Política

Dr Hélio José toma posse no Senado para ocupar a vaga deixada por Rollemberg

Senador Hélio José

Dr. Hélio José(PSD), chega ao Senado na vaga de 1º suplente do governador Rodrigo Rollemberg (PSB).

Hélio José de Lima tem 54 anos, é casado e natural de Corumbá de Goiás (GO). É servidor federal e chegou a concorrer nestas eleições a deputado distrital, quando declarou bens de R$ 699 mil. Não fez campanha e obteve apenas seis votos.

Com a saída de Rollemberg, o PSB passa a ter seis senadores e será a quinta maior bancada. Já com a chegada de Hélio José, o PSD, que já tinha um senador e elegeu dois no primeiro turno, passa a ter quatro cadeiras no Senado. O PSD, assim, supera o PTB e se iguala ao PR como sétima maior bancada.

Ex-diretor da CUT, Dr. Hélio José da Silva Lima, era do PT quando entrou na chapa que elegeu Rodrigo Rollemberg ao Senado, em 2010. Logo após a vitória nas eleições daquele referido ano, Dr. Hélio deixou o Partido dos Trabalhadores para se filiar ao Partido Social Democrático (PSD), que é por onde assume como Senador.

“Sou um dos fundadores do PSD no DF, nossa expectativa como senador é contribuir para que nosso governador tenha um excelente mandato. Meus projetos são focados em movimentos sociais e terão contas abertas e transparentes. Vou lutar pelo direito a moradias, ao transporte e a saúde. Terei uma atuação mais voltada aos menos favorecidos. Buscarei recursos nessa linha, melhoria nas escolas, recuperação do parque imobiliário de Brasília. E quero atuar com micro e pequena empresa”, declara.

Como senador da República, Hélio José promete defender os valores da família e diz que seu primeiro projeto vai ser para pedir a transformação da pedofilia em crime hediondo e uma punição mais firme para os que são acusados de pedófilos.

Dr. Hélio, diz que não guarda mágoas de Rodrigo Rollemberg, que solicitou apuração das denúncias de pedofilia feitas contra ele. Para Hélio, qualquer cidadão no lugar de Rollemberg faria a mesma coisa. “Não foi o Rollemberg (quem fez a acusação), mas o PT que quis me corromper e me tirar da suplência dele. Por isso essa mentira toda surgiu, mas nunca existiu. O PT quis me corromper com uma quantia alta e cargos no Executivo. À época Rollemberg apenas pediu para apurar”, disse.

Ele também tem andado irritado com a manobra do Buriti na indicação de Vasco Cunha Gonçalves para assumir o BRB. O Senador promete ir a fundo nessa história. “Aí tem coisa ruim. O Vasco é ficha suja e Rollemberg quer insistir no erro e vai desmoralizar o BRB e seu governo com essa indicação”, afirmou.

Vasco, que foi indicado pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) à presidência do BRB, está em descrédito. Ele foi condenado, em segunda instância, pela Câmara de Recursos da Previdência Complementar, por causar prejuízo de R$ 5 milhões à Sociedade Civil de Previdência Privada (REGIUS), na condição de diretor da Entidade. A REGIUS é uma entidade fechada de previdência complementar dos funcionários do BRB.

GAMBIARRA DO PT E O CASO DE PEDOFILIA

Hélio já foi alvo das atenções em outro episódio político no DF, que o levou a ficar conhecido como “Hélio Gambiarra”. Foi em 1995, quando o ex-petista era diretor da Companhia Energética de Brasília (CEB) e utilizou de uma fiação irregular – gato ou gambiarra – para iluminar um evento em sua chácara.

A festa era o batizado do filho de Chico Vigilante (PT) e contou com a presença do então governador Cristovam Buarque e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Por causa disso, Hélio foi afastado do cargo na CEB. Ele julga o episódio como “injustiça” cometida contra ele.

Pois bem, no início de agosto de 2010, Rodrigo Rollemberg apareceu no PT de Brasília para comunicar que Hélio José era acusado de pedofilia. A vítima seria uma sobrinha. O senador alegou que não poderia omitir essa informação, pois poderia ser explorada pelos adversários. A história parece ter sido confirmada pela familiar do petista, à época, que afirmou ter sido abusada por ele quando tinha entre 11 e 15 anos. Alegando inocência quanto às acusações, Dr. Hélio José decidiu refluir em sua decisão de se desfiliar do PT e passou a lutar junto ao Tribunal Regional Eleitoral para garantir sua candidatura à suplência no Senado. O processo foi arquivado tanto na primeira instância quanto na segunda por falta de provas contra o senador Hélio José. Portanto, não há nada que desabone a conduta do parlamentar.

 

Da redação do Gama Cidadão

Leia mais: A guerra pelo posto de administrador regional do Gama

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Veja Também

Fechar
Portal de Notícias Gama Cidadão o
Fechar
%d blogueiros gostam disto: