Santuário de vida silvestre amarga o abandono por parte da comunidade gamense

               

               A população alega não frequentar o parque Prainha devido ao descaso por parte do Estado. Os, governantes, de maneira sucessiva, não se sentem pressionados a tomar providências frente aos problemas que castigam a área que, há anos, está abandonada, no último sábado (12), o Grupo de Trabalho Prainha – GTP fez vários encaminhamentos com vistas ao dia 21 de março, o Dia Internacional da Água.

               É importante que o Instituto Brasília Ambiental – IBRAM, o órgão ambiental responsável pelo parque, acerte o passo com as proposições do GTP, grupo este que é composto por ambientalistas, por representantes do governo e pela comunidade. A ocupação por parte da Força Nacional de Segurança Pública, órgão da Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, no uso da reserva ecológica como campo de treinamento – fazendo uso de explosivos de alta densidade e de, bombas de gás lacrimogêneo. Todo esse transtorno, vem causando um dano irreparável à comunidade e ao Santuário de Vida Silvestre.

              Funcionários do IBRAM, são céticos ao afirmar que aquilo que o GTP – Prainha, assistiu não obstrui a comodidade da fauna e, nem causa danos à flora, pelo fato da área continuar intacta, apesar das explosões. Não é esse o pensamento da maioria que ali estava reunida durante os trabalhos. O grupo que teve de deixar a reserva às pressas devido ao alto nível de intoxicação, ao efeito do gás lacrimogêneo e ao pavor causado pelos estrondos das bombas foi unânime em questionar o supramencionado órgão ambiental. Um documento está sendo enviado ao superintendente de áreas protegidas, Leonel Generoso, solicitando esclarecimentos sobre em que a autorização foi concedida, -bem como o responsável por essa concessão e as bases legais nas quais foi atestada. É importante reforçar que o IBRAM restringe até mesmo o acesso de grupos escolaresApesar de tudo, a Força Nacional comparece com um contingente fortemente armado causando grande estardalhaço, o IBRAM, por sua vez, permanece indiferente a toda esta movimentação.

Seguem as fotos da Força Nacional, usando a Prainha, como campo de treinamento no dia 05 de março, às 9h da manhã. 

 

 

 
Foto: crianças da vizinhança brincando de bola com as camisas na cabeça por conta das bombas de gás lacrimogêneas.

Galeria de fotos. Clique aqui!

Leia mais: Força de Segurança Nacional assusta vizinhos do batalhão

Tags

Israel Carvalho

Diretor-Presidente do portal Gama Cidadão, Jornalista nº. DRT 10370/DF, Multimídia e Internet Marketing.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios