Gama aposta em terceirização do futebol para ressurgir

Próximo de assinar com uma empresa para gerenciar o futebol do clube, o Gama vê o acordo como fundamental para o ressurgimento. O objetivo é voltar à Série B até 2018

time

margens do futebol nacional desde 2011, quando disputou pela última vez a Série D do Campeonato Brasileiro, e com campanhas medianas nos torneios estaduais, o Gama vai começar 2014 com planos ambiciosos. O maior campeão do Distrito Federal está prestes a fechar parceria de quatro anos com a assessoria esportiva GP Soccer/Consultat, do Rio de Janeiro, para adotar um novo modelo de gestão. É a esperança para o clube voltar a aparecer entre as principais competições do Brasil.

Pelo acordo que deve ser firmado nos próximos dias, a empresa carioca ficaria responsável pela montagem do elenco e da comissão técnica, além da reestruturação da base. “Estamos negociando há pelo menos quatro meses e agora chegamos a um ponto comum, que agrada as duas partes. Só falta a assinatura do contrato”, explica o presidente do Gama, Antônio Alves do Nascimento Neto. “O futebol virou um mundo de negócios e nós não podemos ficar de fora dessa. O Gama tem de voltar a ser competitivo e, para isso, começar a fazer dinheiro com a compra e venda de jogadores”, analisa.

Após o contrato assinado, a GP Soccer/Consultat terá autonomia para contratar jogadores e usará a estrutura do clube para recebê-los e formá-los. No momento da venda, ela fica com 65% do valor e o Gama com os 35% restantes. “Não vamos ter custos para trazer os jogadores e vamos ganhar quando vendermos, é um bom negócio”, acredita Antônio Alves.

Para Roberto Gilvaz, sócio da GP Soccer/Consultat, o momento é de comemoração para as duas partes: “O torcedor do Gama pode ter certeza de que vai voltar a ter alegrias com o time, assim como nós sabemos que estamos fazendo um bom negócio ao escolher o clube.”

Segundo ele, a empresa estudou outros times do Brasil e optou por fechar parceria com o clube candango porque é uma equipe com tradição e estrutura. “O Gama tem um nome forte nacionalmente, uma grande legião de fãs e ótima estrutura, com estádio, centros de treinamento e acomodação. Vamos usar tudo isso para reerguê-lo”, deseja Gilvaz.

Para o primeiro ano, a ideia é montar uma equipe forte e competitiva para vencer o Campeonato Candango. “O acordo é trazer jogadores com experiência em séries B e C do Brasileirão para montar um time forte e conquistar o torneio local”, conta Antônio Alves. A partir de 2015, então, a empresa passaria a investir mais na base da equipe.

Informou super esportes

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios