O cantor Chico César atraiu cerca de duas mil pessoas, que dançaram ao som de sucessos

A 28ª edição do Festival de Música do Gama (FMPG) foi realizada, nos dias 11 e 12 de julho, junto com 1º Encontro de Food Trucks, no estacionamento do estádio Bezerrão.

O festival teve como destaque o paraibano compositor Chico César, que subiu ao palco do FMPG, no domingo (12), para encerrar a programação.  

O FMPG promoveu o recolhimento de alimentos para doação ao Centro Espírita Nosso Lar - CENOL, que realiza projetos sociais na cidade, além de realizar coleta seletiva de todo lixo produzido durante os dois dias de evento.

A festa contou estrutura de food trucks, com cardápios variados, comida japonesa, sanduíches e pizzas, resultando numa grande variedade de opções, feirinha de artesanatos, oficina de turbantes, entre outros.

No sábado, se apresentaram os semifinalistas selecionados, as bandas Nego Blues e Móveis Coloniais de Acaju. No dia seguinte, subiram ao palco os convidados do É Nóis Q Tá, os oito finalistas, Carlinhos Soares e o cantor e compositor Chico César.

O júri que selecionou as músicas vencedoras foi composto por: Vadim (Maestro e Professor de Música da UnB), Miguel Ribeiro (Ex-Secretário Adjunto de Cultura do DF e Gestor de Cultura), Vavá Afioune (Músico), Anderson Lira (Produtor Cultural, DJ e Comgadeiro) e Paola Antoni (Jornalista e Radialista).


Artistas premiados com a Comissão Organizadora FMPG. Foto: José Paulo Oliveira, SINPRO-DF.

E os vencedores desta 28ª Edição do FMPG são:

1º lugar - Bandavoou - Música PERAÍ

2º Lugar - Banda Movni - Células Mortas

3º Lugar - Conrado Pêra - Vem Plantar Tudo de Novo 

Melhor Intérprete - Banda Movni - Células Mortas

Melhor Arranjo - Grupo Samba de Moça Só - O Corpo é Meu

O festival, que teve início em 1979, já foi contemplado com grandes nomes da música brasileira como Renato Russo, Oswaldo Montenegro, Plebe Rude, Zé Geraldo e Geraldo Azevedo. 

Galeria de fotos. Clique aqui!

 

Debate integra o projeto Diálogos Culturais, que contemplará todas as regiões administrativas de Brasília

Parte da comunidade do Gama reuniu-se nesta segunda-feira (18), no Centro Cultural Galpãozinho, com o objetivo de discutir contribuições para a elaboração do primeiro Plano de Cultura do Distrito Federal. As conversas nas regiões administrativas, parte do projeto Diálogos Culturais, ocorrem desde o início de março.

O plano contém sete eixos específicos (patrimônio e infraestrutura cultural; identidade, cidadania e direitos culturais; difusão, promoção e circulação; cultura, educação e novos públicos; cultura, empreendedorismo e economia criativa; desenvolvimento cultural e artístico; e gestão pública da cultura) e estabelecerá metas para os próximos dez anos. Depois de pronto, passará pelo crivo da Câmara Legislativa do DF antes de valer como lei.

No Gama, foram levantadas questões como criação de espaços para difusão da música erudita, estabelecimento de intercâmbios culturais com outras unidades da Federação e definição de formas de incentivo aos artistas populares de Brasília. Apesar de a maior parte do público compor a comunidade artística, os encontros são abertos a toda a população.

Além das conversas presenciais, os interessados podem enviar sugestões pelo site www.participa.br/culturadf. No endereço eletrônico, será possível consultar o plano antes que ele seja apresentado à Câmara Legislativa.


Lei

O Plano de Cultura foi proposto pelo Ministério de Cultura em 2010, quando cada unidade da Federação ficou responsável por criar seu próprio documento. O objetivo é se chegar a uma lei que estabelecerá estratégias e ações prioritárias para a política cultural do DF.

O secretário de Cultura, Guilherme Reis, e a administradora do Gama, Maria Antônia Rodrigues Magalhães, participaram do debate. As próximas regiões atendidas serão Sobradinho II e Fercal, na quarta-feira, às 18h30, no Centro de Ensino Fundamental 8 (AR 3, Conjunto 2, Lote 4, Sobradinho II).

Galeria de fotos. Clique aqui

Fonte: Agência Brasília

Encontros entre Secretaria de Cultura e comunidade começarão por Planaltina, Varjão e Gama

Secretário de Cultura, Guilherme Reis

A Secretaria de Cultura  do DF promove a partir de 11 de maio, encontros com 29 regiões administrativas, com objetivo de ouvir a comunidade local sobre o Plano de Cultura do Distrito Federal, além de suas expectativas para o cenário cultural de cada cidade.

Até 15 de julho, serão realizados pelo menos dois encontros semanais e itinerantes. O ciclo terá início em Planaltina, no Ginásio de Múltiplas Funções, na Avenida Uberdam Cardoso, Setor Administrativo de Planaltina. Em seguida, chega às comunidades do Varjão e Lago Norte. O encontro será na Casa da Cultura do Varjão, na Quadra 2, conjunto D, lote 2. Outra cidade que recebe o encontro da Secretaria é o Gama, cuja ação será realizada na segunda-feira (18), no Centro Cultural Galpãozinho, Setor Central do Gama, (próximo a Rodoviária). Todos os encontros estão previstos para ocorrer entre 18h30 e 21h30.

Os diálogos servirão para que a comunidade contribua com a construção do Plano de Cultura do Distrito Federal. Enquanto ele definirá as linhas prioritárias de ação para a arte e cultura do DF nos próximos 10 anos, o Sistema de Cultura do DF estabelecerá as reponsabilidades de sua execução.  Juntos, os dois documentos comporão a lei Geral da Cultura do Distrito Federal. “Para repensarmos a nossa política cultural, é preciso um ambiente participativo e transparente”, afirmou o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

Cada encontro será dividido em cinco momentos: a recepção seguirá o formato de um jogo lúdico, dinâmico e participativo. Em seguida, haverá uma exposição sobre a proposta do Plano de Cultura a ser validada e um esclarecimento sobre a necessidade de transformar as deliberações em lei. Todos os participantes poderão opinar livremente durante a quarta etapa. No momento final, todos se dividirão em grupos de trabalho para tratar de diferentes eixos temáticos e sugerir ações referentes a eles.

Após a consulta, o Plano e o Sistema de Cultura do DF seguirão para a aprovação da Câmara Legislativa, no início de 2016. A proposta é que as diretrizes estejam previstas em lei que garanta o financiamento, desenvolvimento e sustentabilidade das ações culturais em todo o Distrito Federal. Os Diálogos Culturais fazem parte de um esforço de transparência de gestão e participação social por parte da Secretaria de Cultura junto à comunidade cultural e a todos os cidadãos do DF.


Diálogos Culturais – Consultas Públicas:

Planaltina (11/05)
Varjão (13/05)
Gama (18/05)
Sobradinho II/ Fercal (20/05)
Brazlândia (25/05)
Ceilândia (27/05)
Samambaia (01/06)
Recanto das Emas e Riacho Fundo II (08/06)
Santa Maria (10/06)
São Sebastião (15/06)
Paranoá e Itapuã (17/06)
Sobradinho (22/06)
Guará /SIA (23/06)
Estrutural (25/06)
Núcleo Pioneiro/Núcleo Bandeirante/ Candangolândia/ Park Way (29/06)
Riacho Fundo I (01/07)
Taguatinga (06/07)
Águas Claras (07/07)
Vicente Pires (08/07)
Cruzeiro/Sudoeste/ Octogonal (13/07)
Plano Piloto, Lago Sul, Jardim Botânico/ Lago Norte (15/07)

SERVIÇO:

Diálogos Culturais – Consultas Públicas
A partir de 18h30.
Grátis.

Planaltina (11 de maio)
Ginásio de Múltiplas Funções. Avenida Uberdam Cardoso, Setor Administrativo de Planaltina.
Varjão (13 de maio)
Casa da Cultura do Varjão. Quadra 2, conjunto D, lote 2
Gama (18 de maio)
Centro Cultural Galpãozinho, Setor Central do Gama

Fonte: DF Agora - 07/05/2015

Gama Cidadão, Rádio Comunidade FM 98.1 MHZ Gama e Conselho Regional de Cultura do Gama no Lançamento da Lei Cultura Viva e da regulamentação da Política Nacional de Cultura Viva

Foi lançada, na tarde desta quarta-feira (8), a Lei Cultura Viva, que instituiu a Política Nacional de Cultura Viva e tem como objetivo ampliar o acesso da população brasileira aos meios e às condições de exercício dos direitos culturais. A cerimônia foi realizada na Sala Cássia Eller da Funarte, com a presença do ministro da Cultura, Juca Ferreira. A instrução normativa nº 1, de 7 de abril de 2015, que regulamenta a Lei nº 13.018 de 2014, está publicada no Diário Oficial da União de hoje. “Um dos aspectos mais importantes da regulação dessa lei é reconhecer que todo grupo cultural com determinadas características pode ser chamado e autoclassificado como Ponto de Cultura”, explicou Ferreira.

Entre as inovações estabelecidas pela legislação estão a autodeclaração — artistas, coletivos e instituições poderão se autodeclarar Ponto de Cultura — e o Termo de Compromisso Cultural, que substituirá o convênio na parceria entre o Estado e o segmento cultural.

Com papel importante na implantação e no desenvolvimento do projeto, estiveram presentes no evento o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e a colaboradora do governo e esposa do chefe do Executivo, Márcia Rollemberg. Eles assistiram a uma apresentação cultural do Boi do Seu Teodoro e, em seguida, participaram da cerimônia. “Este é o resultado de uma construção coletiva, de que cada um faz uma parte e agora nós estamos aqui para avançar”, disse o governador, que, quando senador, foi relator do projeto da Cultura Viva.

Márcia, que participou da construção e da regulamentação da política na Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura, mostrou-se feliz diante da realidade: “Acho que a gente está avançando nos marcos legais de uma política que é histórica e  referência na América Latina hoje”.

Os pontos de Cultura terão legislação própria e serão política de Estado. Essas são algumas das mudanças que passam a valer com o lançamento da Política Nacional de Cultura Viva.

Instituída pela Lei 13.018/14, mais conhecida como Lei Cultura Viva, a Política Nacional de Cultura Viva será lançada pelo Ministério da Cultura junto com a lei. A legislação foi sancionada pela presidenta Dilma Rousseff em julho do ano passado, mas precisava ser regulamentada para entrar em vigor.


 Brasil- Lançamento da Lei Cultura Viva e da regulamentação da Política Nacional de Cultura Viva.

Israel Carvalho, Diretor do Gama Cidadão, Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg e  Flávio Pinheiro, Membro do Conselho Regional de Cultura do Gama

Lançamento da Lei Cultura Viva e da regulamentação da Política Nacional de Cultura Viva


 

 Flávio Pinheiro, Membro do Conselho Regional de Cultura do Gama,  Israel Carvalho, Diretor do Gama Cidadão e ministro da Cultura, Juca Ferreira

 Márcia Helena Gonçalves Rollemberg, primeira-dama do DF

Israel Carvalho, Diretor do Gama Cidadão, Guilherme Reis, Secretário de Estado de Cultura do DF e Flávio Pinheiro, Membro do Conselho Regional de Cultura do Gama 

Galeria de fotos. Clique aqui!

 

 

Gamaika

Aconteceu neste fim de semana (26, 27, 28/09), no estacionamento do Mercadão Leste no Gama – DF, o 1° Festival Gamaikore. O evento foi uma união do Marrecore e Gamaika, fenômeno de público entre os jovens.

O Gamaikore contou com apoio da Secretaria de Cultura do Distrito Federal. Segundo informações da Policia Militar compareceram em torno de 3 mil pessoas entre crianças,  jovens e adultos. O evento ocorreu de forma tranquila, estendendo até a noite.

A união do Marrecore e Gamaika combinou na mistura da galera do Rock, cultura Jamaicana ao som de muito Rock, Reggae, Rap, Trap, Twerk, Dubstep, Break Beat, Drum N' Bass e Ragga.

O evento sempre acontece ao ar livre, com um lindo pôr do sol que embelezou o final de tarde neste domingo. Para quem gosta de uma vibe positiva e de boa música, o  é o lugar ideal.

Gamaika Gamaika

A batalha de RAGGA entre as meninas foi frenética, a Nayara Soares comandou a arena. Joyce Lopes foi à vencedora entre as meninas.

Na batalha entre MCs quem levou a melhor foi o MC Gabriel.

Line-upe bandas que marcam presença: DJ MIAGH, DJ BROTHER, DJ MOFX, DJ DI AFREEKA e DJ LUI J, DJ ALGAH, RASTAEL, KIZUMBA, KANI, AS VERDADES DE ANA BELA e 27 YEARS.

Apoio: KamiKazeGraffiti Shop Conic, Abril pro Rock Gama Shopping, Brasília Bier, Gama Cidadão, FunHouseConic, SickTattoo, Moises Tattoo, DaBomb, Racha piso, Padinego.


Cobertura: Gama Cidadão


Clique aqui e veja mais fotos do evento

Conhecido como Oscar brasileiro, evento aconteceu na noite de terça (26) e homenageou o cineasta Domingos de Oliveira.

img

A noite de terça-feira (26) foi de gala para a classe artística. No palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro aconteceu a 13º edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, chamado por alguns de Oscar brasileiro. Liderando a lista dos vencedores, “Faroeste Caboclo” e sua equipe levaram para casa sete troféus Grande Otelo, incluindo o de Melhor Longa-Metragem de Ficção, último prêmio anunciado da noite.

"Este filme é muito pessoal, apesar de ser comercial", disse o diretor Rene Sampaio ao receber a honraria. “O que o País precisa é que todo mundo tenha espaço nas salas de cinema, seja um filme pequeno ou grande. A nossa meta é que o governo ajude a manter nossos filmes mais tempo nas salas. Só a gente sabe como é difícil”, discursou.

“Faroeste Caboclo” ainda faturou as categorias Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Montagem Ficção, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Som, Melhor Direção de Fotografia e Melhor Ator, com Fabrício Boliveira, que na história viveu João de Santo Cristo. Na categoria Melhor Atriz, Isis Valverde, que interpretou Maria Lucia, perdeu o troféu para Gloria Pires, por “Flores Raras”. Foto: AgNews. ...

"Digo que já ganhei um prêmio por estar concorrendo com grandes atrizes, como a Fernandona (Montenegro), Gloria (Pires), Sophie (Charlotte), que tem crescido bastante... É um time bacana", disse a atriz ao iG.

Aliás, por falar em Gloria (representada pela filha Ana), a ausência de grandes nomes, que estavam indicados ou não, foi sentida. Alguns deles: Fernanda Montenegro, Leandra Leal, Paulo Gustavo, Irandhir Santos, Fábio Porchat, entre outros. Novidade este ano foi a nova categoria de Melhor Longa-Metragem Comédia, vencida por “Cine Holliúdy”, de Halder Gomes. A trama faturou também o Melhor Longa de Ficção pelo Voto Popular.

“Eu dedico esse prêmio para todo o povo da comédia, para todos os comediantes do Brasil. Agradeço também ao Ceará, que fez o filme ser o mais visto de todos os tempos. Bateu até Titanic! Confio muito no meu público, é pesado mesmo. Não tem coisa mais difícil no mundo do que fazer um filme. O cara que faz um filme pode fazer o que ele quiser, pode ser astronauta, pode ser o que ele quiser”, brincou Halder em seu discurso de agradecimento.

A apresentação da premiação ficou sob responsabilidade do casal Maria Ribeiro e Caio Blat, que desenvolveu a cerimônia de forma bastante agradável, sempre brincando de contracenar com o filme "Todas as Mulheres dos Mundo", de 1966, um dos clássicos de Domingos de Oliveira, o homenageado da noite. No final da festa, o próprio Domingos, amparado pela família, subiu ao palco para agradecer os aplausos.

“Uma homenagem dessas precisa de uma prestação de conta. Estou bem, trabalho, moro no Leblon, estou vivo. Não admito que ninguém diga que tem uma vida melhor que a minha”, brincou, com dificuldade na fala e com repetitivos movimentos com as mãos por causa do Parkinson.

"Sei que a sociedade de consumo privilegia sempre o jovem. Tem muita gente que não me suporta. Velho pessimista dá para suportar, mas velho otimista é dose", disparou, arrancando risadas dos presentes.

Ao seu lado, a família escutava cada palavra de Domingos, e Paulo José, também vítima da mesma doença, reviu suas cenas com Leila Diniz em “Todas as Mulheres dos Mundo" e aplaudiu o colega. Domingos continuou: “Sou um campeão de auto-estima. Aprendi que você só pode gostar dos outros quando você gosta de si mesmo. E eu me adoro. É um prazer danado estar aqui”, disse.

Confira abaixo a lista completa dos vencedores:

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Kleber Mendonça Filho, por "O Som ao Redor"

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Marcos Bernstein e Victor Atherino – adaptado da música “Faroeste Caboclo” de Renato Russo, Legião Urbana – por "Faroeste Caboclo"

MELHOR MONTAGEM DOCUMENTÁRIO

Marília Moraes e Tina Baz, por "Elena"

MELHOR MONTAGEM FICÇÃO

Marcio Hashimoto, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR EFEITO VISUAL

Daniel Greco e Bruno Monteiro, por "Uma História de Amor e Fúria"

Robson Sartori, por "Serra Pelada"

MELHOR FIGURINO

Marcelo Pies, por "Flores Raras"

MELHOR MAQUIAGEM

Siva Rama Terra, por "Serra Pelada"

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

José Joaquim Salles, por "Flores Raras"

MELHOR CURTA-METRAGEM ANIMAÇÃO

"O Menino que Sabia Voar", de Douglas Alves Ferreira

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

"A Guerra dos Gibis", de Thiago Brandimarte Mendonça e Rafael Terpins

MELHOR CURTA-METRAGEM FICÇÃO

"Flerte" de Hsu Chien

MELHOR TRILHA SONORA

Paulo Jobim por "A Luz do Tom"

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Phillipe Seabra por "Faroeste Caboclo"

MELHOR SOM

Leandro Lima, Miriam Biderman, ABC, Ricardo Chuí e Paulo Gama por "Faroeste Caboclo"

MELHOR LONGA–METRAGEM ESTRANGEIRO

"Django Livre"/Django Unchained de Quentin Tarantino. Distribuição: Sony Pictures

MELHOR LONGA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO

"Uma História de Amor e Fúria", de Luiz Bolognesi. Produção: Caio Gullane, Fabiano Gullane, Débora Ivanov e Gabriel Lacerda por Gullane Entretenimento, Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi e Marcos Barreto por Buriti Filmes

MELHOR LONGA-METRAGEM INFANTIL

"Meu Pé de Laranja Lima", de Marcos Bernstein. Produção: Katia Machado por Pássaros Films do Brasil Audiovisuais Ltda.

