DF é impedido de reabrir atividades não essenciais durante pandemia do Covid-19

Juíza federal proíbe DF de reabrir novas atividades não essenciais, como desejava o governador Ibaneis Rocha (MDB), entre 25 de junho e 1º de julho.

Governador Ibaneis Rocha tem 10 dias para apresentar os números e cenários para a pandemia, ficando impedido de decretar a retomada de atividades não essenciais. Bares, restaurantes, salões e academias receberem clientes, por exemplo, estão fora de cogitação no momento, segundo determinação da juíza federal Kátia Balbino de Carvalho, neste sábado (20).

A ideia de Ibaneis era abrir as portas de bares e restaurantes já na quinta-feira, 25. Com a decisão da Justiça, os estabelecimentos permanecerão atendendo apenas delivery. O governador afirmou, neste domingo (21), que vai recorrer da decisão.

Ao tomar a decisão, a juíza fala dos riscos para a saúde pública com a queda do isolamento social, em função da pandemia de Covid.

“Que qualquer outra liberação de atividade que reduza ainda mais os níveis de isolamento pode implicar num colapso sem solução e com consequências irreversíveis para a vida e saúde da população”, diz Kátia Balbino em seu despacho.

Nas últimas semanas, o GDF iniciou um protocolo de reabertura da maioria das atividades na capital, mesmo com os números ainda crescentes de infectados pelo coronavírus. O comércio de rua e os shopping centers já reabriram as portas, adotando medidas de segurança contra a Covid-19.

Da redação do Gama Cidadão – 21/06/2020

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios