Rodoviária do Gama em péssimas condições pode ser interditada para Obras

Segundo o DFTrans, está em andamento a construção de um Terminal Rodoviário no Setor Central da cidade e a inauguração de outro no Setor Sul


Foto da internet: Reprodução

Cerca de 48 mil pessoas circulam diariamente pelo terminal rodoviário do Gama, cidade conhecida como capital do entorno a 8 quilômetros dos municípios goianos e 30 quilômetros da região central de Brasília.

Os ônibus fazem os trajetos para o Distrito Federal e para outros estados.

Construído há mais de 50 anos, o terminal do Gama apresenta telhados enferrujados e paredes sem azulejos. Boa parte das janelas está quebrada. Nos banheiros, faltam luminárias, pias e tampas nos vasos sanitários.

As placas informativas também apresentam problemas. Na pintura, constavam dados sobre as linhas de ônibus que estacionavam em cada baia, mas a tinta foi danificada.

Mês passado dia (18/08), a Defensoria Pública do DF em conjunto com a Promotoria de Justiça da Pessoa com Deficiência (PROPED) e o Ministério Público de Contas do DF (MPC-DF), recomendou ao Governo do Distrito Federal (GDF), que readeque a estrutura da rodoviária do Gama (DF) para tornar o local acessível às pessoas com deficiência. O governo tem até o dia 18 dessa semana para apresentar esclarecimentos. 

O documento foi elaborado a partir de vistoria feita por técnicos do Ministério Público do DF, depois que o Núcleo da Defensoria Pública no Gama recebeu reclamações da Associação de Deficientes do Gama e Entorno. No local, os profissionais identificaram a falta de rampas de acesso para cadeirantes, piso tátil para deficientes visuais e de banheiros adaptados.

Caso as recomendações não sejam cumpridas, o governo poderá ser obrigado pela Justiça a seguir as normas de acessibilidade.

A administração do Gama afirma que um novo terminal está quase pronto e deve ser inaugurado ainda esse ano. O espaço funciona na quadra 13 do Setor Sul. A rodoviária vai receber os ônibus do Entorno. Segundo o órgão, a estrutura principal já foi concluída, e equipes trabalham para finalizar pistas, canteiros e rampas de acesso.

Segundo o DFTrans, o aviso de licitação para o terminal rodoviário do setor central do Gama já foi publicado.

O projeto de construção da rodoviária da cidade prevê que os trabalhadores da Feira do Galpão, localizada no Setor Central do Gama, sejam remanejados a fim de possibilitar o início das obras. Apesar da necessidade de uma nova estrutura para atender os moradores que dependem do transporte público, a medida foi reprovada pelos feirantes, que veem a mudança de local como uma ameaça para as vendas e, consequentemente, na geração de renda da população.

O funcionamento da feira é regulamentado pela lei distrital nº 2.546/2000, que conta hoje com 94 bancas e gera 500 empregos diretos.


Recursos

Segundo o GDF, todos os recursos para as reformas e construções dos terminais foram adquiridos por meio de contrato, firmado em 2008, com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). De acordo com a secretária-adjunta da Secretaria de Mobilidade, Sônia Haddad, o prazo para a utilização do montante — R$ 33 milhões —, que faz parte do PTU (Programa de Transporte Urbano), termina este ano e todo o recurso será investido nessas obras