MELHOR LONGA–METRAGEM DOCUMENTÁRIO

"A Luz do Tom", de Nelson Pereira dos Santos. Produção: Márcia Pereira dos Santos por Regina Filmes Ltda e Maurício Andrade Ramos por Videofilmes

MELHOR LONGA-METRAGEM COMÉDIA

"Cine Holliúdy", de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC Entretenimentos

VOTO POPULAR - MELHOR LONGA-METRAGEM ESTRANGEIRO

"Django Livre"/Django Unchained de Quentin Tarantino. Distribuição: Sony Pictures

VOTO POPULAR - MELHOR LONGA-METRAGEM DOCUMENTÁRIO

"Elena", de Petra Costa. Produção: Petra Costa por Busca Vida Filmes

VOTO POPULAR - MELHOR LONGA-METRAGEM DE FICÇÃO

"Cine Holliúdy", de Halder Gomes. Produção: Halder Gomes e Dayane Queiroz por ATC Entretenimentos

MELHOR DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Gustavo Habda, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Wagner Moura, como Lindo Rico, por "Serra Pelada"

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Bianca Comparato, como Carmem Tereza, por "Somos tão Jovens"

MELHOR ATOR

Fabrício Boliveira, como João de Santo Cristo, por "Faroeste Caboclo"

MELHOR ATRIZ

Gloria Pires, como Lota de Macedo Soares, por "Flores Raras"

MELHOR DIREÇÃO

Bruno Barreto por "Flores Raras"

MELHOR LONGA–METRAGEM DE FICÇÃO

"Faroeste Caboclo" de Rene Sampaio. Produção: Bianca De Felippes por Gávea Filmes e Produções, Marcello Maia por República Pureza e René Sampaio por Fogo Cerrado Filmes

Fonte: Por NINA RAMOS, iG Rio de Janeiro - 27/08/2014 - - 10:47:19

Eleicao-do-Conselho-de-Cultura-gama

A cultura é um bem de todos e para todos. No dia em que tivermos jovens e donas de casa participando ativamente do movimento artístico e defendendo o fazer cultural, não haverá espaço para manipulação do tipo da que houve hoje na eleição do conselho de cultura do Gama. Quero deixar claro que para mim os motoqueiros, as donas de casa e os skatistas não só são legítimos como são importantes. Mas não os vejo como massa de manobra de candidatos de última hora. Vejo como pessoas importantes em um processo de formação do tipo que já estamos construindo há anos para garantir justamente que todos tenham acesso a esse bem tão importante. Não é da noite para o dia que se ocupa um espaço como o da cultura. Para isso, há de se construir uma cultura de participação; que os Jovens que ali estiveram hoje tenham consciência do papel que desempenharam e cobrem dos seus eleitos e que não fique só nisso. Que todas as "tribos" tenham acesso ao debate e que ninguém permaneça no engano. Para quem não sabe, as donas de casa tiveram um papel importantíssimo no resgate da obra de Augusto dos Anjos. É bom esclarecer que o papel do consumidor, no caso da arte, é totalmente diferente do consumidor de outros seguimentos. Ninguém preenche vagas para um conselho de arquitetura ou medicina com pessoas leigas. Para que seja votado com a incumbência de avaliar projetos artísticos há de ter conhecimento de causa. É, portanto, importante que essas pessoas venham de um processo cultural de participação. Porém, o que aconteceu hoje foi que os dois grupos lotaram o auditório com iniciantes e as pessoas que vêm de longas datas na tentativa de estabelecer uma política de ações culturais foram engolidas pelo processo. Manipulação houve sim e a meu ver das duas partes. Agora, ao nobre comunista e meu amigo de sempre do Blogue Arretadinho, o Joaquim Dantas me confundir como oportunista só posso lamentar. Quero reiterar a ele minha amizade e dizer que para a próxima melhore suas companhias e use de outros métodos como, por exemplo, o de Formação. A exemplo da proposta que lhe apresentei nos bastidores para criação de uma agenda mínima para a pasta da cultura que poderia ou poderá ser defendida por qualquer uma das chapas eleitas. Sem as artimanha de um processo corrompido e gasto. Sejamos éticos em todas as nossas posturas e não procuremos citar, como fez o caro amigo, nome de quem quer que seja para ainda mais ofuscar e macular a livre democracia. Somos todos cidadãos da pólis e que ninguém seja e esteja preso aos grilhões das opiniões. Ainda assim digo: apoiei sim a chapa 1 porque La estava um artista que goza de todo o meu respeito.

