Sancionada Lei de Jaqueline Silva que cria Dia da Capoeira no DF

O dia da capoeira e do capoeirista entrou para a o calendário oficial de eventos comemorativos do Distrito Federal. A medida, publicada na terça-feira (20) no Diário Oficial do DF (DODF), foi sancionada pelo governador Ibaneis Rocha. O texto descreve que o objetivo é “valorizar a cultura da capoeira no Distrito Federal”.

A iniciativa partiu de um projeto de lei da deputada Jaqueline Silva (PTB-DF), aprovado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) em setembro. O texto modificou lei de 2002. Antes, celebrava-se apenas o dia da capoeira, sem menção aos capoeiristas, em 12 de junho.

O dia do capoeirista é celebrado pelo país desde 1985, quando o estado de São Paulo criou uma lei nesse sentido em 3 de agosto, por isso, foi fixada essa data.

A roda de capoeira é considerada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio imaterial brasileiro, e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) a registrou como patrimônio da humanidade.

A prática de povos africanos foi marginalizada no Brasil e chegou a ser proibida em 1890 pelo então presidente, Deodoro da Fonseca. A capoeira só deixou de ser criminalizada em 1937, quando foi convertida em esporte nacional. Ela foi trazida ao país pelos povos africanos escravizados no século XVI.

*Com informações do Correio Braziliense – 20/10/2020