais incontornáveis da arte – incluindo de algumas das que se perderam durante as grandes guerras – poderia ajudar a melhorar o estado da cultura e devolver à humanidade uma parte do seu patrimônio.