Galeria de fotos Clique aqui!

José Garcia Caianno

img
Os amantes da arte e da cultura terão a oportunidade de participar de sete oficinas gratuitas oferecidas pela Associação Cultural Tribo das Artes, com o apoio da Secretaria de Cultura. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas até o dia 2 de maio via internet ou de forma presencial.

As oficinas serão realizadas nas cidades de Taguatinga, Planaltina, Samambaia, Recanto das Emas e Ceilândia. As modalidades oferecidas são: Capacitação Financeira para Cultura, Teatros de Bonecos, Literatura de Cordel, Contação de Histórias, Interpretação Teatral, Poesia Falada e Autogestão de Artista, e Percussão Pandeiro.

Os candidatos deverão enviar a ficha de inscrição com todos os campos preenchidos para o e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou se apresentarem na unidade de Taguatinga. Poderão participar da seleção somente maiores de 14 anos e, segundo a organização, serão no máximo 15 alunos por turma.

Também está prevista a realização de cinco recitais poéticos musicais e cinco projeções de curtas. Para essa atividade, a associação abriu seleção para a contratação de Músico - voz e instrumento, Poeta declamador, Coordenador de projeção de curtas e Apresentador de recital. Os interessados podem visualizar o edital no www.tribodasartes.org.

Os currículos dos candidatos devem ser enviados até a próxima sexta-feira (25). Os recitais e curtas serão apresentados sempre das 19h30 às 21h30 nos dias 6, 13, 14, 15 e 21 de maio nas cidades de Ceilândia, Gama, Samambaia e Santa Maria.

RELAÇÃO DAS OFICINAS

MODALIDADE

DATA

HORÁRIO

LOCAL

Captação financeira para cultura

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Taguatinga

Teatro de Bonecos confecção e manipulação                           

12/5 a 20/5

26/5a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Samambaia

Teatro de Bonecos confecção e manipulação                            

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 14h

às 17h

Planaltina

Interpretação teatral teoria e prática

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Recanto

das Emas

Poesia falada e autogestão do artista

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Taguatinga

Percussão Pandeiro – teoria e prática

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Planaltina

Literatura de cordel – teoria e prática

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Ceilândia

Contação de histórias – teoria e prática

12/5 a 20/5

26/5 a 3/6

Das 19h30

às 22h30

Taguatinga

 

SERVIÇO

Oficinas Artísticas e Culturais – Temporada 2014

Inscrições: Até 2 de maio

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Unidade Taguatinga: QSD 23 Lote 17

Contato: (61) 9627-4382 ou (61) 8488-6188

O poeta divulga "BrasíliA-Z: cidade-palavra" nesta terça-feira, no Espaço Cena

Vanessa Aquino

img  
Nicolas Behr apresenta várias leituras para a capital federal em sua nova obra


Quando memórias afetivas de uma cidade se transformam em palavras, o poeta escreve, cria versos, frases e até verbetes. Foi assim que Nicolas Behr transformou impressões pessoais no livro BrasíliA-Z: cidade-palavra, que será lançado nesta terça-feira (8/4) no Espaço Cena, com apresentação de Ana Miranda. “Era um sonho antigo. Meu objeto é compartilhar algumas coisas que muitos brasilienses talvez não saibam. O que eu quero é o espanto das pessoas de fora. Brasília é uma cidade que tem que ser protegida, e o livro pode dar mais carinho e cuidado por Brasília. Para mim é facil escrever sobre Brasília porque ela tem um simbolismo muito grande. Eu vivo a cidade”, diz.

O poeta de Mato Grosso se mudou para Brasília aos 15 anos. E, quando chegou, viveu uma relação de amor e ódio com a cidade, que, segundo ele, foi um estado de sobrevivência entre os números de quadras e superquadras. “Quando cheguei aqui, Brasília quase me matou. Pensei: como vou sobreviver nessa cidade de números, massificada, massificante, de setorização. Brasília me machucou muito no começo. Eu também machuquei Brasília. Hoje é um amor mais doméstico, é um amor que eu cultivo. É o conflito da uma tensão psíquica que eu cultivo. Os meus livros são fruto dessa tensão. Procurei entender essa cidade. E a gente está se entendendo.”

Os verbetes do novo livro de Nicolas são cheios de personalidade, selecionados com objetivo de mostrar várias facetas da cidade. “Eu queria usar os vários vieses de Brasília. Busquei falar de amor, de ecologia, o lado histórico e afetivo. Vi a cidade com várias facetas e leituras”, explica o poeta. O autor procurou imprimir humor nas histórias que compõem cada uma das palavras-tema de um verdadeiro dicionário amoroso e crítico. “Humor facilita a compreensão e a leitura. O humor é o lubrificante da ideia. Sem humor a mensagem não desce, não gira. Queria que as pessoas gostassem do livro e que a cidade gostasse de mim”, descreve.

BrasíliA-Z: cidade palavra

Nicolas Behr. Edição independente, páginas 146 páginas. R$ 20. Lançamento terça-feira, às 18h, no Espaço Cena (205 Norte). Entrada Franca. Classificação indicativa livre.

Fonte: Correio Braziliense - 07/04/2014 08:06

Exposição fotográfica “France Noir et Blanc" vai até o fim do mês
FOTO: DIVULGAÇÃO

Continua até o final deste mês a exposição fotográfica “France Noir et Blanc”, do arquiteto taguatinguense Hermes Romão Junior.

Apaixonado por fotografia, Hermes reuniu, para esta exposição, seus melhores "cliques" das ruas e da arquitetura de Paris. Sob a perspectiva das lentes do fotógrafo, o surgimento de uma singular visão a harmonia da tradicional e romântica cidade Luz com suaves pitadas de humor.

Não deixe de fazer a sua visita no Café Savana, que fica na SCLN 116 Norte. A exposição está no Savana desde 14 de março.

Fonte: Gazeta de Taguatinga

"Brasília, 2 de janeiro de 2014.

Prezadas(os) colegas,

Primeiramente feliz ano novo e que este novo ciclo possa ser de fato a retomada definitiva da classe teatral em prol de uma construção coletiva de políticas públicas para o segmento aqui no DF.

Em outubro de 2013, tomaram posse agentes culturais para os colegiados setoriais e câmaras transversais em eleição realizada no Teatro Nacional. Para o colégio setorial do Teatro foram eleitas/os em ordem alfabética:

· Dayse Hansa - Área: Produção, Infra Estrutura e Serviços - Titular

· Edi Silva - Área: Criação, Inovação e Novas Tecnologias - Titular

· Karita Pascollato - Área: Educação, Formação e Capacitação - Titular

· Márcio Menezes - Circulação, Comunicação, Difusão e Fruição - Titular

· Sheila Campos – Área: História, Memória e Patrimônio - Titular

Desde a posse, participamos de 04 (quatro) reuniões e ainda nesta fase embrionária necessitamos de vocês para que possamos propor mudanças nas políticas da SeCult e criação de novos parâmetros e, nesse sentido, previmos inicialmente 02 (duas) reuniões para que possamos dialogar com vocês, e estas ocorrerão nos seguintes dias, horários e locais:

06/01/2014

UNB - Anfiteatro 09

Horário: 14h

08/01/2014

Teatro Dulcina

Horário: 19h

Aguardamos vocês!

Cordialmente, Dayse Hansa"

 

Informou Sheila Campos